8 meses na estrada – Resumo dos nossos gastos!

E lá estávamos, aproveitando Cusco e nos preparando para seguir a Machu Picchu, quando nos demos conta que já estávamos há 8 meses na estrada! Aqui compartilhamos com vocês nossos gastos e um pouco de nossa experiência.

E não poderíamos estar comemorando nosso 8° mês na estrada em um lugar melhor: lá estávamos, em Cusco (Peru), a Meca dos mochileiros da América do Sul. Quase 250 dias depois de termos deixado nossos lares, percorríamos as ruas da antiga capital do Império Inca, conhecendo tanto pessoas que já estavam há anos na estrada quanto pessoas que aproveitavam suas curtas férias para visitar uma das 7 maravilhas do mundo.

E assim, sem dinheiro para comprar uma cerveja de comemoração, celebramos nosso 8° mês vivendo como nômades! 🙂

Resumo do mês de maio

Neste mês, saímos da cidade de Potosí (Bolívia) e chegamos até Cusco (Peru), depois de vivenciar algumas experiências inesquecíveis e muito enriquecedoras. Aqui vão alguns números:

Mapa mochilão Peru Bolívia
Mapa do que avançamos em maio

O total gasto com cada coisa ficou assim (gastos para o casal):

  • Hospedagem: R$ 811,20
  • Transporte: R$ 380,13
  • Mercado R$ 465,98
  • Restaurante R$ 238,80
  • Outros R$ 209,85
  • Passeios R$ 679,08
Distribuição dos gastos de maio
Distribuição dos gastos de maio

Apesar de termos passado a maior parte do tempo na Bolívia, que é talvez o país com o custo de vida mais baixo da América do Sul, nossos gastos foram altos, e não conseguimos nos manter dentro da nossa meta de 70 reais por dia (35 para cada um).

O que nos matou foi que, diferente da Argentina e do Chile, não conseguimos quase nada nem de transporte nem de hospedagem grátis. Um ônibus na Bolivia é muito mais barato que em qualquer outro país, mas conseguir carona é muito dificil (só conseguimos carona uma vez, e foi com um chileno que estava vivendo lá).

Um quarto privado em um hotel na Bolívia e no Peru também costumam sair mais barato que um camping no Chile, mas não recebemos nenhum convite e nem tivemos sucesso com o CouchSurfing neste mês (na verdade, recebemos um convite de um casal na Bolívia, mas era em uma cidade por onde acabamos não passando).

Tudo isso contribuiu para elevar o gasto. Por outro lado, tivemos uma viagem mais “normal”, ficando em hotéis e nos deslocando de ônibus. Também almoçamos fora quase todos os dias, já que os restaurantes nestes países acabavam saindo mais barato do que cozinhar nossa própria comida.

Outra coisa que doeu no orçamento foram os passeios: apesar de procurarmos fazer tudo por nossa conta, alguns gastos não há como evitar, como as entradas nos sítios arqueológicos, por exemplo.

Mas tudo bem, as experiências fizeram cada centavo valer a pena! 🙂

Nossas hospedagens ficaram assim:

  • camping: 2
  • hotel/hostel: 25
  • camping selvagem: 1
  • onibus: 3
Nossas hospedagens em maio
Nossas hospedagens em maio

Números da viagem inteira

Durante toda a viagem inteira, fizemos este percurso:

Recorrido em 8 meses de mochilão
Mapa dos nossos 8 meses de viagem

Os números estão assim:

Nossa distribuição dos gastos está assim:

  • Hospedagem: R$ 4.680,96
  • Mercado: R$ 5.451,03
  • Transporte: R$ 3.434,88
  • Passeios: R$ 3.362,30
  • Restaurantes: R$ 1.317,76
  • Outros: R$ 655,02

 

A média dos gastos/dia ficou:

  • Hospedagem: R$ 19,03/dia
  • Mercado: R$ 22,16/dia
  • Transporte: R$ 13,96/dia
  • Passeios: R$ 13,67/dia
  • Restaurante: R$ 5,36/dia
  • outros: R$ 2,66/dia
Distribuição dos nossos gastos ao longo da viagem
Distribuição dos nossos gastos ao longo da viagem

Em relação a hospedagens, nossas noites foram assim:

Distribuição das nossas hospedagens ao longo da viagem
Distribuição das nossas hospedagens ao longo da viagem

Isso nos dá um total de 153 hospedagens grátis, e apenas 93 pagas.

Hospedagens pagas x gratuitas
Hospedagens pagas x gratuitas

O gráfico com a nossa evolução nos gastos ao longo dos meses está assim:

Gastos em 8 meses de mochilão
Evolução dos nossos gastos ao longo dos meses

É isso pessoal! Esperamos que estas informações possam ser úteis para o planejamento das viagens de vocês.
Qualquer dúvidas, só perguntar! 🙂

Resumo dos meses anteriores:
7 meses
6 meses
5 meses
4 meses
3 meses
2 meses
1 mês

Querem economizar nas próximas viagens? Leiam algumas dicas:

Como viajar de carona
Dicas para economizar na Patagônia
Trabalhar em troca de comida e hospedagem

E aqui resumo dos gastos e experiências que vivemos em cada país:

Uruguai
Argentina
Chile
Bolívia

Abraço a todos e não deixem de curtir nossa página no face para acompanhar nossa viagem de volta ao mundo!

www.facebook.com/mundosemfimoficial

7 comentários sobre “8 meses na estrada – Resumo dos nossos gastos!

  1. Pessoal, como vocês fazem para controlar o dinheiro? Pois já são 8 meses e vocês ainda sabem direitnho quando cada coisa custou… é num papel, é no cartão, é algum app de planejamento, é no excel mesmo…..? Podiam fazer um posto contando como se organizam 😉

    1. Olá Eduarda!
      Nós estamos usando basicamente o cartão de débito e fazendo saques de tempos em tempos. Aí, neste saque, já vemos exatamente quanto foi descontado da conta bancária, e com isso conseguimos calcular a conversão para cada moeda (já incluindo iof, taxas do banco e tudo).
      Aí no fim de cada dia jogamos em uma planilha do excel exatamente o que gastamos!
      A planilha está bem desorganizada e só nós mesmo a entendemos. Quando tivermos tempo, vamos organizá-la e disponibilizá-la para quem quiser vê-la! 🙂

  2. Oi Renan estou indo pela terceira vez para Argentina e Chile. Vou com minha filhinha de dez aninhos. Viagem de carro. De 1 a 10 quanto é seguro acampar em Cafayate? Principalmente em julho (inverno). Já acampei em diversos lugares, nunca corremos nenhum perigo, mas nunca fui para a região da Patagonia. Pode me tranquilizar ou me aterrorizar?

    1. Olá Roseli!!
      Acho que a Patagônia é um dos lugares mais seguros do mundo. Acampamos por lá em tudo que é lado e não tivemos problema nenhum, principalmente nesta parte das cordilheiras. Do lado do Atlântico é preciso ter maior cuidado com algumas cidades (e com o vento, que é terrível), mas em El Calafate é muito tranquilo. Lá também há uns 2 ou 3 campings bem familiares.
      A única coisa é que vão precisar de bons isolantes térmicos (se tiverem colchões de ar, perfeito) e sacos de dormir para muito frio. Tem um camping chamado “viejo ovejero” que é camping e hostel. Se estiver muito frio, podem correr para o hostel! 🙂
      Façam uma excelente viagem, vão adorar a Patagônia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *