Tudo sobre Pai – o paraíso natural no norte da Tailândia

Para aqueles que querem fugir um pouco do agito das praias do sul e do calor de Bangkok, Pai é um pequeno paraíso escondido entre as selvas do norte da Tailândia. Muita gente vem para cá pensando em passar 3 dias e acaba ficando 1 mês.

Quer um pouco de sossego? Venha para Pai!

Câmbio oficial (nov/2018)
1 real = 8,80 bahts
1 dólar = 33 bahts
1 euro = 37,60 bahts

Vista panorâmica de Pai
Vista panorâmica de Pai

Pai tem tudo o que os amantes da natureza buscam: cachoeiras, trilhas, cânions, rios para praticar rafting, termas e muito mais. Se quer sossego, hospede-se em uma das inúmeras opções de cabanas entre as montanhas e relaxe. Quer conhecer novas pessoas? Os bares do centro oferecem opções para todos os gostos. Quer comer bem? O que não faltam são restaurantes, e em alguns você pode até se aventurar em fazer um curso de culinária. Quer massagem? Tem. Templos budistas? Tem também. Ioga? Claro que sim.

Enfim, não importa se você é mochileiro ou um viajante mais luxuoso: Pai com certeza vai te agradar!

Como chegar?

Pai está a cerca de 3 horas de van de Chiang Mai. As vans saem de hora em hora (às vezes até em intervalos de meia hora, dependendo da demanda) e custam 150 bahts (R$17). Elas partem do Terminal Arcade, no nordeste da cidade (fica a uns 3 quilômetros da estação de trem). É possível comprar a passagem com antecedência para reservar um bom lugar.

Dizem que antes havia um ônibus que fazia o mesmo trajeto por 75 bahts, mas aparentemente não funciona mais.

A estrada entre Chiang Mai e Pai é bastante sinuosa (tem mais de 700 curvas). Muitas pessoas passam mal no caminho, portanto tomar um remédio para enjoo antes de sair pode ser interessante.

Vans Chang Mai - Pai
Vans que fazem a rota Chiang Mai – Pai

Muita gente opta por chegar ou sair de Pai de carona. Nós não chegamos a tentar, mas aparentemente a prática funciona bem por estes lados.

Hospedagem

O agito de Pai se concentra em seu centro minúsculo, mas a maioria das pessoas opta por buscar hospedagens que estão um pouco mais distantes. Basta se afastar 1 ou 2 quilômetros do centro que a relação custo x benefício melhora muito, além de te permitir dormir tranquilo e em silêncio.

Há opções para todos os bolsos. Se você busca algo mais refinado, recomendamos o Belle Villa Resort. Este quatro estrelas é um dos hotéis mais luxuosos da região. As melhores opções aqui são os chalés (na faixa de 75 dólares por dia), que são amplos e bem confortáveis. Ideais para quem viaja em família ou em casal. No hotel tem piscina, um ótimo restaurante e bar. Oferecem transporte gratuito para ir e voltar do centro.

Se quiser reservar um quarto neste hotel, pode fazer a reserva por aqui.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para quem viaja em economia extrema, uma das opções mais baratas são os chalés do Tony. Os quartos são meio espartanos e o banheiro é na companhia de centenas de insetos, mas um casal pode passar a noite lá pagando 6 dólares por dia.

Clima

Dizem que, no inverno, faz bastante frio em Pai pela noite. Nós fomos em novembro e fazia bastante calor de dia, mas as noites eram confortáveis (precisamos até de cobertores, algo que há muito tempo não usávamos!).

A época de chuvas é de maio a meados de outubro.

Calendário de chuvas em Pai
Temperatura média em Pai durante o ano

Os dados foram obtidos no site Weather Spark.

Como se deslocar

  • Alugando scooter

As atrações mais bacanas de Pai estão nos arredores da cidade, o que torna interessante alugar uma scooter. Com 150 bahts (R$17) você aluga uma scooter básica por 24h, e com 200 bahts já consegue uma com mais potência. Uma experiência bacana também pode ser alugar uma com side car; estas saem por 400 bahts.

Se você é econômico, procure bem que encontrará scooters em em piores condições por até 100 bahts (R$11,50). Nós alugamos uma destas. Penamos um pouco em algumas subidas, mas deu para conhecer tudo.

As agências que alugam geralmente pedem um depósito de 2000 bahts ou o passaporte, mais 100 bahts de depósito por capacete. Embora não tenhamos lido relatos de golpes na região, convém fotografar os arranhões da moto antes de retirá-la, só por via das dúvidas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nós alugamos a nossa na agência Aya (fica a poucos metros da parada das vans) e foi tudo em ordem.

Não é preciso ter habilitação para pilotar scooters em Pai, mas recomendamos que use sempre o capacete. A população local não costuma usar, mas estrangeiros podem ter problemas caso sejam parados pela polícia pilotando sem capacete.

  • Tours

Se você não está com vontade de alugar uma moto, a opção é pegar um tour: existem várias agências pelo centro da cidade que vendem excursões de 1 dia pelos principais destinos da região. É só escolher a combinação que mais lhe agrade.

Estes tours saem na faixa de 400 a 500 bahts (46 a 57 reais) por pessoa.

  • Táxi

Outra opção é ir de táxi para os destinos. Os táxis em geral cobram na faixa de 100 bahts por pessoa para visitar uma cachoeira ou o cânion. Convém negociar antes como vai ser a volta (geralmente eles esperam, se a visita for rápida).

  • Bicicleta

As agências alugam bicicletas simples por 50 bahts ou mountain bikes por 100-150 bahts por dia. Tem gente que consegue visitar as cachoeiras, o cânion e as termas pedalando, embora só recomendamos para aqueles que estejam em boa forma. Há muitas subidas pesadas pelo caminho, e o sol judia bastante.

  • A pé

Se você vai a Pai para relaxar por alguns dias, e tudo o que quer é curtir seus bares ou bons restaurantes, pode fazer tudo a pé mesmo. O centro é minúsculo, e a maioria dos hotéis está a no máximo 20 minutos de caminhada.

Foi basicamente o que fizemos: alugamos a moto um dia e nos dias seguintes curtimos a cidade a pé.

Comer e beber

Todos os dias, das 18h às 22h, acontece uma feira nas duas principais ruas do centro de Pai (também chamadas de walking streets). A comida vendida pelas barraquinhas é da mais variada e os preços são bons. Se preferir um restaurante, há inúmeras opções. Você pode jantar em um lugar simples por apenas 35 bahts (R$4), e por uns 100 bahts já consegue comer em um lugar mais sofisticado. Por 200 bahts já dá para comer em um buffet no estilo “coma à vontade”.

Os bares também são abundantes, e há opções de pop, reggae, rock e às vezes até de música latina. Alguns oferecem festa na piscina. Uma cerveja ou drink nesses bares fica na faixa dos 80 a 120 bahts.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os mais econômicos preferem comprar no 7-Eleven e beber na rua. Vale lembrar que, embora as autoridades façam vista grossa em Pai, beber na rua é considerado crime gravíssimo na Tailândia, podendo ser punido com prisão. Uma dica econômica e dentro da lei é beber no mercado que tem ao lado do templo Wat Pa Kham – ele tem umas mesinhas do lado de fora e vende cervejas de 600ml a partir de 58 bahts (R$ 6,60).

O que fazer?

Além de curtir a tranquilidade dos chalés ou o agito noturno do centro, aqui estão alguns destinos imperdíveis em Pai (todos eles podem ser facilmente encontrados no Google Maps):

  • Pai Canyon

Este cânion é, segundo os tailandeses, sua resposta ao Grand Canyon. Embora a comparação seja um tanto forçada, o cânion de Pai é muito bonito e oferece boas vistas para o pôr do sol. Há várias opções de trilhas lá dentro, algumas até que exigem pequenas escaladas.

As trilhas mais básicas são fáceis e podem ser feitas com crianças, mas é recomendável ficar de olho nelas o tempo inteiro, já que os barrancos são íngremes e não oferecem proteções.

Apesar de muita gente fazer as trilhas de chinelos ou descalço, ter um bom calçado é recomendável.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não se paga nada para visitar o cânion.

  • Ponte da Segunda Guerra

Esta ponte está logo na entrada de Pai, pertinho do cânion. A história que contam é que, durante a Segunda Guerra Mundial, os japoneses construíram aqui uma ponte de madeira para facilitar os ataques ao Myanmar. A guerra terminou e a ponte foi destruída. Como a antiga ponte era necessária para os moradores da região, eles mesmo reconstruíram uma ponte nova. Mas esta acabou sendo derrubada em uma forte chuva. O governo da Tailândia teria então deslocado para lá uma ponte de ferro (construída durante a guerra em outra região), restabelecendo o acesso a Pai e aos arredores. Sendo assim, a ponte atual, apesar de não ser a original, é uma ponte autêntica da Segunda Guerra.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lemos relatos de alguns historiadores contestando esta versão. Segundo eles, a ponte atual é só uma ponte de ferro qualquer, não tendo relação nenhuma com a Segunda Guerra. Seja como for, a ponte rende boas fotos.

É possível cruzá-la a pé. Não se paga nada pela visita.

  • Cachoeiras

Há uma infinidade de cachoeiras pela região. As duas mais famosas são a Pombok (ou Pam Bok) e a Mo Paeng, e ambas são gratuitas.

A Mo Paeng tem uma poça pequena para se banhar. Sua grande atração é pelo fato de formar uma espécie de tobogã natural na pedra. Não lemos relato de que alguém tenha se machucado por aqui, mas mesmo assim recomendamos cautela, pois a descida é íngreme e o lugar onde você cai não é muito fundo.

A cachoeira de Pombok fica cercada por dois paredões de pedra, formando um cenário muito bonito. Há bons pontos de salto por aqui (verifique sempre a profundidade antes de saltar).

Cachoeira de Pam Bok
Cachoeira de Pombok, Pai

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Termas

Não encaramos as termas porque fazia muito calor quando visitamos Pai, mas são opções bem interessantes para as épocas mais frias.

A terma mais famosa é a Tha Pai Hot Springs, dentro do Parque Nacional Huai Nam Dang. É cobrada uma taxa de entrada de 300 baht por pessoa, mais 20 bahts para se banhar e mais 20 bahts pela moto. Muitos dizem que não vale o preço.

Havia uma opção gratuita, chamada Sai Ngan (também conhecida como Secret Hot Springs). Infelizmente hoje ela já não é tão secreta assim, e recentemente começaram a cobrar uma taxa de entrada de 40 bahts. Ainda assim é bem mais econômica, e dizem que ela é mais bonita que a do parque nacional.

  • Vilas Chinesas

Há muitas vilas chinesas nos arredores de Pai. Nós visitamos a Yunnan, que fica no caminho para a cachoeira de Mo Paeng. A vila é minúscula, mas bem interessante: além de oferecer restaurantes com comidas típicas e lojas de artesanato, há também locais para você praticar tiro ao alvo com arco e flecha (custava 100 bahts; não entendemos quantas flechas dava direito), uma curiosa roda-gigante de madeira (25 bahts por pessoa), aluguel de roupas chinesas para tirar fotos (100 bahts) e uma réplica de um pedaço da Muralha da China.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A visita à vila é gratuita. Se quiser seguir estrada acima, chegará a um mirante (entrada: 20 bahts).

  • Ponte de Bambu e Arrozais

Cerca de 2 km depois da cachoeira de Pombok há uma ponte de bambu sobre plantações de arroz. É um passeio bem interessante, principalmente se você ainda não viu arrozais no sudeste asiático.

Não se paga nada para visitar a plantação, mas se quiser andar sobre a ponte terá que pagar 30 bahts (R$ 3,40) de entrada.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Estátua do Buda Branco

Esta estátua está sobre um pequeno cerro e pode ser vista de quase todos os pontos da cidade. Pela noite a estátua fica com uma iluminação muito bonita.

É possível subir até lá, fazendo parte do trajeto em veículo e a outra parte por uma escadaria. A estátua oferece belas vistas da região.

Na parte de baixo da escadaria há um pequeno templo budista com bonitos desenhos na parede, representando o paraíso e o inferno budista.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não se paga nada para visitar o local. É preciso estar com roupas adequadas (ombros cobertos e calça ou saia até pelo menos a altura dos joelhos). Se não tiver vestido corretamente, pode alugar uma saia na entrada.

  • Boia cross

Quase todas as agências oferecem o passeio de descer o rio em boias feitas com as câmaras de caminhões. Passeio divertido e relaxante para os dias de calor (lembre-se de passar bastante protetor solar!).

A brincadeira custa entre 150 e 200 bahts (17 a 23 reais) e inclui o transporte.

Algumas agências oferecem também rafting, mas não chegamos a ver quanto custa.

  • Lod Spirit Cave

Não chegamos a visitar, mas é um destino bastante recomendado por outros viajantes. Está a cerca de 35 quilômetros de distância de Pai.

Trata-se de uma caverna ampla e repleta de estalactites e pinturas nas paredes. Parte do circuito lá dentro é feito em jangadas de bambu.

Lod Cave. Direitos da imagem: Visions of Domino [CC BY 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons

Os guias cobram 150 bahts (R$ 17) por grupo (de até 3 pessoas). Além disso, é preciso pagar 400 bahts (R$ 46) pela jangada de bambu (ida e volta) ou 300 bahts (vai de jangada e volta caminhando).

  • Massagem e culinária

Há diversas casas de massagem em Pai. Se você quer receber uma autêntica massagem tailandesa, os preços ficam entre 150 e 250 bahts a hora.

Outra atividade que faz bastante sucesso são os cursos de culinária. Este curso, que dura 1 dia, custa ao redor de 800 bahts (R$92), e é oferecido em vários restaurantes e agências. Costumam ensinar a preparar sete dos principais pratos típicos da Tailândia.

O que deve ser evitado

Os passeios para ver elefante se tornaram muito populares em Pai. Infelizmente este tipo de turismo está acabando com estes animais. Já praticamente não existem mais elefantes selvagens na Tailândia, e todos os dias mais e mais destes animais estão sendo trazidos do Myanmar, só para satisfazer a vontade dos turistas.

Se você gosta de elefantes, não vá vê-los. Muitas agências vêm disfarçadas de “santuários”, mas não passam de centros de exploração animal. Outras podem até ter boa intenção e tratar bem os animais, mas indiretamente estão colaborando com a sua extinção. A única forma de acabar com isso é acabando com este tipo de turismo. Sem turistas, não há exploração animal.

Outra atividade controversa na região é a visita às famosas “mulheres girafa”. São aquelas mulheres que colocam argolas no pescoço para ficarem pescoçudas. Isso fazia parte da tradição de alguns povos do sudeste asiático. A justificativa é que as argolas as protegiam do ataque de tigres, e futuramente isso se tornou parte dos padrões de beleza destes povos.

Enquanto tradição, a prática deve ser respeitada. Porém, o excesso de turistas querendo ver estas mulheres está transformando a prática em um grande circo. Cada vez mais e mais mulheres são submetidas a este tratamento com o único objetivo de ganhar uns trocados para aparecer nas fotos. Não contribua com isso.

Mulher girafa em Pai
Estátua de uma “mulher girafa”

É isso, pessoal! Não deixem de conhecer este lugar maravilhoso enquanto estiverem viajando pelo norte da Tailândia.

Para mais dicas bacanas, acompanhem-nos em nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *