Conhecendo Granada – a bela cidade colonial da Nicarágua

Com belas construções coloniais e uma fervilhante cultura latina, Granada é a Nicarágua em seu estado puro.

Quer conhecer este país? Não deixe de visitá-la. Está pertinho da capital!

Câmbio oficial (abril/2017)
1 real = 9,40 córdobas
1 dólar = 29,80 córdobas

Granada, Nicarágua
Granada, vista do topo da torre da Iglesia de la Merced

Fundada em 1524, Granada ostenta o título de ser a mais antiga cidade de descendência europeia instalada na América. Diferente das outras que também reivindicam este título, Granada foi a primeira a deixar de ser um mero assentamento durante a conquista e foi registrada como “cidade” nos registros oficiais da Espanha.

Atualmente, Granada tem pouco menos de 150 mil habitantes, e é uma das mais belas cidades coloniais que já visitamos. Além da beleza arquitetônica, os tours para o belíssimo vulcão Masaya tornam este um dos destinos turísticos mais preciosos da Nicarágua.

Chegando e saindo

Granada está a apenas 1h de Manágua, a capital da Nicarágua. Uma passagem de ônibus entre as duas cidades custa 29 córdobas.

Para ir a Rivas, o custo é de 32 córdobas, e o deslocamento dura pouco mais de 1h30min.

Granada não possui um terminal de ônibus, mas todos os ônibus saem de garagens que estão a curtas distâncias de caminhada a partir da praça central.

Centro Histórico de Granada, Nicarágua
Centro Histórico de Granada

Onde se hospedar?

Nós ficamos no excelente hotel Full Moon (https://www.facebook.com/HotelFullmoon), muito bem localizado e com uma ótima piscina para se refrescar no fim de um dia de passeio. O valor de um quarto de casal, com ar condicionado (muito importante, pois na cidade faz muito calor), televisão e banheiro privado é de 60 dólares (embora seja possível conseguir bons descontos no booking). Se quiser reservá-lo e buscar promoções, clique aqui.

Para quem viaja em modo econômico, os hostels mais simples do centro cobram 5 dólares por uma cama em um quarto compartilhado (sem ar).

Onde comer?

Para comer um vigorón (a comida típica de Granada, composta basicamente por toucinho, mandioca e salada), o melhor lugar para almoçar é nos quiosques da praça central. Os pratos ali (tanto este quanto outros menus) ficam entre 100 e 200 córdobas. Se quiser algo mais barato, há umas senhoras que vendem marmitas por 40 córdobas.

Pela rua La Calzada também há diversos bares e restaurantes turísticos, com preços parecidos com os praticados nos quiosques da praça.

Almoço de Granada
Carne com “gallo pinto” (arroz e feijão). Sai por 100 córdobas na praça central

Conhecendo Granada

Granada é uma cidade pequena e fácil de ser conhecida a pé. A maioria dos hotéis, restaurantes e atrações estão no centro histórico.

Se não quiser caminhar tanto, é possível fazer um passeio de charrete pelos principais pontos turísticos (costumam cobrar entre 10 e 15 dólares por pessoa).

Mapa turístico de Granada
Charretes de Granada
Charretes de Granada

Alguns lugares imperdíveis na cidade são:

  • Catedral Nossa Senhora da Assunção

Seu primeiro templo foi erguido em 1525. Com o passar dos anos, a igreja foi destruída e reconstruída várias vezes. A edificação atual foi inaugurada em 1910, mas só foi totalmente concluída em 1972.

Facilmente reconhecida de qualquer canto da cidade, esta é a igreja mais imponente de Granada. Está localizada em frente à praça central, e suas portas estão quase sempre abertas. É possível visitá-la gratuitamente, e subir ao mirante do segundo andar por 1 dólar.

Catedral de Granada, Nicarágua
Catedral de Granada, Nicarágua
  • Igreja de la Merced

Outra igreja imponente, originalmente construída em 1534. Pelo lado de fora, a edificação até parece abandonada, mas basta ingressar para ver que seu interior está impecavelmente restaurado.

Por 1 dólar (ou 30 córdobas) é possível subir à torre da igreja, de onde se tem uma vista espetacular de Granada. Se possível, veja o pôr do sol lá de cima.

Igreja de La Merced, Granada
Igreja de La Merced
  • Calle La Calzada

Bastante turística, é nesta rua que estão os principais restaurantes e várias agências de turismo da cidade. Vale a pena tomar uma cerveja por aqui no fim da tarde, quando o sol já não estiver tão forte.

Calle la Calzada, Granada
  • Lago Cocibolca

Seguindo a rua La Calzada até o fim, você chegará ao Lago de Nicarágua, também chamado de “Cocibolca”. A vista não chega a ser surpreendente, mas se tiver um tempo livre vale a pena dar um pulo por lá.

Ao fundo, o lago Nicarágua
  • Café de la Sonrisa

Localizado na Calle Real Xalteva, entre a Iglesia de la Merced e a praça central, este simples café tem uma peculiaridade muito interessante: seus atendentes são todos surdos.

Além de aprender um pouco sobre a língua dos sinais, você terá a oportunidade de vivenciar um pouco da dificuldade de comunicação a que estas pessoas estão sujeitas.

Felizmente, todas estas dificuldades se resolvem com uma linguagem universal: a do sorriso! 🙂

Café La Sonrisa, em Granada
Café La Sonrisa
  • Tour a Las Isletas

Tour bastante popular na cidade, é um passeio de umas duas horas em barco por algumas das centenas de ilhas que existem nos arredores de Granada. Dentre as atrações, é possível ver inúmeras plantas diferentes, pássaros e até macacos.

Este passeio costuma sair por 15 dólares por pessoa, mas é possível consegui-lo por uns 10 procurando agências que já tenham um grupo formado.

O Masaya é um vulcão que está a poucos quilômetros de Granada, e dentro da sua cratera é possível ver lava (pela noite o espetáculo é ainda mais impressionante).

Você pode visitá-lo em um tour (entre 20 e 25 dólares) ou por conta própria. Para ver mais detalhes sobre este passeio, leia nosso post completo aqui.

Vulcão Masaya - Nicarágua
Nós em frente à cratera do vulcão Masaya!

É isso pessoal! Espero que tenham gostado de conhecer esta bela cidade.

Para mais dicas legais e acompanhar nossa viagem pelo mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

5 comentários sobre “Conhecendo Granada – a bela cidade colonial da Nicarágua

  1. Eita Renan, craque nas postagens acredito junto com a esposa, agora sobre as charretes evitem usá-la devido os cavalos, coitados dos bichinhos.Abração pra vcs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *