Visitando a colorida Guatapé e a Piedra del Penol – Colômbia

De todas as cidades coloniais que já visitamos, Guatapé é, sem dúvidas, a mais colorida. Além da beleza da cidade, a vista da represa que a rodeia é sensacional. Se for a Medellín, sem dúvidas deve dar um pulo aqui!

Câmbio oficial (outubro/2016)
1 real = 930 pesos colombianos
1 dólar = 2910 pesos colombianos

Ruas coloridas de Guatapé.
Ruas coloridas de Guatapé.

Conhecida como a “cidade dos zócalos” (desenhos em relevo nas paredes das casas), esta pequena cidade certamente te deixará encantado. Além da beleza colonial, a enorme represa que a banha oferece visuais fantásticos, além de passeios de barco, jet-ski e diversos outros esportes aquáticos.

Não é a toa que diversos milionários, entre eles o jogador de futebol James Rodríguez e o falecido traficante Pablo Escobar escolheram esta região para construir suas casas!

Detalhe dos "zócalos" nas paredes de Guatapé
Detalhe dos “zócalos” nas paredes.

História de Guatapé

Esta região era habitada desde antes da chegada dos espanhóis, por grupos indígenas de diversas etnias, algumas delas comandadas por um cacique chamado “Guatapé”, de onde foi tirado o nome da cidade.

A cidade colonial de Guatapé foi fundada somente em 1811, e hoje é uma das mais coloridas (se não a mais) da Colômbia. Sua população é de pouco mais de 5 mil habitantes.

Na década de 1970, o governo de Medellín construiu uma enorme hidroelétrica, que acabou inundando mais de 2 mil hectares da região.

Apesar da beleza da represa, ela teve um grande impacto na agropecuária da região, e chegou, inclusive, a inundar completamente a antiga cidade de Peñol (que foi reconstruída em outro lugar).

Hoje, Guatapé vive basicamente do turismo, e conta com vários hotéis e restaurantes excelentes.

Escadaria colorida de Guatapé
Escadaria colorida de Guatapé

Como chegar a Guatapé?

Guatapé está a 79km de Medellín, e há ônibus de hora em hora ligando estas duas cidades por 13 mil pesos. Desde Medellín, os ônibus saem do terminal norte, próximo à estação de metrô Caribe. O trajeto dura cerca de 2h30min.

Também há tours de 1 dia pra lá, no valor de 69 mil pesos (não incluem a subida ao Peñol).

Hospedagem

Muitas pessoas fazem bate-volta, mas vale a pena dormir pelo menos uma noite em Guatapé, para poder apreciar melhor suas ruas e sua excelente culinária.

De uma forma geral, os preços por aqui são um pouco mais caros que os de Medellín. Nós ficamos em um hotel excelente, dentro de uma bela casa colonial, a meia quadra da praça, chamado El Descanso Del Arriero (http://www.hoteleldescansodelarriero.com/), com TV, café-da-manhã e água quente (isso é muito importante, porque aqui faz frio e vários não tem!).

Hotel em Guatapé
Belo hotel colonial onde nos hospedamos!

Quer reservar seu hotel por lá? Reserve por aqui, e ajude nosso site a continuar no ar! 😀



Booking.com

Onde comer?

Pela avenida à beira do lago, ou nos arredores da praça, há diversos restaurantes, servindo menus a partir de 8 mil pesos.

O que fazer em Guatapé?

Além de curtir a beleza da cidade e aproveitar seus restaurantes e lojas de artesanato, há diversos passeios na região, como trilhas, cavalgadas, esportes aquáticos, etc.

Aqui descrevemos dois imperdíveis:

Piedra del Peñol

Com uma das melhores vistas da Colômbia, a Piedra del Peñol te dá uma visão panorâmica de toda a represa. Para chegar lá em cima, é preciso subir uma escadaria de 740 degraus (e mais alguns até a entrada, caso parta caminhando da estrada).

Vista da Piedra del Peñol
Vista da Piedra del Peñol

A Piedra del Peñol está a uns 5km de distância de Guatapé. Para chegar até lá, as alternativas são:

  • A pé – cerca de 1h caminhando até a base.
  • Moto-táxi – cobram 10 mil o trecho e te deixam na portaria. Há moto-táxis por todos os lados em Guatapé.
  • Caminhonetes – cobram apenas 1700 por pessoa, mas te deixam na estrada. A partir dali é preciso caminhar uns 20 minutos de subida até a bilheteria. As caminhonetes partem da praça, da rua oposta a da igreja.

    Escadaria de 740 degraus para chegar ao topo da Pedra do Peñol!
    Escadaria de 740 degraus para chegar ao topo da Pedra do Peñol!

A entrada para a Piedra del Peñol custa 15 mil pesos, e a partir da bilheteria há uma escadaria enorme. O tempo médio para subir até o mirador é de 40 minutos.

Lá em cima há banheiros, bares e lojas de artesanato.

Cansativo, mas a vista compensa!

Uma dica: quando descer, desça até a estrada e caminhe mais uns 10 minutos por ela até chegar à ponte. Dali se tem uma ótima vista da enorme pedra, que parece o Pão de Açúcar! Na ponte, acene para qualquer moto ou caminhonete que passar para voltar a Guatapé.

Bela vista de Piedra del Peñol, a partir da ponte.
Bela vista de Piedra del Peñol, a partir da ponte.

Passeio em barco

Um passeio de barco, que dura pouco mais de 1 hora, te leva a conhecer melhor a represa, e a ter boas vistas da Piedra del Peñol e da casa dos milionários que vivem por ali. Dentre elas, se destaca a do jogador de futebol James Rodríguez e as inúmeras residências que pertenciam a Pablo Escobar.

Falando em Escobar, uma das que chama a atenção é um conjunto que está totalmente destruído. Segundo nos contou nosso barqueiro, ela foi dinamitada pelo cartel de Cali, durante a guerra do tráfico. É possível visitar estas ruínas por 5 mil pesos.

Antigas residências de Pablo Escobar em Guatapé, atacadas pelo Cartel de Cali.
Antigas residências de Pablo Escobar, atacadas pelo Cartel de Cali.

Seguindo mais adiante, chegamos ao local onde ficava a antiga cidade de Peñol, que foi totalmente submersa pela represa. Em meio às águas, é possível ver uma torre e a cruz da igreja que ficava ali.

Esta torre não é original. O que aconteceu foi que, durante a demolição da cidade, o pessoal que vivia ali pediu para que as torres da igreja não fossem derrubadas, para poderem prestar suas orações. O pessoal da demolição não atendeu ao pedido e dinamitou tudo. Os moradores, então, construíram uma torre nova, para que pudesse ser lembrada depois da inundação.

Réplica da torre da igreja de Peñol
Réplica da torre da igreja de Peñol

Na região há uma casa, original, que sobreviveu por ficar em cima de um cerro. Esta casa foi convertida em um museu, com fotos e alguns objetos da antiga cidade. A entrada ao museu custa 1000 pesos, e um guia te pedirá uma pequena gorjeta ao final do recorrido (1000 pesos de gorjeta é um bom valor).

Esta casa pertencia a um médico, que era muito querido na região por atender pessoas pobres sem cobrar. Ele foi assassinado a tiros na porta de casa. Acredita-se que quem encomendou o assassinato foi um outro médico da região, que não concordava com seus atendimentos gratuitos.

Mansão colonial, única casa sobrevivente de Peñol
Mansão colonial, única casa sobrevivente de Peñol

O passeio de barco, privado, custa 90 mil (chorando consegue por 80), e leva até 5 pessoas. Se quiser ir em um passeio coletivo, custa 15 mil por pessoa (até 7 pessoas). Para ir no coletivo, a dica é descer até onde estão as lanchas e procurar uma que já esteja enchendo. Na rua, várias pessoas vão te oferecer e dizer que já estão perto de sair, mas só vão sair quando conseguirem encher suas lanchas (o que pode demorar o dia todo).

Mansão pertencente ao jogador de futebol James Rodriguez
Mansão pertencente ao jogador de futebol James Rodriguez

É isso pessoal! Esperamos que tenham curtido a dica deste lugar.

Também nos falaram bem de San Rafael e Rio Claro, outras cidades a poucos quilômetros daqui. Pena que ficamos sabendo quando já estávamos se saída, aí não pudemos visitá-las. Mas fica a dica!

 

Para mais dicas legais e acompanhar nossa viagem pelo mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

3 comentários sobre “Visitando a colorida Guatapé e a Piedra del Penol – Colômbia

  1. Bom dia…
    Sabe a partir de que horas tem onibis partindo de Medellin? E para voltar é só seguir até guatapé e pegar mesmo onibus de volta?

    Desde ja agradeço.
    Att.

    1. Olá Leonardo!
      Não sei te dizer com certeza, mas começa cedo, se não me engano as 6h. O ônibus pode te deixar na pedra do Peñol ou no terminal de ônibus de Guatapé (que na verdade nada mais é que uma pequena garagem).
      Da pedra do Peñol dá pra ir caminhando até Guatapé ou pegar um moto-táxi.
      Para voltar para Medellín é só pegar o ônibus no mesmo terminal. Se estiver na Pedra do Peñol e acenar para algum ônibus que esteja passando ele para também, mas aí você provavelmente vai ter que ir em pé. Se pegar no terminal vai sentado numa boa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *