Mochilão pelo Chile de ponta a ponta – roteiro, gastos, dicas, fotos, etc

Depois de 84 dias viajando entre as cordilheiras e o Oceano Pacífico, finalmente deixamos o Chile para trás. Confira aqui tudo o que você precisa saber para visitar este lindo país!

Referência (maio/2016):

1 real = 185 pesos chilenos


O Chile

Belíssimas praias, centenas de vulcões, lagos cristalinos, desertos a perder de vista e incríveis parques nacionais, tudo isso com aquele tempero latino: isso é o Chile!

Em 84 dias de viagem, conhecemos o país de ponta a ponta, e aqui descrevemos como foi nossa experiência e o que aprendemos por lá.

Lugares e experiências que passamos

  • Enfrentamos ventos cortantes da Terra do Fogo
  • Molhamos os pés no lendário Estreito de Magalhães, onde piratas e aventureiros já perderam suas vidas
  • Caminhamos pelo Torres del Paine, um dos parques nacionais mais bonitos do mundo

    Parque Nacional Torres del Paine, no sul do Chile
    Torres del Paine
  • Percorremos a remota Carretera Austral
  • Assistimos à missa de Natal em uma pequena igreja de madeira em Chiloé
  • Admiramos o imponente vulcão Osorno desde Punta Arenas e Puerto Montt
  • Navegamos pelo azulíssimo lago General Carrera até as Capillas de Mármol
  • Conhecemos as belíssimas praias de Concepión
  • Vimos o vulcão Villarica cospindo fumaça desde Pucón
  • Caminhamos pelas sombrias ruas da cidade abandonada de Sewell

    Mucuvinha na cidade abandonada de Sewell
    Mucuvinha em Sewell
  • Conhecemos a terrível ditadura chilena pelos museus de Santiago
  • Vivenciamos a belíssima cultura de Valparaíso
  • Procuramos OVNIs no enigmático Valle del Elqui
  • Vimos a mesquita e a cruz do 3° milênio convivendo lado a lado em Coquimbo
  • Exploramos todos os cantos do Deserto do Atacama

    Michele no Deserto do Atacama
    As formações do Valle de la Luna (Atacama), com partes cobertas de puro sal, deixa qualquer um de queixo caído

Aqui está nosso roteiro:

Roteiro do nosso mochilão pelo Chile
Nosso recorrido pelo Chile

Aqui estão os números de nossa viagem pelo Chile:

  • 4200 km rodados aprox.
  • 84 dias
  • 6126 reais gastos
  • 55 caronas em veículos diferentes

Sobre os gastos, ficou assim (valores para o casal):

  • total: R$ 6126,45
  • hospedagem: R$ 2003,88
  • transporte: R$ 831,34
  • supermercado: R$ 1777,82
  • restaurante: R$ 386,22
  • passeios: R$ 988,64
  • outros: R$ 138,54

*Nossos gastos com transporte ficaram relativamente baixos porque percorremos quase tudo de carona.

A média diária ficou:

  • média: R$ 72,93/dia
  • hospedagem: R$ 23,86/dia
  • transporte: R$ 9,90/dia
  • mercado: R$ 21,16/dia
  • restaurante: R$ 4,60/dia
  • outros: R$ 1,65/dia
  • passeios: R$ 11,77/dia
Nossos gastos pelo Chile
Distribuição dos nossos gastos no Chile

Sobre as hospedagens, ficamos assim:

  • CouchSurfing: 3
  • camping: 20
  • hotel/hostel: 11
  • trabalhando: 15
  • camping selvagem: 10
  • amigos : 21
  • ônibus/barco/caminhão: 2
hospedagens
Gráfico de como dormimos no Chile

Assim, ficamos com um total de:

  • total hospedagens gratuitas: 51
  • total hospedagens pagas: 31

hospedagens gratis x pagas

*a diferença de 82 hospedagens para 84 noites é pelos dias que passamos no Chile, mas dormimos em outro país

 

Agora, tudo o que você precisa saber para ir ao Chile!

Preços

Os preços do Chile são, no geral, parecidos com o Brasil. Aqui vão algumas comparações:

  • Hospedagens: Caras, mas de boa qualidade. Um quarto para um casal sai em torno de 25 mil pesos. Em Chiloé é possível encontrar umas ofertas mais baratas.
    Este é um país que vale a pena viajar com uma barraca: campings custam entre 3 e 8 mil pesos por pessoa. Fique atento se viajar fora da alta temporada: os campings costumam fechar nessas épocas.
  • Supermercado: Carnes, frutas e vegetais são, em geral, um pouco mais caros que no Brasil, principalmente em áreas mais remotas, como no norte ou no extremo sul. Itens como shampoos, desodorante ou sabonetes também são mais caros que no Brasil. Eletrônicos e importados costumam ser mais baratos.
    Apesar do país ser um grande explorados de salmão e frutos do mar, estas comidas também não são baratas. Se quiser algo fresco e barato, esqueça os mercados e tente negociar diretamente com os pescadores.
  • Transporte: os ônibus municipais tem os preços um pouco mais baratos que os do Brasil: custam entre 300 e 700 pesos (dependendo do tamanho da cidade).
    Os ônibus de viagem são um pouco mais baratos que no Brasil, mas como o país é grande, cruzá-lo desta forma vai te fazer gastar uma boa grana. Uma boa alternativa para economizar é viajar de carona: é bastante fácil por lá.
    Viajar de avião dentro do Chile também é relativamente barato, e para longas distâncias pode ser bem mais econômico que ônibus.
  • Restaurantes: Preços parecidos com os do Brasil. Os restaurantes mais econômicos custam como 2500 pesos, e um mediano vai custar entre 5 e 8 mil.
  • Passeios: Infelizmente, quase tudo que é turístico no Chile é pago, e os preços aos extrangeiros são abusivos. Para entrar em Torres del Paine, por exemplo, espere pagar 18 mil pesos, e as entradas de cada atração no Atacama podem custar entre 2 e 15 mil.
  • Bebidas: A cerveja é um pouco mais barata que no Brasil (1 litro custa como 1000 pesos). Os vinhos são muito baratos e de boa qualidade (uma garrafa de 2 litros custa como 2 mil pesos). Destilados geralmente custam um pouco mais barato que no Brasil.
Vulcão Osorno visto desde Puerto Varas
Vulcão Osorno visto desde Puerto Varas

Câmbio

Tirando Santiago, o Real não vale nada por lá. Se for chegar no Chile por Santiago, leve reais e troque tudo lá (exceto no aeroporto, que o câmbio é péssimo). Para os outros lugares, vale a pena levar dólares (algumas casas de câmbio pagam um valor superior à cotação oficial na moeda americana).

É possível sacar dinheiro nos caixas automáticos: espere pagar algo como 4 mil pesos por saque. Se tiver conta no Santander, pode usar este banco por lá para não pagar o saque.

Polícia

Chamados de carabineiros, são geralmente simpáticos e bastante prestativos com os turistas.

A polícia chilena também é considerada a mais honesta da América Latina. Jamais tente oferecer suborno, pois te levarão preso na hora.

Bebidas

Alcoolicas:

No Chile, é proibido beber na rua, e não convém vacilar. Apesar disso, os chilenos costumam ser bons de copo, e as bebidas mais consumidas por lá são o vinho e o pisco (geralmente tomam misturados com coca-cola).

Sobre os vinhos, vale a pena experimentar os carménère, feitos com uma uva originária da França, mas que atualmente só existe no Chile.

Bebidas típicas do Chile
Algumas bebidas típicas do Chile

Bebidas mais elaboradas, merecem destaque o pisco sour e o terremoto: o primeiro é uma mistura de pisco com suco de limão (pode levar clara de ovo também), e o segundo é um trago feito com pipeño (um tipo de vinho mais natural e menos processado), groselha e sorvete de abacaxi.

Das cervejas mais populares, a mais gostosa é a Austral; das mais caras, vale a pena experimentar a Kunstmann.

Não-alcoolicas:

Vale a pena experimentar o mote com huesillos – bebida bastante doce, sem álcool, que é vendido na rua. Vêm com alguns grãos de cereal misturados.

Se quiser pedir um refrigerante, peça uma bebida.

Água

Beber água da torneira é seguro em todo o Chile, com exceção da região do deserto do Atacama, onde o excesso de minerais pode fazer mal a quem não estiver acostumado.

Em Santiago, apesar de não fazer mal, o gosto da água da torneira é horrível, e pode ser preferível comprar água mineral.

Embalse el Yeso, que abastece Santiago
Embalse el Yeso, que abastece Santiago

Rede elétrica

A rede elétrica no Chile é de 220V/50Hz. As tomadas de 2 pinos são iguais as do Brasil (dois pinos redondos).

As de 3 pinos são parecidas, mas o furo do meio fica alinhado aos outros dois. Se tiver algum equipamento de 3 pinos, precisará de um adaptador.

Carona

É fácil viajar de carona em qualquer lugar do Chile (nós percorremos praticamente o país inteiro desta forma), e tanto caminhoneiros quanto veículos particulares levam. Viajar de carona é muito comum no país, e você verá várias pessoas na estrada com o polegar levantado.

Carretera Austral, no extremo sul do Chile
Viajando na caçamba pela Carretera Austral, provavelmente uma das estradas mais bonitas do mundo.

O único problema é que as estradas costumam ser muito boas, e você poderá ser deixado em um cruzamento onde os carros passam a 120km/h.. Neste caso, espere passar umas 2h até alguém parar.

Os melhores lugares para pegar carona são em pedágios ou logo na saída da cidade: neste caso, provavelmente te levarão em menos de 15 minutos.

O melhor é que os ônibus de viagem param para as pessoas que estão na estrada. Assim, se passar muito tempo sem conseguir uma carona, basta acenar para um ônibus que vá para o seu destino. A passagem será cobrada proporcionalmente à distância que falta para o destino.

Se estiver logo na saída da cidade, é bem provável que o motorista de faça um desconto de uns 1000 pesos para te levar.

Nunca viajou de carona? Leia nossas dicas aqui!

Missa natalina em Dalcahue, Chiloé, no Chile
Missa natalina em Chiloé, no Chile

Transporte

Se não quiser se aventurar de carona, é bem provável que gaste uma boa grana com ônibus por lá. Um ônibus no Chile custa um pouco mais barato que no Brasil (algo como 3 a 5 mil pesos cada 100km), mas como o país é grande, as distâncias costumam ser longas.

Os ônibus municipais custam algo entre 400 e 700 pesos, dependendo do tamanho da cidade.

Para viajar longas distâncias, pode ser mais barato comprar uma passagem de avião.

Mucuvinha em Santiago
Mucuvinha em frente ao Palácio de la Moneda

O povo

O povo chileno é muito bacana e prestativo, e costuma se dar muito bem com os brasileiros.

Convites a ficar em suas casas é muito comum, e isso foi fundamental para conseguirmos economizar bastante nesta viagem.

Com nossos amigos em Concepción, Chile
Em uma das belíssimas praias de Concepción com Pía e Coni, grandes amigas que fizemos no Chile.

Maconha

O consumo da erva é ilegal no Chile, mas é bastante comum e bem aceito pela sociedade de um modo geral. Não vai ser incomum ver pessoas fumando ou receber convites para dar um peguinha. Aí é com você…

Comida

A comida chilena é muito parecida com a brasileira, exceto pelo feijão. Arroz, salada, carne (que pode ser de vaca, frango ou peixe) e batatas fritas é, talvez, o mais comum por lá. As refeições nos restaurantes costumam acompanhar uma sopa de entrada.

Uma comida que faz parte da culinária dos chilenos é o abacate (chamado de palta por lá): é comum comerem abacate com pão e também encontrar este ingrediente nos cachorros-quentes e nos sanduíches.

Comidas típicas do Chile
Algumas comidas típicas do Chile

Alguns nomes que você deve conhecer:

Completos: são os cachorros-quentes. Também podem ser chamados de italianos.

Churrasco: não tem nada a ver com os churrascos brasileiros. Um churrasco no Chile é um tipo de x-salada com carne em vez de hambúrguer. Se quiser um churrasco brasileiro, procure um asado.

Curanto: prato típico de Chiloé: é um cozido de frutos do mar, linguiças, frango, carne e alguns vegetais. Apesar da combinação parecer estranha, é muito saboroso e vale a pena provar.

Exquisito: Se um chileno disser que a comida está exquisita, ele quer dizer que a comida é gostosa.

Mercado de Valparaíso
Frutas? Verduras? Tudo é mais barato no Mercado (Valparaíso)

Idioma

De todos os países que falam espanhol, talvez o Chile seja o mais difícil de entender. O chileno costuma cortar algumas palavras, usar muitas gírias e falar bastante rápido. Aqui estão algumas coisas que você precisa saber:

ll e y: tem o mesmo som, que sai meio parecido com um “dj” em português. Assim, a palavra “calle” (rua) soa como “cadje”, e “yo” (eu) soa como “djô”.

ch: o som do “ch” varia com a classe social: quanto mais alto, mais “tch” sai o som. Assim, uma pessoa mais simples chamaria seu país de “xile”, e alguém da alta sociedade diria “tile”.

po: Os chilenos costumam colocar “po” na frase, que é uma abreviação de “pois”. Você vai escutar muio “Sí, po!”.

Catchai!: “catchai” é uma gíria equivalente ao nosso “tá ligado?”. Assim, um chileno te instruindo como chegar em algum lugar vai dizer: “Hay que tomar el bus 15, catchai?, y después el 18…”

Mucuvinha na Capilla de Mármol
Capilla de Mármol – a grande atração de Puerto Tranquilo

Huevón: “huevón” é um xingamento leve, que equivale a “tonto”. No Chile, essa palavra é tão comum que você vai ouvir amigos se tratando desta forma. Falado por um chileno, soa como “ueón”.

Pololo(a): é a palavra chilena para “namorado(a)”. Se duas pessoas estão namorando, diz-se que estão “pololeando”.

Flojera: palavra usada para “preguiça”. Um preguiçoso é um “flojo”.

Tuto: uma pessoa que tem “tuto” é uma pessoa que está com sono.

Guagua: Significa “bebê” ou “criança”. Quando um chileno fala, soa como “uaua”.

Al tiro: significa “rápido”, “logo”. “É fácil pegar carona aqui?” – “Sí, te llevan al tiro!“.

Bacán: Impressionante a semelhança com o português. Significa “bacana”.

Caleta: Significa “muito” na gíria chilena. “Esto se demora caleta!“.

Carrete: É fazer festa, bagunça. “Salir a carretear” é “sair para beber”.

Chela: Gíria para cerveja. Vai no bar? Peça uma “chela fria”!.

Paco: É uma forma ofensiva de chamar a polícia.

Cuico: Forma pejorativa de chamar alguém da classe alta. Seria algo como “playboy”.

Flaite: Oposto de “cuico”. O equivalente em português seria “maloqueiro”.

Estes são os principais. Depois faremos um post com todos os modismos chilenos!

Glacial Grey, no Parque Nacional Torres del Paine
O monstruoso glacial Grey é um dos tops do circuito W (Torres del Paine).

Filmes

Para conhecer melhor a história da ditadura chilena, recomendamos o excelente filme “Machuca” (2004).

Ele conta a história de duas crianças, uma rica e uma pobre, vivenciando o golpe militar que colocou Pinochet no poder.

Machuca

Poesia

Com dois poetas ganhadores do prêmio Nobel, o Chile merece respeito nesta arte.

Se quiser ler algumas poesias premiadas, procure por Pablo Neruda e Gabriela Mistral.

Se for fã dos poetas, poderá visitar a casa de Neruda em Valparaíso e a da Gabriela em Monte Grande, no Valle del Elqui.

Geiser el Tatio, no deserto do Atacama
Gêisers el Tatio visto de cima

Esporte

O esporte número 1 no Chile também é o futebol. Antes despercebido, o futebol chileno vem crescendo e melhorando bastante, enquanto o nosso vai decaindo a cada ano. Prepare-se para escutar muitas piadas a respeito do 7×1.

Casas típicas de Chiloé
Casas de madeira e palafitas: a identidade de Chiloé.

Música

A música tradicional chilena é a “cueca”, mas não tivemos oportunidade de ver nenhuma apresentação deste estilo.

Um dos grupos clássicos da música chilena é “Los Jaivas”, que combina Rock com músicas folclóricas.

Um dos nossos grupos favoritos é o Joana Fe, que tem um estilo muito parecido ao Manu Chao:

https://www.youtube.com/watch?v=1BtG0UfcjrM

Ah, o axé brasileiro também é muito escutado por lá, e muitas bandas brasileiras se mudaram para lá!

Segurança

Consideramos o Chile um país muito seguro, inclusive em Santiago.

O sul é extremamente seguro, e é possível acampar em qualquer lugar sem correr riscos. Na região central e no norte há que tomar as precauções básicas de segurança.

Em Santiago, cuidado com furtos, e evite ficar andando à noite por ruas mais escuras.

Grafites típicos de Valparaíso
Escadaria para subir ao Cerro Concepción, Valparaíso

Imigração

Entrar com frutas, verduras, sementes ou carne no Chile é uma missão praticamente impossível. A imigração (seja entrando por terra ou por avião) costuma revistar todas as suas malas, e algumas até contam com cães farejadores.

É justificável: o Chile é um país naturalmente protegido de pragas: de um lado está o oceano, do outro as cordilheiras, e ao norte o deserto. Por isso, não querem correr o risco de que um tomate seu possa conter a larva de uma mosca que pode arruinar suas plantações.

Cruzando uma ponte no Parque Nacional Torres del Paine
No caminho para o acampamento Paso, está esta Ponte “Colgante”. Quem tiver vertigem é melhor não olhar para baixo! Torres del Paine, Chile

Tremores de terra

Tremores de terra são muito comuns no Chile, e é bem possível que você sinta algum. Os chilenos já estão tão acostumados que continuarão suas atividades normais, enquanto você se desespera.

Se o tremor se converter em um terremoto, aí sim é motivo de preocupação: mas estes eventos são mais raros.

Durante nossos 84 dias pelo país, só sentimos um tremor, que durou poucos segundos.

Vicuñas no deserto do Atacama
Várias vicuñas nos observavam enquanto adentrávamos ao deserto do Atacama

O que mais você precisa saber

  • Cuidado com o preço nos supermercados: é bem comum os produtos estarem sem preço, ou com o preço errado. É muito comum uma prateleira só com leite condensado estar mostrando o preço de um creme de leite, por exemplo.
  • Os supermercados mais baratos são da rede “Ekono”.
  • No Chile há muitos hotéis clandestinos, principalmente nos lugares mais turísticos. Se quiser uma boa barganha, pergunte por hospedagem nas padarias ou mercados: é bem possível que alguém diga “a prima da minha tia aluga quartos e pode te receber…”.
  • É fácil barganhar no Chile, mesmo em serviços improváveis, como ônibus municipais. Em várias vezes, pegamos um ônibus que custava 350 pesos e perguntávamos: “dá pra fazer 500 pelos dois?”. Geralmente o motorista aceitava.
  • Cuidado para não se enganar com o dinheiro: a moeda no Chile vale bastante. A menor cédula de dinheiro que eles tem é a de 1000 pesos, que vale uns 6 reais. É comum a pessoa ir gastando, pensando “custa só 1000, dá mais ou menos 1 real”, e quando vê já foi uma boa grana.

É isso aí pessoal! Curtiram as dicas? 🙂

Leiam também:

10 lugares imperdíveis no Chile

Roteiros pela Patagônia

Para acompanhar nossa viagem de volta ao mundo e receber mais dicas interessantes dos países que passarmos, não deixem de curtir nossa página no face!
www.facebook.com/mundosemfimoficial

27 comentários sobre “Mochilão pelo Chile de ponta a ponta – roteiro, gastos, dicas, fotos, etc

  1. Quanto as girias, a forma correta é “weon” e tem um emprego bem difícil essa palavra por nós, extrangeiros. Morei um tempo lá mas nunca me atrevia a usar essa gíria, apesar de sempre escutar; e o “pololo” tá mais pra uma gíria tbm, pois a forma correta de se referir aos namorados lá é “novios”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *