17 experiências incríveis na América Latina

Depois de mais de 2 anos viajando por nosso continente, escrevemos uma lista com as 17 melhores experiências que vivemos por aqui!

Já estamos perto de dar adeus à nossa querida América Latina. Foram incontáveis experiências espetaculares que vivemos, tanto nesta quanto em viagens anteriores, e criar uma lista com menos de 20 foi bem difícil (a ideia inicial era fazer um top 10).

Ah, deixamos o Brasil de fora por enquanto porque ainda precisamos conhecer melhor nosso país!

1. Navegar pelos rios da Amazônia (Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Brasil)

Quer conhecer o coração da maior e mais exuberante floresta do mundo? Então pegue um barco e se aventure por seus inúmeros rios, que são os únicos caminhos de acesso a esta impenetrável selva. Você se sentirá como Indiana Jones em meio àquela natureza cheia de mistérios.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nós fizemos uma aventura assim no lado peruano, indo até Iquitos, e contamos tudo aqui.

2. Celebrar o Dia dos Mortos (México)

No Dia dos Mortos, um portal é aberto entre o mundo dos vivos e dos mortos. Neste dia, as pessoas vão até os cemitérios cantar e beber até o dia nascer, esperando a chegada de seus entes queridos que já se foram. Nas ruas, adultos e crianças se fantasiam de caveiras para que os mortos possam andar entre nós sem serem reconhecidos. Sem dúvidas, uma forma muito interessante de encarar a morte.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nós passamos o Dia dos Mortos em Oaxaca, e aqui contamos como foi.

3. Visitar a Venezuela

Crise? Caos? Guerra civil? Violência descontrolada? Esqueça tudo o que você viu na TV e venha conhecer o melhor que nossos vizinhos do norte têm a oferecer. O país realmente vive uma crise econômica e política muito grande, mas isso não tira o brilho de seu povo super hospitaleiro, de suas praias paradisíacas e de sua natureza exuberante. E, para ajudar, a Venezuela é um dos países mais econômicos do mundo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ficou interessado? Leia nosso relato completo aqui.

4. Mochilar pela Patagônia (Argentina, Chile)

Acho que nunca havíamos sentido um sentimento de liberdade tão grande quanto o que sentimos ao mochilar pelas lindas paisagens da Patagônia. Enquanto estávamos por lá, não nos preocupávamos com nada: acampávamos onde queríamos, esticávamos nosso polegar para conseguir carona para onde fosse e cozinhávamos nossa comida rodeados pelo melhor que os Andes têm a oferecer.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arrume sua barraca, seu saco de dormir e ouse esquecer do tempo e dos problemas enquanto viaja pelo sul da Argentina e o Chile. Se quiser dicas, escrevemos várias aqui.

5. Nadar em um cenote (México)

Sob a península de Yucatán, no México, há um gigantesco labirinto de túneis subterrâneos inundados com água doce. As conexões entre este labirinto e o mundo externo se chamam “cenotes”.

À primeira vista, alguns podem parecer uma simples lagoa, mas basta mergulhar em um para descobrir seus segredos. Estes lugares eram considerados sagrados pelo povo maia, e não é raro encontrar oferendas e ossadas sob suas águas.

Diariamente, turistas, mergulhadores profissionais e pesquisadores disputam estes impressionantes cenotes em busca de seus segredos ocultos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para conhecer os cenotes que visitamos, clique aqui.

6. Conhecer o mundo inca (principalmente Peru, Bolívia e Equador)

Os incas formaram uma poderosa civilização, que teve seu coração (ou umbigo, como eles dizem) em Cusco, e se estenderam ao sul até a Argentina e Chile, e ao norte até pouco além da fronteira do Equador com a Colômbia. Seus segredos, costumes, riqueza cultural e avanços tecnológicos atraem milhares de turistas a Machu Picchu, mas há muitos outros lugares que merecem ser explorados.

Este slideshow necessita de JavaScript.

7. Conhecer o mundo maia (Honduras, El Salvador, Guatemala, México)

A civilização Maia é uma das mais interessantes e enigmáticas da América. Muitas vezes, extraterrestres e poderes sobrenaturais são atribuídos aos maias para explicar sua grandeza e seu desaparecimento misterioso.

Até onde se saiba, eles foram a única civilização do continente americano a desenvolver uma linguagem escrita, tinham um conhecimento astronômico maior do que o da Europa na mesma época e ainda desenvolveram um calendário mais eficiente que o nosso, que dispensa compensação para anos bissextos. Uma pena que grande parte deste conhecimento se perdeu com o tempo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Atualmente, os descendentes diretos dos maias ainda mantêm forte sua cultura e tradição na Guatemala e no sul do México, contando ainda com alguns representantes em El Salvador e Honduras. Várias de suas impressionantes ruínas ainda estão de pé e podem ser visitadas, como a de Copán, Tikal, Palenque e Chichén Itzá (declarada como uma das 7 Maravilhas do Mundo).

8. Mergulhar em Utila e Roatán (Honduras)

Fazer um curso de mergulho não estava nem de longe nos planos de nossa viagem, mas depois de ver as águas transparentes do litoral hondurenho e os preços econômicos, não tive dúvidas: era ali mesmo que eu ia começar a explorar o mundo submarino!

Por 250 dólares, é possível fazer um curso completo Open Water em Utila para mergulhar com equipamento profissional. No valor já está incluída a hospedagem, o certificado internacional e 6 mergulhos. Se quiser saber mais sobre o curso, leia nosso post aqui.

Este slideshow necessita de JavaScript.

9. Cruzar da Colômbia ao Panamá em barco

Talvez por falta de tempo, conhecimento ou por algum receio, a maioria absoluta dos viajantes prefere cruzar da Colômbia ao Panamá de avião. É uma pena, pois os mares caribenhos entre estes dois países guardam joias preciosas que merecem ser descobertas. Além da natureza quase intocada (você se sente como Cristóvão Colombo chegando às Américas pela primeira vez), a cultura dos indígenas Kuna Yala é muito enriquecedora. Eles, sozinhos, desenvolveram um sistema econômico e político que, em muitos aspectos, é superior ao nosso, e já possuem vários representantes nos mais altos cargos da política panamenha.

E isso sem mencionar as paradisíacas ilhas de San Blas…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para saber mais sobre esta travessia, leia nosso post completo aqui.

10. Atravessar o Salar do Uyuni (Bolívia)

Imagine atravessar 10 mil quilômetros quadrados de puro sal: isso é o Salar do Uyuni, um deserto branco, localizado ao sul da Bolívia, a mais de 3600 metros acima do nível do mar. O frio é intenso e a dificuldade para respirar complica ainda mais as coisas, mas vale a pena.

Além disso, a expedição, que pode durar até 4 dias, passa por outras paisagens igualmente belas, como desertos, gêiseres, lagoas azuis, verdes, rosas, etc.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Se quiser saber mais sobre esta aventura, leia nosso post aqui.

11. Visitar Galápagos (Equador)

Darwin visitou Galápagos com o objetivo de passar apenas dois anos estudando as espécies, e acabou ficando cinco. Se você for até lá, vai entender o motivo: este arquipélago equatoriano é o paraíso para os amantes do animais e do mergulho. Há diversas espécies de tartarugas, pinguins, iguanas, tubarões, pássaros e tudo mais. Basta viajar uns poucos quilômetros de uma ilha a outra que encontrará uma fauna e flora completamente diferente.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gostou? Leia nosso post sobre como ir até lá sem gastar tanto aqui.

12. Aventurar-se até o Salto Ángel (Venezuela)

Visitar a Venezuela já é uma experiência enriquecedora, mas o Salto Ángel é algo à parte: esta cachoeira, com quase 1 quilômetro de altura, é a mais alta do mundo, e serviu de inspiração para o desenho “Up! Altas Aventuras”.

Chegar até lá não é algo simples: é preciso pegar um voo para uma pequena comunidade localizada no meio da selva, e então seguir mais algumas horas de barco em meio a uma natureza quase intocada.

A aventura leva 3 dias, e custa na faixa de 250 dólares, incluindo transporte, entradas, hospedagem e as refeições.

Este slideshow necessita de JavaScript.

13. Subir a um vulcão ativo

Os vulcões sempre foram algo admirado – e temido – pela humanidade. Civilizações inteiras já foram destruídas por sua fúria, enquanto outras depositavam toda sua fé nos deuses que supostamente habitavam seu interior.

Na América Latina, opções de vulcões é que não faltam: há escolhas para todos os gostos e bolsos. Países como Argentina, Chile, Equador, Nicarágua, Costa Rica, Guatemala e México estão repletos deles.

Agora, se você quer ver um bastante ativo, com lava vulcânica dentro da cratera e sem gastar muito dinheiro, recomendamos o Masaya, na Nicarágua: fica pertinho da cidade de Granada, e uma expedição até sua cratera pode sair por menos de 20 dólares. Leia aqui nosso post completo sobre este vulcão.

Vulcão Masaya - Nicarágua
Nós em frente à cratera do vulcão Masaya!

14. Admirar o céu estrelado do Atacama (Chile)

“As estrelas estão tão perto que você quase pode tocá-las com as mãos” – era isso que nos diziam sobre o céu estrelado do Atacama. Então fomos lá conferir.

E é verdade: os milhares de anos luz que nos separam destes astros luminosos parecem diminuir a alguns poucos metros quando estamos neste deserto seco e com o céu quase sempre limpo.

Para vê-las, basta realizar algum tour astronômico a partir da cidade de San Pedro de Atacama. Se você é do estilo mais aventureiro, afaste-se alguns poucos quilômetros da cidade e acampe no meio do nada (certifique-se de ter o equipamento correto para aguentar temperaturas negativas). Aí é só olhar para cima e admirar o espetáculo.

Céu estrelado no Atacama

Para saber mais sobre o Atacama, leia nosso post completo aqui.

15. Participar do Festival de Tinku (Bolívia)

O Tinku, um festival de origem pré-colombiana e condenado pela igreja, é o encontro de pequenas comunidades indígenas que ocorre em algumas regiões da Bolívia. Durante este encontro, a música e a bebedeira correm soltas, pedras voam por todos os lados e as brigas entre os participantes são comuns. Mas está errado quem compara o Tinku com uma briga entre torcedores rivais em um bar: estamos falando de um ritual milenar, belíssimo, e que diz muito sobre a cultura local. As brigas são organizadas, com o objetivo de deixar os guerreiros mais fortes, e o sangue escorrido é uma oferenda para a Pacha Mama. É bastante violento, mas a violência não é gratuita, e os poucos turistas que se aventuram por ali estão seguros.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Se quiser saber mais sobre o Tinku, leia nosso post completo aqui.

16. Dançar salsa em Cali (Colômbia)

A salsa está presente em praticamente toda a América Latina, em especial na região caribenha, e os fãs deste estilo musical podem se divertir muito em praticamente qualquer país. Porém, se você quer ter uma noite realmente inesquecível, é preciso ir até Cali, a Meca da salsa na Colômbia. As baladas desta cidade não se comparam com as de nenhum outro lugar. Aqui, todos dançam, e a um ritmo frenético. Difícil entender de onde tiram tanta energia!

Sexta-feira a noite em Cali

Se quiser saber mais sobre Cali, leia nosso post completo aqui.

17. Voltar no tempo em Cuba

Esqueça a eterna discussão entre a esquerda e a direita e venha para Cuba com a mente aberta. Suas belas cidades coloniais, incrivelmente bem preservadas, são um museu a céu aberto, e os carros antigos compõem a cereja do bolo. Suas praias de areia branca e água azul transparente estão entre as mais belas que já vimos em nossas vidas. A música cubana, respeitada no mundo inteiro, exala das janelas das casas por todas as cidades. O povo cubano, muito orgulhoso de sua cultura, estará sempre disposto a te receber com os braços abertos e um sorriso no rosto. Além de tudo, Cuba é um dos países mais seguros do mundo, o que faz com que os turistas sempre sintam vontade de voltar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

É isso, pessoal! Alguma experiência que esquecemos de mencionar? Comentem aí!

Para mais dicas bacanas e acompanhar nossa viagem pelo mundo, curta nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

2 comentários sobre “17 experiências incríveis na América Latina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *