Cueva de las Manos – visitando um sítio arqueológico da UNESCO

Descendo a lendária Ruta 40 argentina, está um pequeno e pouco conhecido Patrimônio da Humanidade, que muitas vezes é esquecido pelos viajantes que seguem este caminho. Aqueles que decidirem visitá-lo serão presenteados com uma paisagem de tirar o fôlego e vão aprender um pouco da história da região.

Referência:

1 real = 3,40 pesos argentinos (jan 2016)

Há vários lugares com pinturas rupestes pela região da patagônia, sendo este o mais importante e o mais bem conservado de todos.

Cueva de las Manos - Patrimônio da UNESCO
Cueva de las Manos – um Patrimônio da Humanidade pela UNESCO

Por ali há várias pinturas nas paredes, principalmente de mãos, mas se pode encontrar imagens de pessoas e alguns animais também. Estima-se que a criação destas imagens data de cerca de 10 mil anos atrás.

A forma como elas foram feitas é bastante simples: a pessoa colocava a mão na pedra e soprava uma tinta sobre ela, deixando a marca de um negativo na parede.

Não se sabe muito bem o que estas mãos representam. O guia falou que era uma forma de mostrar que eles eram donos da região, mas não acreditamos muito nesta história. Para mim, era mais uma brincadeira dos nossos antepassados mesmo.

Além das figuras nas pedras em si, o lugar fica em um belo vale, e só a natureza da região já vale a visita.

Belo vale perto da Cueva de las Manos
Além das pinturas, a beleza da região já vale a visita.

Curiosidades:

-A maioria absoluta das marcas são da mão esquerda. Os historiadores acreditam que usavam um pequeno canudo para soprar a tinta, manipulado com a mão direita. As poucas marcas da mão direita teriam sido feitas por canhotos.

-Há uma mão com 6 dedos em uma das paredes. Se passar por lá, tente encontrá-la.

-Há patas de animais e mãos de crianças marcadas por lá também.

Desenhos na Cueva de las Manos
Além das mãos, é possível encontrar gravuras que representam humanos e animais também.

Como chegar:

Para quem estiver de carro ou moto, a entrada mais fácil está próxima à pequena cidade de Bajo Caracoles. A partir dali são cerca de 50km de estrada de terra, mas não precisa de 4×4 para chegar lá.

Há outras entradas mais ao norte, mas estas exigem (ou pelo menos se recomenda) um 4×4. Estas entradas te deixam do outro lado do vale, e você precisa caminhar cerca de 1h para chegar à entrada do parque.

Para quem for de excursão, os ônibus partem da cidade de Perito Moreno. Não adianta ir até Bajo Caracoles porque esta cidade tem apenas umas 5 casas, um hotel/restaurante/supermercado/posto de gasolina caríssimo e dois campings desativados.

As excursões são caras (em torno de 800 pesos por pessoa e não incluem a entrada no parque).

Para quem estiver em economia de guerra (como nós), pode tentar uma carona até a entrada próximo de Bajo Caracoles (fica a cerca de 1km ao norte desta cidade). Não há muito movimento por ali, mas o segundo carro que passou já nos levou na carroceria. Combine com o motorista de te trazer de volta também, senão vai ficar lá no meio do nada.

Se ficar tarde, você pode caminhar até Bajo Caracoles e acampar por ali, ou ficar no hotel caro (não há camping, mas não tem problema acampar na natureza). No posto de gasolina há uma torneira onde você pode se abastecer com água.

Preços:

160 pesos para brasileiros, com visita guiada em espanhol (não é possível fazer visita sem guia).

Excursões a partir de Perito Moreno saem em torno de 800 pesos e não incluem a entrada.

Para maiores informações, visite o site oficial do local:

http://www.cuevadelasmanos.org/

Está mochilando pela Argentina? Meia mais informações do país aqui.

Quer mais dicas de viagens? Curta nossa página no face! 🙂

www.facebook.com/mundosemfimoficial

3 comentários sobre “Cueva de las Manos – visitando um sítio arqueológico da UNESCO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *