Tudo sobre Cusco – a capital do Império Inca

Cusco muitas vezes é só um ponto de parada para quem quer ir a Machu Picchu, mas esta belíssima cidade, declarada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, tem muito mais a oferecer. Confira aqui tudo sobre a nossa passagem em Cusco!

Referência (jun/2016)

1 real = 0,88 soles
1 dólar = 3,31 soles
(valor praticado pelas casas de câmbio em Cusco)

História

Cusco vem do quechua Qosqo, que significa “umbigo”. Os incas a batizaram desta forma porque acreditavam que esta região era o umbigo do mundo.

As lendas atribuem a fundação desta cidade ao inca Manco Capac, que teria recebido um sinal do deus Sol para conquistar o lugar e fundar aí a capital do Império Inca. O lugar era tão importante que poderia ser comparado ao Vaticano para os cristãos ou a Meca para os muçulmanos. O templo principal dos incas ficava em Cusco (onde atualmente está o museu Qoricancha), e era comum que os templos nas outras cidades fossem construídos virados à Cusco.

Ruas de Cusco
Caminhar pelas vielas de Cusco já é um passeio fascinante

A cidade estabeleceu-se como capital do Império Inca em meados do século XII, mas estudos indicam que a região já era habitada há mais de 3 mil anos. Isso faz dela a cidade continuamente habitada mais antiga da América.

Um fato interessante é que Cusco tinha a forma de um puma; animal que, segundo a crença inca, teria dado origem aos humanos. Hoje, com mais de 300 mil habitantes e um crescimento descontrolado, esta forma já se perdeu faz tempo.

Cusco ou Cuzco?

A forma certa de escrever o nome da cidade é com “s”. Há muita confusão porque os espanhóis a batizaram com “z”, mas o governo peruano oficializou “Cusco” como sendo a forma correta.

Cusco vista do Monumento a Pachacuteq
Cusco vista do Monumento a Pachacuteq

Rodoviária

A rodoviária de Cusco fica a uns 40 minutos caminhando a partir do centro, ou uns 5 minutos em táxi. Esta é a porta de entrada/saída para a maioria das pessoas que está mochilando pela região.

Para embarcar nesta rodoviária, além da passagem, é preciso pagar uma taxa de 1,30 soles, pagos em um guichê separado. Esta taxa, teoricamente, te dá direito a usar o banheiro do segundo andar, mas este está sempre fechado…

Um ônibus semi-cama para Puno sai por volta de 30 soles (7 horas), e um para Nasca vai custar em torno de 70 soles (13 horas).

Se chegar pela rodoviária e for pegar um táxi, fique esperto: os táxis que saem lá de dentro cobram 10 soles para levar até a Plaza de Armas. Se caminhar até a rua, os preços já caem para 4 soles.

Há ônibus por 0,70 soles (procure pelos Correcaminos), mas costumam ser pequenos e lotados. São quase impossíveis para quem está com malas ou mochilas.

Hospedagem

O melhor lugar para se hospedar em Cusco é próximo à Plaza de Armas. Tome cuidado, porque Cusco é uma cidade com muito sobe-e-desce, e um lugar que parece perto pode ser uma subida infernal. Se estiver indo em baixa temporada, pode valer a pena procurar o hotel/hostel ao chegar lá, assim não terá surpresas.

Se chegar pela rodoviária, já é provável que venham te oferecer hotéis. Ainda que as ofertas fossem interessantes (40 soles um quarto privado de casal), resolvemos seguir para a praça. Lá vieram nos oferecer o hotel Mirador, que cobrava 30 soles no quarto privado. Resolvemos ficar aí mesmo.

Hotel barato em Cusco
Hotel onde nos hospedamos por 15 soles cada um

Quem estiver em economia extrema, escutamos que há um chamado “Let’s Go Bananas” que custa apenas 10 soles por pessoa, mas não encontramos onde fica.

As opções mais econômicas (mas bem localizadas) costumam estar para trás da rua Procuradores (uma pequena rua que parte da Plaza de Armas).

Comida

Comer em Cusco é barato, mesmo nos restaurantes mais chiques.

Quem quiser economizar ao máximo, há um comedor público na rua Diresa 160 (no mapa, o nome da rua aparece como “Pampa del Castillo”). O prato custa apenas 1,50 soles, e costuma ser bem saboroso. Praticamente nenhum turista come aí.

Restaurante popular em Cusco. Praticamente não se vê turistas por aqui.
Restaurante popular em Cusco. Praticamente não se vê turistas por aqui.

Se quiser comer neste lugar, é melhor chegar cedo, pois a comida costuma acabar por volta das 13h.

Outra opção econômica é o mercado central, onde os pratos saem entre 4 e 6 soles.

Lembramos que a higiene não é o ponto forte em Cusco. Se tiver um estômago mais fraco, é melhor procurar os restaurantes mais turísticos, onde os pratos costumam sair entre 15 e 40 soles, ou cozinhar a sua própria comida.

 

Pessoas almoçando no Mercado Central de Cusco
Pessoas almoçando no Mercado Central de Cusco

Um prato típico da região é o cuy, que nada mais é que um porquinho da índia assado. Se quiser experimentá-lo, vai ter que desembolsar uma graninha: o cuy, vendido na rua, custava 25 soles por pessoa. Nos restaurantes o preço gira em torno dos 50 soles por pessoa.

Agências de Turismo

Cusco está cheia delas, e você terá lugares de sobra para pesquisar preços antes de fechar um passeio. Há que tomar cuidado com pessoas que vendem passeios na rua: não é raro um turista comprar um tour e o ônibus nunca aparecer. Sempre feche com uma agência oficializada.

Nós fizemos os passeios com a Guty Turism Travel (www.cuscogutyturismtravel.com), e o serviço oferecido foi muito bom.

Para ir a Machu Picchu, a van mais econômica que encontramos foi com a Wayanay Expeditions (55 soles, depois de  chorar bastante).

Cuy, ou Porquinho da Índia - prato típico em Cusco
Cuy, ou Porquinho da Índia – prato típico da região.

Altitude

Cusco está localizada a 3600m de altitude, e é comum pessoas passarem mal nos primeiros dias. Em geral, os sintomas não passam de cansaço e algum enjoo. Por isso, não é recomendado realizar atividades mais pesadas (como trilhas) nos dois primeiros dias.

Tomar chá de coca costuma ser bom para aliviar os efeitos da altitude.

Lavar roupa

Provavelmente você vai precisar lavar roupas em Cusco, principalmente se for fazer alguma trilha até Machu Picchu.

Os hotéis costumam oferecer serviço de lavanderia a 5 soles o quilo. Se quiser economizar, as lavanderias que estão nas ruas Meloq e Santa Ana são as mais econômicas: custam 2 soles o quilo. Lavamos as roupas lá e o serviço foi bem bom. As roupas ficaram prontas dentro de 3 horas.

Lavanderias em Cusco
Rua onde ficam as lavanderias de Cusco, um exemplo das pesadas subidas da cidade.

Carona

Apesar da grande quantidade de mochileiros que segue para Cusco, achamos bastante difícil pegar carona nesta região. Se estiver com tempo apertado, nem vale a pena tentar.

Segurança

Na região turística, Cusco é uma cidade bastante segura, mesmo à noite. Ainda que a cidade esteja cheia de usuários de drogas, assaltos a turistas são raríssimos.

Há que tomar cuidado, sim, com batedores de carteiras: estes sim são mais que comuns, e se aproveitam das grandes aglomerações a qualquer hora do dia.

Drogas

Apesar da grande quantidade de vendedores e usuários, comprar drogas em Cusco é uma péssima idéia. Ouvimos muitas histórias de que vendedores e policiais trabalham de forma conjunta: o turista compra a droga e é preso poucos minutos depois.

Oficina de Turismo

O centro de informações turísticas está na rua Mantas, a 1 quadra da Plaza de Armas. O atendimento oferecido ali é excelente. Vale a pena passar lá para pegar um mapa e obter informações sobre passeios e modos alternativos para fazê-los de forma mais econômica.

Corpus Christi em Cusco
Em Cusco sempre há alguma festa ou comemoração. Aqui estávamos no Corpus Christi, que foi festejado por mais de 1 semana.

Trânsito

Há muita gente em Cusco, e as ruas são estreitas. Andar de carro aqui pode ser uma experiência infernal, ainda mais porque o fluxo de algumas ruas não faz muito sentido (há lugares com mão-inglesa, por exemplo).

Para quem anda a pé, também deve ter cuidado: não é porque você está na faixa e o sinal do pedestre está aberto que você não precisa olhar para os lados: muitos motoristas não respeitam a sinalização, e também já vimos casos em que o sinal fica verde tanto para o motorista quanto para o pedestre.

Bandeira

A bandeira de Cusco é um arco-íris, muito parecida à bandeira do movimento gay. Algumas pessoas podem se assustar ao ver a cidade cheia destas bandeiras contrastando com o conservadorismo do povo cusquenho, mas a origem desta bandeira vem da época pré-colonial. Os incas idolatravam vários deuses, dentre eles o deus “arco-íris”, e o homenagearam fazendo desta bandeira a bandeira de seu exército.

Se estiver na dúvida, há uma sutil diferença entre as duas bandeiras: a de Cusco tem 7 cores; a do movimento gay, 6.

A Plaza de Armas repleta de bandeiras de Cusco, que se confundem com as do movimento gay
A Plaza de Armas repleta de bandeiras de Cusco, que se confundem com as do movimento gay

O que fazer em Cusco

Simplesmente caminhar pelas ruas de Cusco já é uma experiência maravilhosa: a cidade inteira é um grande museu a céu aberto, que mescla a cultura Inca com a colonial.

Para visitar museus e as ruínas nos arredores de Cusco, pode ser interessante comprar o Boleto Turístico. Leia mais sobre ele aqui.

Os principais passeios na cidade são:

  • Igrejas

A briga dos espanhóis para destruir a religião dos incas e substituí-la pela católica se faz evidente pelas impressionantes igrejas que foram construídas na cidade. O ouro, que antes enfeitava os templos do Império Inca, hoje cobre os gigantescos altares dedicados a Jesus e a centenas de santos.

Mucuvinha na Plaza de Armas de Cusco
Mucuvinha na Plaza de Armas, cercado pelas imponentes igrejas coloniais

Nenhuma igreja permite foto em seu interior, e os ingressos custam 10 soles. É possível comprar, por 25 soles, um passe para 3 igrejas, ou por 30 um passe para 6.

Se quiser visitá-las de graça, a catedral central está aberta para missas das 6h às 10h da manhã. As outras costumam ter missa no fim da tarde (por volta das 18h).

  • Museu Qoricancha

Localizado na Avenida El Sol, é talvez a construção mais imponente de Cusco. Este era o templo mais importante do Império Inca, dedicado a vários deuses. As pesquisas feitas indicam que ele era, literalmente, coberto de ouro, que acabou sendo roubado pelos colonizadores.

Qoricancha, uma das construções mais impressionantes de Cusco
Qoricancha, uma das construções mais impressionantes de Cusco

Este edifício foi convertido em uma igreja, mas um terremoto acabou derrubando parte da construção colonial e revelou a construção Inca. Hoje o museu é uma mescla das duas arquiteturas. A entrada ao local custa 15 soles.

Este museu costuma ser incluído no City Tour, e uma visita guiada faz a diferença.

  • Monumento a Pachacuteq

Localizado próximo à rodoviária, pode ser um passeio para se despedir de Cusco. A entrada está incluída no Boleto Turístico.

Pachacuteq foi o nono governante e primeiro imperador Inca, sendo considerado o mais exepcional de todos. Expandiu o império de uma maneira impressionante e teria governado por 103 anos (morreu aos 125).

Junto ao monumento há um pequeno museu, que sobe até um mirador. Por estar longe do centro, a vista não é das mais surpreendentes, mas merece a visita.

Mucuvinha com o inca Pachacuteq
Monumento ao inca Pachacuteq

 

  • Museu Sítio de Qoricancha

Localizado embaixo do jardim de Qoricancha (não confundir com o Museu de Qoricancha), este pequeno museu guarda alguns objetos dos incas, assim como algumas múmias. Está incluído no Boleto Turístico.

Múmias no museu sítio de Qoricancha
Múmias no museu sítio de Qoricancha

 

  • Museu de Arte Popular

Localizado junto à prefeitura, na Avenida El Sol, guarda obras de arte que fazem menção aos incas e à colonização espanhola. Está incluído no Boleto Turístico, e merece uma visita.

 

Museu de Arte Popular de Cusco
Algumas obras de arte do Museu de Arte Popular de Cusco
  • Museu Histórico Regional

Para quem gosta de história, este museu fornece informações muito interessantes do passado de Cusco, desde épocas pré-históricas até a época colonial. Vários objetos e alguns fósseis podem ser encontrados aqui.

Está incluído no Boleto Turístico.

As grandes joias deixadas pelos Incas estão nos arredores da cidade. Apesar de precisarem de tour para serem visitadas (ou de um veículo próprio), elas merecem o tempo e o dinheiro investido. Aqui contamos um pouco sobre cada passeio.

Não, o City Tour em Cusco não é um passeio chato pela cidade. Apesar do nome, ele visita as ruínas que estão nos arredores da cidade, e é fundamental para conhecer um pouco mais da história da região.

Ruínas de Saqsayhuamán
Ruínas fantásticas do castelo de Saqsayhuamán

Para realizá-lo, é preciso comprar o Boleto Turístico. Leia nosso post completo sobre o City Tour aqui.

O passeio pelo Valle Sagrado percorre o belíssimo vale por onde corre o rio Vilcanota, e visita cidades incas impressionantes. Todas as ruínas visitadas estão incluídas no Boleto Turístico. Leia aqui informações completas sobre este passeio.

Ruínas da cidade de Ollantaytambo
Ruínas da cidade de Ollantaytambo

Outro passeio interessante nos arredores da cidade. Os Morays eram grandes laboratórios onde os incas faziam aclimatação de suas plantações, e as Salineras são antigas minas produtoras de sal, com origens pré-incas.

Salineras de Mara
Salineras de Mara

A entrada aos Morays está incluída no Boleto Turístico, e para as Salineras custa 10 soles.

A maioria dos tours combina estes dois lugares. Leia informações completas sobre estes dois lugares aqui:

Conhecendo as Salineras de Mara

Conhecendo os Morays

Tipón e Pikillacta foram duas outras cidades incas. O mais legal da visita a estes lugares é que poucos tours vão para lá – assim, você verá lugares impressionantes sem ter que disputar com uma centena de turistas para tirar fotos.

Estes dois lugares podem ser visitados facilmente com transporte público, e estão incluídos no boleto turístico. Leia aqui tudo sobre estes lugares.

Ruínas na cidade inca de Pikillacta
Ruínas na cidade inca de Pikillacta

Impressionante cerro colorido, localizado a cerca de 3 horas de Cusco. É um tour bastante procurado na região, mas também pode ser visitado por conta própria.

Leia tudo sobre este lugar aqui.

Belíssima vista do Cerro Colorado, em Cusco, Peru.
Belíssima vista do Cerro Colorado, em Cusco, Peru.
  • Machu Picchu

Uma das 7 maravilhas do mundo moderno, este é o supra-sumo da região de Cusco. Leia tudo sobre a cidade perdida nestes posts:

Como chegar a Machu Picchu

Conhecendo Machu Picchu

Mucuvinha brincando em Machu Picchu
Mucuvinha brincando em Machu Picchu

É isso pessoal! Espero que tenham gostado das dicas de Cusco! Qualquer dúvidas, só perguntar! 🙂

Para mais dicas de lugares e acompanhar nossa viagem de volta ao mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

15 comentários sobre “Tudo sobre Cusco – a capital do Império Inca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *