Passeando na Reserva Natural Atitlán – um paraíso na Guatemala

Cachoeiras, pontes suspensas, macacos, quatis e muita natureza: este é um dos passeios mais imperdíveis da região do Lago Atitlán. Aqui contamos como é!

Câmbio oficial (junho/2017)
1 quetzal = 0,45 reais
1 dólar = 7,35 quetzales

Reserva Natural Atitlán
Trilha dentro da Reserva Natural Atitlán

Localizada entre a montanha e o lago Atitlán, esta bela reserva é lar de várias espécies de animais, como macacos, quatis e guaxinins, além de diversos pássaros e borboletas de todas as cores.

Percorrer suas trilhas é uma atividade bastante relaxante. Se tiver a fim de um pouco de adrenalina, suas tirolesas com vistas espetaculares do lago e dos vulcões são uma boa pedida. Se não, suas pontes suspensas à la Indiana Jones já servem como um tempero radical ao passeio.

Além de tudo, há um borboletário no local, onde você poderá aprender mais sobre estes insetos e vê-las saindo de seus casulos.

Está mochilando pela Guatemala? Então não deixe de visitar este lugar!

Reserva Natural Atitlán
Uma das várias pontes suspensas da reserva

Como chegar?

A reserva está a menos de meia-hora de caminhada a partir do centro de Panajachel. Para chegar até lá, caminhe pela estrada sentido Sololá e pegue a primeira entrada à esquerda (há uma placa indicando).

Se quiser pegar um moto-táxi, espere pagar algo entre 10 e 15 quetzales pela viagem.

Quanto custa?

A entrada custa 70 quetzales, e dá direito às trilhas e ao borboletário.

Se quiser fazer a tirolesa, são 250 quetzales (já inclui o valor da entrada).

Para informações sobre valores de camping e hospedagem, acesse o site deles aqui.

Reserva Natural Atitlán
Ponte cruzando a cachoeira

Conhecendo a reserva

Existe uma trilha longa dentro do parque, que visita os principais pontos. No caminho vimos macacos e um quati (só a ponta do rabo, pois ele saiu correndo e se escondeu).

Também passamos por várias pontes suspensas, daquelas que parecem dos filmes de Indiana Jones. Uma delas era enorme e passava bem ao lado de uma cachoeira.

O circuito todo demora cerca de 1h30min (nós demoramos um pouco mais para fazê-lo com calma e tirando fotos).

Terminando o passeio, você pode visitar o mariposário (borboletário), que é como se fosse uma gaiola gigante cheia de borboletas (pode caminhar lá dentro), e ver os aquários com cada etapa de sua criação (desde que são larvas até quando estão no casulo esperando para sair como borboletas).

Há também uma trilha que leva a uma praia particular no lago. Está incluído no passeio, mas nós não fomos até lá.

É isso pessoal! Curtiram a dica?

Não deixem de acompanhar nossa viagem pelo mundo pela nossa página do face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *