Laguna Cejar – venha flutuar nesta lagoa salgada do Atacama!

Aqui estamos nós, descrevendo mais um tour imperdível de San Pedro de Atacama. Desta vez fomos flutuar nas águas salgadas da Laguna Piedras, ao lado da famosa Laguna Cejar.

Referência (abril/2016):
1 real = 185 pesos chilenos


Antes de continuar, vamos esclarecer uma dúvida que muitos têm sobre este passeio. A famosa Laguna Cejar está protegida por ser habitat de flamingos, e por isso não é possível se banhar nela. Todos se banham, na verdade, na vizinha “Laguna Piedras”, igualmente encantadora.

Mucuvinha na Laguna Piedras, perto da Laguna Cejar
Mucuvinha na Laguna Piedras

As duas lagoas estão dentro da mesma reserva, e é possível caminhar de uma a outra sem problemas.

A maioria das operadoras vende o tour para “Laguna Cejar”, mas em um ou outro lugar você pode ouvir falar em “Laguna Piedras”. Os dois passeios são a mesma coisa, e incluem as duas lagoas!

Como chegar

É fácil chegar nas lagoas Cejar e Piedras com seu veículo particular. Vai enfrentar uma pequena estrada de terra, mas um carro popular consegue encarar sem problemas.

Para quem está a pé, a melhor maneira é contratando uma excursão que leva para lá. As excursões costumam incluir no pacote também os Ojos del Desierto, duas pequenas lagoas redonas ao lado da estrada, e ainda a Laguna Tebinquinche, uma lagoa cercada por um pequeno salar onde é possível apreciar um belo pôr-do-sol.

Nós fomos com a Ayllu Atacama, nossa agência parceira em San Pedro que oferece um excelente serviço voltado a turistas brasileiros.

Ojos del Desierto, no Atacama
Nós nos Ojos del Desierto

Entradas

As entradas para a Laguna Cejar e Piedras são caríssimas: 15 mil pesos por pessoa (cerca de 80 reais), e dão acesso às duas lagoas. No local, há banheiro e duchas com água fria para tirar o sal do corpo.

Se o tour incluir o lago Tebinquinche, precisa pagar mais 2 mil pesos (12 reais) para entrar lá.

Laguna Piedras, Atacama
Boiando na Laguna Piedras

O que levar

A altitude das lagoas é relativamente baixa (2300m), o que a torna uma boa escolha para um passeio nos primeiros dias. A temperatura lá também é muito parecida com a de San Pedro de Atacama.

As dicas sobre o que levar são as mesmas de sempre: chapéu, óculos de sol, protetor solar, protetor labial e muita água. Também inclua na lista trajes de banho e uma toalha (caso a sua agência não forneça).

Uma nota importante: para evitar contaminação, é proibido entrar na lagoa com excesso de protetor solar. Procure levar um com fator mais forte em vez de exagerar com um mais fraco.

Se o seu passeio voltar tarde (depois de escurecer) convém levar um casaco extra.

Também é interessante levar água da torneira para tirar o sal do rosto em caso de algum acidente. Se for com agência, verifique se eles incluem algum kit de água purificada para lavar o rosto.

Vale a pena?

A lagoa fica no meio do deserto, cercada por uma bonita cadeia de montanhas, mas não é o passeio mais bonito do Atacama. A grande atração mesmo é o fato de você poder flutuar em suas águas salgadas mesmo sem saber nadar.

Laguna Piedras e os vulcões Lincanray e Juriques
Ao fundo da Laguna Piedras, os vulcões Lincanray e Juriques

Diferente das termas, a água aqui é fria (como a de um rio no Brasil). Quando fomos, fazia bastante calor, e mergulhar ali foi bem refrescante. Se vier em um dia frio e achar que não vai encarar entrar na água, talvez este passeio acabe não sendo tão interessante assim.

Laguna Cejar e Piedras

Saímos da Ayllu às 16h em um carro com mais 4 pessoas, incluindo nosso guia Claudio, e chegamos às lagoas em menos de 1h.

Ai pagamos o absurdo de 15 mil pesos e recebemos pulseirinhas como comprovante do pagamento.

Boiando na Laguna Piedras
Mesmo quem não sabe boiar consegue boiar aqui!

A partir do estacionamento, há que caminhar uns 200m até a Laguna Cejar ou até a Piedras. Como a grande atração é a Piedras, a maioria das pessoas que contrata a excursão para Cejar acaba nem conhecendo a Cejar.

A lagoa Piedras é um grande buraco no meio do deserto (dizem que a profundidade passa dos 40m), e sua água é tão salgada que não te deixa afundar!

Laguna Piedras, no Atacama
Até a Michele que não sabe nadar encarou ir para o fundão!

Mesmo se não souber nadar, pode entrar nela sem medo, pois você vai ficar boiando (de costas, de bruços, em pé, não importa).

Importante: apesar de tentador, não mergulhe com tudo na lagoa. O ideal é entrar devagar e manter sempre a cabeça para fora d’água. Casos de pessoas que passam mal por causa do excesso de sal no rosto são mais que comuns por aqui.

Tour laguna Cejar
Saindo da Piedras com a cara cheia de sal

Passamos quase 1h aí, e então seguimos para os Ojos del Desierto. Há uma ducha de água fria na saída para quem quiser tirar o sal do corpo (acredite, você sai branco da lagoa!).

Ojos del Desierto

Os Ojos del Desierto são duas lagoas redondas e bem profundas. Em uma delas é possível se banhar, o que pode ser uma boa alternativa para tirar o excesso de sal do corpo (caso não tenha encarado o chuveiro gelado).

Ojos del Salar, no Atacama
Mergulhando nos Ojos del Salar

A profundidade aqui também é bem elevada; e, por estar em uma cratera, a forma mais fácil de entrar é se jogando mesmo (aqui não tem problema mergulhar o rosto na água).

Só entre se souber nadar, pois aqui não se boia não!

Lagoa Tebinquinche

Depois de um rápido mergulho nos Ojos del Desierto, seguimos até o lago Tebinquinche para ver o pôr-do-sol.

Mucuvinha vendo o pôr-do-sol no lago Tebinquiche
Mucuvinha vendo o pôr-do-sol no lago Tebinquiche

Aqui caminha-se por trilhas demarcadas em meio a um pequeno salar que rodeia o lago. Por ser uma reserva, não é possível aproximar-se tanto do lago e nem sair das trilhas.

Este é um bom lugar para ver, de um lado, o cerro Quimal, e do outro os irmãos Lincanray e Juriques (leia a lenda destes vulcões aqui).

Ao fundo da lagoa Tebinquiche, os irmãos Juriques e Lincanray.
Ao fundo da lagoa Tebinquiche, os irmãos Juriques e Lincanray.

Depois de caminharmos por uma trilha fácil de meia-hora, finalizamos o dia com um lanche e com uma aula de como fazer pisco sour. Claudio fez o primeiro para nos ensinar, e depois ficamos livres para fazer (e tomar!) quantos quiséssemos!

Fazendo Pisco Sour no Atacama
Fazendo nosso próprio Pisco Sour!
Pisco Sour no Atacama
Tomando um pisco ao pôr-do-sol.

Voltamos para San Pedro por volta das 21h.

Dicas

  • Procure fazer o passeio quando estiver calor, assim vai apreciar mais a lagoa.
  • Evite molhar o rosto na lagoa Piedras, pois você pode passar mal com o excesso de sal.
  • Cuidado com sua câmera: mesmo que ela seja à prova d’água, o sal pode prejudicá-la.
  • Se observar atentamente, vai ver micro-camarões nadando nestas águas. São seres quase miscoscópicos e são o alimento preferido dos flamingos.
  • Cuidado com machucados ou rachaduras na pele, pois vão arder um monte na água salgada. Às mulheres, evitem se depilar no mesmo dia ou no dia anterior de ir à lagoa.

Confiram tudo sobre o Atacama aqui!

É isso pessoal. Espero que tenham gostado das dicas, e se quiserem continuar acompanhando nossa viagem de volta ao mundo, curtam nossa página no face!

www.facebook.com/mundosemfimoficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *