Conhecendo o Cerro Colorado de Cusco sem gastar quase nada!

O Cerro Colorado (ou Rainbow Montain, Montanha das 7 Cores, Vinicunca, etc) é uma bonita formação de montanhas a poucos quilômetros de Cusco. O método mais convencional de visitá-lo é com uma excursão, mas é possível fazer o percurso por conta própria, gastando bem menos! Confira aqui como foi nossa ida até lá.

Referência (junho/2016)
1 real = 0,88 soles

Para chegar ao Cerro Colorado, é preciso seguir até a cidade de Hanchipacha, e de lá caminhar pouco mais de 3 horas, morro acima, em meio a uma belíssima vegetação e na companhia de ovelhas e lhamas.

Fique atento que este cerro está a uma altura que beira os 4 mil metros de altitude, e caminhar por aí pode ser um pouco exaustivo, principalmente para quem está se acostumando com a altitude. Recomendamos deixar este passeio para depois de estar a uns 3 ou 4 dias pela região.

Cerro Colorado, em Cusco, Peru.
Belíssima vista do Cerro Colorado, em Cusco, Peru.

Como chegar:

Para chegar ao cerro colorado, é possível contratar uma excursão em Cusco de 1 dia, ou ir por conta própria.

Ir por sua conta é bem fácil e muito mais econômico, porém não recomendamos fazê-lo com o tempo apertado. O problema é que, nos últimos 30km, o transporte pode ser meio escasso, e talvez você tenha que passar uma noite por lá. Considere isso no seu cronograma!

Para chegar por conta própria, também há duas maneiras. Você pode ir diretamente ou aproveitar para conhecer, no caminho, as ruínas de Tipón e Pikillacta. Se você já tiver o Boleto Turístico, vale a pena: não vai gastar nada e vai adicionar duas ruínas novas ao currículo.

Abaixo descrevemos o método para chegar até Checacupe.

Mucuvinha subindo o Cerro Colorado
Mucuvinha descansando depois de uma longa subida

Passando pelas ruínas

Se quiser conhecer as ruínas, leia aqui como chegar até elas. Depois, de Pikillacta, precisa chegar até Checacupe. Para isso, pegue um ônibus que vai para Sicuani, e peça para descer em Checacupe (devem te cobrar entre 5 e 6 soles), ou pegue um até Urcos (1,50 soles), e de lá uma van até Checacupe (6 soles, mas dá para chorar por 5).

Pegar o ônibus direto pode ser mais conveniente e barato, o problema é que eles costumam passar cheios e não param em Pikillacta. Os para Urcos sempre param, e de Urcos tem van saindo toda hora para Checacupe.

Vista do Cerro Colorado
Do outro lado do cerro, a vista também é espetacular.

Direto

Para ir direto até Checacupe, pegue um ônibus no Terminal de Buses Sicuani. Fica na Av. Hayruropata, um pouco longe do centro. Para chegar até lá, pegue um táxi (deve te cobrar, no máximo, 5 soles).

Se ficar em dúvidas, pegue um mapa nas Informações Turísticas.

Chegando lá, pegue o primeiro ônibus para Sicuani, e peça para descer em Checacupe. A viagem até lá deve levar umas 2h30min, e deve custar uns 10 soles.

Caminhada rumo ao Cerro Colorado
Caminhada rumo ao Cerro Colorado

A partir de Checacupe

Agora que você chegou a Checacupe, precisa ir até Pitumarca. Para isso, pegue um táxi ou uma moto até lá. O trajeto não deve durar mais que 10 minutos, e vão te cobrar entre 4 e 8 soles.

A partir de Pitumarca você deve seguir até Hanchipacha. Para isso, vá até o terminal de ônibus da cidade.

Aqui a coisa complica um pouco: há caminhões que partem até lá, por volta das 8h da manhã, e vans que partem quando enchem (e demoram para encher). As vans de excursão passam pouco antes das 6h, e podem te levar se tiverem lugar (geralmente tem).

Os caminhões levam na caçamba, que vai lotada de estudantes, professores, moradores dos povoados da região e, ocasionalmente, ovelhas e cabras. Viajar desta forma é bastante econômico e pode ser uma aventura a parte (além de proporcionar uma vista excelente para uma das estradas mais bonitas que já passamos até hoje). O trajeto custa 4 soles e dura pouco mais de 1h.

Transporte público peruano
E tem jeito mais fascinante de conhecer um país senão viajando com o transporte local?

As vans que vão quando enchem custam por volta de 6 soles.

Com as vans de turismo precisa negociar o preço, mas não devem te cobrar mais que 10 soles. Se for com estas, pode tentar negociar já o preço da volta também.

Em última hipótese, há táxis que te levam por 50 soles. Se estiverem em grupo pode valer a pena, mas sozinho fica muito caro para pagar.

Estrada para o Cerro Colorado
A estrada para o Cerro Colorado é uma das mais bonitas que já passamos até hoje

Em Hanchipacha há hospedagem e começa a trilha até o Cerro Colorado. Se quiser, o transporte pode te levar uns 10 minutos mais para a frente, em um pequeno povoado de onde parte um atalho da trilha. Lá não há hospedagem nem nada, mas pode ser um bom lugar para acampar se tiver barraca.

A partir daí, são cerca de 3h de trilha morro acima.

Para voltar, a melhor maneira é negociar com as vans que estão voltando para Cusco. Eles costumam cobrar 10 soles por pessoa. No nosso caso, choramos e conseguimos pagar 10 soles para os dois.

Mapa pare chegar até o Cerro Colorado
Mapa pare chegar até o Cerro Colorado

Custos

Se for por agência, espere pagar entre 90 e 120 soles. Encontramos os passeios mais econômicos nas agências da rua Procuradores, mas não sabemos dizer nada sobre a qualidade do serviço. As agências geralmente incluem café-da-manhã e almoço, e partem por volta das 4h da manhã.

Se for do modo mais econômico, consegue chegar até lá por 18 soles. Para voltar, seria o mesmo preço, mas tente negociar um valor mais baixo para voltar com alguma van de excursão.

Você também pode tentar carona se tiver tempo. Nós tentamos mas não tivemos sorte…

Em Pitumarca há hospedagens, restaurantes e mercados. Se precisar dormir aqui, consegue uma cama entre 10 e 20 soles (dependendo da negociação). No nosso caso, perguntamos para a polícia por lugares para acampar. Os policiais foram extremamente simpáticos e nos deixaram acampar na garagem do terminal de ônibus (o orvalho na barraca chegou a congelar, portanto certifique-se de ter um bom saco de dormir!).

Mucuvinha no topo do Cerro Colorado
Mucuvinha no topo do Cerro Colorado

Em Hanchipacha há um hostel também, mas não vimos restaurantes. Se for passar a noite aqui, convém levar comida.

Também é possível acampar de graça em qualquer lado.

Para subir ao cerro, há que pagar 10 soles de pedágio em uma comunidade. Se passar por aí bem cedo (antes das 6h, quando as excursões começam a chegar), é bem possível que não tenha ninguém cobrando.

A trilha

O caminho para o cerro é bem marcado e fácil de seguir de dia (cuidado para não ficar no cerro depois de escurecer, pois ai a coisa pode complicar um pouco). Encontrar o começo da trilha pode ser um pouco complicado, mas qualquer morador da região vai te indicar o caminho (o povo aqui é muito bacana). O grande fluxo de turistas que sobem e descem facilita bastante também.

Caminho para o Cerro Colorado
O caminho até lá já vale a viagem

Durante todo o percurso há um rio de água de degelo correndo. Apesar de a água ser limpa, há muitos animais na região, o que convém purificá-la com pastilhas, cloro ou iodo (isso mesmo, esse que usa para machucados). Como as pastilhas em Cusco são caríssimas, ensinamos aqui a técnica do iodo ou cloro (água sanitária): use 1 gota para cada 500 ml de água, e espere meia-hora antes de consumi-la.

Ovelhas e lhamas no caminho para o Cerro Colorado
Ovelhas, lhamas e alpacas vão te acompanhar durante todo o percurso.

Toda a trilha é belíssima, com vistas a morros cobertos de neve e acompanhada por ovelhas, lhamas e alpacas. Ao chegar ao cerro, se ainda tiver fôlego, suba por mais uns 20 minutos até o mirador à direita. A vista de lá é espetacular.

Ao fazer a trilha, caminhe com cautela. Ela não aparenta ser tão difícil, mas a altitude elevada (cerca de 4 mil metros) torna o caminho bem cansativo.

No topo do Cerro Colorado
Apesar do vento gelado, a vista compensa qualquer sacrifício.

Também fique atento ao horário: evite ficar no cerro sozinho quando começar a escurecer, principalmente se não tiver barraca. Além do risco de se perder, o frio pela noite é cruel, independente da estação do ano.

Dicas

  • Procure sair bem cedo de Cusco, ou dormir em Pitumarca ou Hanchipacha para começar a trilha cedo no dia seguinte. Desta forma, conseguirá pegar carona com as vans das excursões que voltam por volta das 3h/4h da tarde. Os ônibus a Checacupe começam a sair a partir das 3h30min da manhã.
  • Procure começar a trilha, no máximo, até as 10h da manhã. O ideal seria começar antes das 9h, para conseguir voltar a tempo de conseguir transporte de volta para Cusco.
  • Se começar a ficar tarde, volte, mesmo que não tenha chegado ao topo do cerro. É melhor deixar para o dia seguinte do que correr o risco de ficar perdido por lá de noite.
  • Leve roupa de frio, pois o vento no topo do cerro é gelado.
  • Caso vá com barraca ou mochila pesada, peça para algum morador que guarde sua mochila, e suba só com o essencial. Nós deixamos a nossa em uma vendinha no começo da trilha.
  • Procure levar algo para purificar a água; assim, poderá tomar a dos rios da região sem perigo.
  • Tente visitar as ruínas de Tipón e Pikillacta que estão no caminho.
  • Procure levar comida. Não achamos caros os produtos que vendiam lá perto (considerando o isolamento do lugar), mas a variedade é bem escassa.

É isso aí pessoal! Gostaram do passeio?

Leia tudo sobre Cusco aqui.

Para mais dicas sobre viagens e acompanhar a nossa volta ao mundo, curtam nossa página no Face! 😀
www.facebook.com/mundosemfimoficial

45 comentários sobre “Conhecendo o Cerro Colorado de Cusco sem gastar quase nada!

  1. Boa tarde
    Nossa, muito bom seu relato. Procurei como ir para esse local e não achei muita informação.
    Vou fazer um mochilão para bolava, chile e Peru e depois do seu relato com certeza irei incluir cerro colorado no meu roteiro. Só tem um problema, eu irei sozinha, e acho Q seria melhor eu ir de excursão. Você teria algumas informações sobre agências que fazem e onde elas ficam em Cusco ?

    Desde já obrigada

    1. Olá Karla!
      Ficamos feliz que nosso relato tenha ajudado!
      Pode ir de excursão sim, a diferença de preço não é tão grande, e você ainda ganha tempo. Aqui em Custo tem várias agências que fazem o passeio, e dá pra chegar e já contratar para o dia seguinte, não precisa reservar nem nada.
      As agências mais baratas que vimos estão na rua Procuradores (é uma rua curta, de 1 quadra). Só entrar em qualquer uma e perguntar. O mais barato que encontramos foi por 90 soles.
      Se for fazer Machu Picchu e outros passeios em Cusco, vale a pena ver de fazer tudo na mesma agência e pedir um desconto no final!
      Boa viagem, temos certeza que vai curtir muito!

      1. Olá!! Realmente as dicas são excelentes, procurei bastante sobre como chegar as montanhas coloridas mas aqui já tirei praticamente todas as minhas dúvidas, viajo no mesmo período que vocês foram, porém em Junho de 2017, passagens compradas de ida, porém de volta ainda não comprei porque não terminei o roteiro. A dica de fechar os passeios em Cusco e fazer um “pacotão” para MP e Montanhas coloridas encaixou certinho no meu roteiro. Muito Obrigado.

    1. Oi Ari, quem escreve o blog é o Renan (estou usando a conta dele pra te responder 😉 ), eu no máximo dou palpites…rs
      Ele escreve com muito carinho e a intenção é detalhar tudo pra poder ajudar. Beijos
      Ah, e nosso filho anda cada dia mais lindo <3

  2. Nossa eu amei!!! Já tinha visto em algum lugar, mas nunca detalhado como chegar… estou com uma dúvida… se eu for por agência pagando 90 soles, a trilha a caminhar tbm será de 3 hs ou eles te levam até lá em cima, bem perto desse mirante que vc falou… Obrigada pelas dicas!!

    1. Olá Luciana!
      Não, vai ter que caminhar com agência também! Todos partem do mesmo lugar.
      A vantagem da agência é que não vai precisar ficar esquentando a cabeça com o transporte. Eles já te levam direto ao ponto de onde parte a trilha! 🙂

    1. Olá Juliana!
      Ficamos muito felizes que tenha gostado 🙂
      Se for possível, inclui sim, porque o lugar é bem legal! Tenta deixar para os últimos dias, quando já estiver mais acostumada com a altitude, porque a subida é cansativa!
      Boa viagem!!

    1. Não, foi lá onde começa a trilha do Cerro Colorado mesmo. Várias vans de excursão ficam paradas ali, é só passar e perguntar qual tem vaga. Combine o preço antes de subir!

  3. Olá, muito bom o blog. Irei para Cusco em janeiro, de carro. E quero conhecer o Cerro Colorado. Estava pensando em ir às ruínas no caminho, dormir em algum lugar próximo e subir de manhã cedo. Vocês acham que o pernoite em Hanchipacha é tranquilo?

    1. Obrigado Andrea!
      O pernoite é tranquilo sim, o único problema é que Hanchipacha é um povoado com umas 5 casas. Muito bonito, mas não oferece estrutura nenhuma. Vimos que tinha 1 hospedagem lá, mas não sabemos dizer quanto custa, nem se tem água quente.
      Como estão de carro, acho que vale mais a pena dormir em Pitumarca, e seguir cedinho para Hanchipacha. Pitumarca já é maior (ainda que bem pequena), tem mais opções de hospedagens, mercados e restaurantes simples. Mais fácil se virar por lá! 🙂

  4. Es un trekking de al menos 5 horas de caminata que vale la pena el esfuerzo que se hace para alcanzar la cima de la montaña de 7 colores que cuenta con una vista impactante, Durante todo el camino la vista es hermosa acompañado por el nevado de ausangate, gente local que ofrece sus caballos a renta y llamas que están libremente pastando recomiendo la agencia machu picchu viajes.
    http://www.machupicchu-viajes.com

  5. Renan, tudo bem? Me tira uma dúvida, saindo de Cusco com alguma agência, consigo pegar após o retorno da trilha um ônibus para Puno? ou tenho que retornar a Cusco e pegar um ônibus de lá para Puno?

    1. Fala William!
      Se voltar pra Cusco, vai conseguir pegar um ônibus mais confortável (leito ou semi-leito). Mas da estrada dá pra pegar sim, no Peru os ônibus costumam parar para quem está na estrada!

    1. Olá Thaís!
      Nós estivemos em maio também, não tem perigo não! Vai ver neve nas montanhas em volta (o que deixa o visual ainda mais bonito).
      Pode ir tranquila 🙂

  6. Adorei seu comentário, estou vendo essa linda montanha Cerro Colorado, em Cusco
    Chegarei dois dias antes em Cusco para me acostumar com a altitude depois estou pretendendo fazer a trilhas do Incas de 4 dias e chego em Machu-Picchu e a tarde retorno para Cusco será que conseguiria ir ver as montanhas pois ficaria muito triste em chegar tão perto e não ver as montanhas mas não tenho muita grama, e você está dando uma opção bem legal. O que você puder me orientar pois estarei indo sozinha, gostaria de ir num mês que não fosse muito frio e ainda estou vendo a Trilhas dos Incas com que agencia vou fechar estou aceitando sugestões, obrigado pela dica. abraços.

    1. Olá Meire,
      Você pensa em visitar a montanha pela tarde, depois de voltar de Machu Picchu?
      Se for isso, não dá não. O passeio para o Cerro Colorado é de um dia inteiro (saindo de madrugada e voltando pela noite).
      Nós fizemos por conta própria, mas dura 2 dias. Se quiser fazer em 1 dia, melhor ir em tour (sai por uns 70 reais).
      Sobre o mês, o melhor é ir em um mês frio mesmo (de abril a outubro), pois no verão é época de chuva, e corre o risco de ver Machu Picchu com o tempo fechado ou com chuva.
      Abraços!

  7. Estou indo pra esse lugar no mês que vem e quero economizar os 90 dólares que as agências cobram. Também quero chegar bem cedo e evitar a multidão de turistas que chegam depois.

    Pensei em fazer o seguinte:
    1 – ônibus para Checacupe
    2 – táxi para Pitumarca
    3 – dormir em Pitumarca
    4 – às 4 da manhã (ou antes) pegar um táxi em Pitumarca para Hanchipacha, chegando no começo da trilha e começando a caminhar ao nascer do sol, 6 da manhã no máximo.

    Vocês acham que esse plano é bom?

    1. Fala Lucien!
      As agências cobram 90 soles, e não 90 dólares. Mas, de qualquer forma, o seu plano é bom sim. Além de subir antes dos turistas ainda vai poder ficar lá o tempo que quiser. Só fique atento que de noite faz muito frio. Se quiser começar a subir antes do sol nascer, é bom estar muito bem agasalhado.
      Em Hanchipacha existe um hostel bem simples. Não sei quanto custa, mas deve ser baratinho. Fica bem no começo de uma das trilhas, ao lado da estrada principal. Se chegar cedo, pode ver de passar a noite lá, assim não precisa se preocupar em encontrar táxi de madrugada.
      Se ficar em Pitumarca, tente já combinar com um taxista para que ele te leve no dia seguinte.
      Pra voltar pra Cusco, tente oferecer para alguma van de excursão uns 10 ou 15 soles. Vai ser mais cômodo e mais barato que voltar por conta própria!

      Abraços e boa viagem!

  8. Fala Renan ,
    Me tira uma dúvida por favor, acabei de fazer a trilha da Laguna 69 e vou te falar, que lugar lindo, a trilha inteira é repleta de paisagens muito bonitas, mas ai a altitude vai aumentando e as pernadas vai ficando mais difíceis, quase não consigo subir.
    Minha dúvida é, a trilha (fazendo pela agência) para Cerro colores é de mesma intensidade que a da Laguna 69 ou é mais tranquila ?
    Grande abraço

    1. Fala rapaz!
      Cara, vou te falar, a Cerro Colorado é na mesma intensidade sim. Mas acho que você vai achar mais fácil, pois já vai estar um pouco mais acostumado com a altitude.
      A do Cerro Colorado também é bem mais curta. Só tem uma subida mais tensa no final mesmo. Mas acho que a do Cerro Colorado é mais fácil de fazer num ritmo mais lento, justamente por ser mais curta.
      Vai na fé que você consegue!! 🙂
      Abraço!!

      1. Muito obrigado.
        Vou esperar passar o trauma da subida da Laguna 69 rsrs, é o tempo de recuperar e ir para Cerro colorado.
        Valeuuu

    1. Fala Luciano!
      Acho difícil, até porque fica muito corrido ver tudo isso no mesmo dia (os passeios para o Cerro Colorado saem de madrugada). Teria que fazer um dia o tour para o Cerro Colorado e no dia seguinte o para Tipon e Pikillacta (aí poderia ir por conta própria, com transporte público mesmo)

  9. Olá, amigos. Tudo bem?

    Eu pretendo ir ao Peru em 2018 e gostaria de conhecer os principais pontos turísticos de Lima, o oásis de Huacachina, Cusco, Machu Picchu, as ruínas de Tipón e Pikillacta e o Cerro Colorado. Vocês poderiam me dar uma base de quanto tempo eu preciso de viagem para conseguir visitar tudo, por favor? E vocês têm alguma ideia de preço?

    Muito obrigado!
    Abraços,
    Rafael

    1. Fala Rafael!
      Em uns 15 dias dá pra visitar estes lugares tranquilamente. Quanto aos gastos, depende um pouco do seu estilo de viagem, mas com uns 70-100 reais por dia dá pra passar bem no Peru. Se viajar em estilo bem econômico dá pra baixar pra uns 50 reais por dia.
      Nós postamos alguns roteiros e demos algumas informações de gastos nestes lugares. Se quiser dar uma olhada, talvez ajude:

      http://mundosemfim.com/roteiros-pelo-peru-e-bolivia-sugestoes-para-curtir-ao-maximo-terra-dos-incas/

      Abraço!

  10. Boa noite, tudo bem? Parabéns pelo post!!

    Estou indo para o Peru no mês que vêm junto com minha namorada e estou em dúvidas se devo fazer esse passeio ou não…Tenho lido em alguns lugares que é um pouco perigoso, que o caminho (translado) de van/ônibus para chegar lá é perigoso por conta de vários precipícios/desfiladeiros na estrada, que durante a caminhada até o topo da montanha não tem tanto acompanhamento dos guias e que a estrutura a nível de segurança e suporte aos turistas é muito fraca ainda.

    Mas……..por outro lado o lugar deve ser incrível e a minha vontade de conhecer e encarar o desafio é grande. Com relação a preparo físico eu e minha namorada temos uma vida bastante ativa (atividade física 5 dias na semana), porém realmente meu maior receio ficou por conta do que escrevi acima a respeito da estrutura do local em caso de emergência e por conta do caminho até a chegada no povoado.

    Por favor, o que vc tem a me dizer sobre isso amigo? E se a previsão do tempo estiver com chuva, mesmo assim acha que compensa encarar o desafio?

    Obrigado do post novamente e pela atenção.

    Att,
    Lucas

    1. Fala Lucas!
      Olha, as estradas são ruins mesmo, mas isso já é meio que regra em toda a região dos andes. Mas nunca ouvimos relatos de acidentes com turistas (as vans vão bem devagar, e tem pouco movimento).
      Quanto à caminhada, acho que não vão ter problemas não. Nós dois somos bem sedentários e conseguimos! 🙂
      Só recomendamos deixar este passeio para o último dia, assim já vão estar bem aclimatados com a altitude. A trilha não tem perigo não, é só a questão do cansaço mesmo.
      Se estiver chovendo não vale a pena não. Faz bastante frio, e com chuva vão congelar. Acho que os tours nem saem se estiver chovendo.
      Mas, se o clima tiver bom, vale a pena sim, vocês vão curtir!!

      Abraço!!

      1. Fala Renan!!!!

        Muito obrigado pela resposta rápida das minhas dúvidas…realmente me ajudou bastante a entender como funciona, porque na internet sempre você encontra os extremos, tanto para o bem como para o mal né kkkkkkk

        Vou tentar me encorajar para encarar esse desafio então!!!! Porém, pelo roteiro, vou precisar ir no 3º dia em Cusco, já terei dormido duas noites lá…acho que não é o ideal, mas vamos ver.

        Valeu da ajuda Renan!!!

        Abraço,
        Lucas

        1. O bom é que você consegue sem dificuldades fechar o passeio no fim da tarde para o dia seguinte. Aí conseguem ver como está a aclimatação de vocês para decidir se vão ou não 🙂
          Mas tenho certeza que vão conseguir!!

          Abraço!!

  11. Bom dia Renan,

    Voltando aqui para agradecer novamente as dicas do post e para contar como foi a experiência na montanha.

    Saímos as 05:00hs do hotel com uma van e partimos rumo ao povoado antes de iniciar a caminhada. As 3 primeiras horas desse caminho de van praticamente por estrada asfaltada e a ultima hora por uma estradinha de terra bem precária cheia de curvas zigue-zague na beira de precipícios/barrancos/etc…dá um pouco de medo, mas o motorista muito bom, faz esse caminho todo dia e foi super cuidadoso, então dá pra confiar kkkkkkkkkkkkkk chegando no povoadinho tomamos um super café da manhã e depois mais 15 minutos de van para chegar ao inicio da caminhada em si.

    A trilha é muito muito muito bonita mesmo, um espetáculo da natureza, ficamos realmente impressionados com os diferentes tipos de beleza naturais juntos no mesmo lugar – montanhas, picos nevados, planícies, morros, povoadinhos locais, enfim muito bacana mesmo!!! Eu e minha namorada conseguimos fazer todo o passeio sem precisar da ajuda do cavalinho, mas sem dúvidas que não foi fácil, mesmo tendo um bom preparo físico, por algumas vezes precisamos parar uns minutos para dar uma respirada e duas vezes pedimos ao guia para cheirarmos a agua florida, ajuda muito mesmo a abrir os pulmões e retomar o fôlego!! Mas nada que prejudicasse tanto assim para concluirmos a caminhada até o topo kkkkkkk No dia que fomos, o tempo antes de subir estava um pouco nublado (iniciamos a caminhada por volta das 10:00hs), mas durante a caminhada o tempo piorou e pegamos algumas rajadas de neve (tem que realmente ir com roupas leves para caminhada, mas que ao mesmo tempo protejam do frio – nós fomos com segunda pele na parte de baixo e de cima, calça leve para caminhada, jaqueta corta vento de taktel, estávamos de luva e também cachecol para proteger rosto do vento e toca na cabeça, além de capa de chuva kkkkkkkk) … quando estávamos subindo perguntei para alguns grupos que estavam descendo se conseguiram ver o colorido da montanha e eles estavam super desapontados, pois estava muito nublado e com neve…enfim, continuamos subindo e quando chegamos ao topo, inacreditável que em coisa de 40 minutos entre a turma ter falado que num viu nada, nós deslumbramos um sol com um céu super aberto e a montanha com todo seu esplendor e colorido!!! Sensação única de depois de todo esforço poder admirar aquela beleza natural criada por Deus!!! Valeu muita a pena cada passo e o suor para chegar ao topo, foi show de bola!!!!
    Os guias também davam até que bastante atenção, iam meio que pastoreando o grupo, sempre com uma bandeira para termos referencia, ia também dando força para os que estavam com mais dificuldades de subir e até que deram um tempinho bacana para todos poderem subir cada um ao seu tempo e tempo lá em cima para fotos e ficar olhando aquela beleza toda, pois além da vista da montanha colorida, lá no topo vc tem uma vista do vale a de vários picos nevados que é simplesmente inacreditável e indescritível … só indo mesmo para saber!!!!
    Dica super importante realmente é respirar da maneira correta…na volta/descida que é muito mais fácil nós viemos o caminho todo praticamente conversando com um outro casal de brasileiros e por conta do bate-papo mais euforia de ter conseguido chegar ao topo, nós nos esquecemos de respirar da maneira certa e aí ganhamos uma dorzinha de cabeça kkkkk ao contrário da subida que não tivemos nenhum sintoma de soroche (apenas o cansaço mesmo por conta da caminhada+altitude, mas nada de anormal)…então realmente mesmo na volta que é mais fácil, lembrar de respirar é fundamental.
    Nós também fomos equipado com água, gatorade, barrinha de cereal e banana…ajuda bastante para ser manter hidratado e com energia!!!
    Chegando de volta ao povoado tivemos aquele super almoço, muito gostoso também, valeu super a pena!! Lugar simples, mas com uma comida deliciosa (ou a fome era grande também kkkkkkkkk). Depois a parte “mais chata” foi encarar as 4 horas de volta para Cusco…mas de boa, dá para dar umas cochiladas e ainda sair a noite em Cusco para comer uma pizza e tomar Pisco + Cusqueña para comemorar o dia!!! kkkkk

    Enfim, aconselho muito quem tiver oportunidade de ir…tem que ir realmente com espírito livre no modo aventureiro ativado e saber que você terá stress físico e emocional, mas que tudo será muito recompensado pela experiência inacreditável!!!

    Segue duas fotos para comprovar o feito kkkkkkkk

    Abraço,
    Lucas

  12. Olá Lucas!! Muito obrigado por voltar aqui e dar o seu depoimento!
    Nos alegra muito que tenha dado tudo certo e que tenham curtido o passeio, ainda mais que o céu tenha limpado na hora certa!
    Sem dúvidas um guia bom é fundamental. Percebemos isso na 69 – se não fosse o guia, muitos do nosso grupo teriam desistido.
    Só as fotos que não apareceram. Se quiser, pode subi-las para a nossa página no face, aí vemos lá! 🙂

    Abração!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *