Dicas e informações para viajar à Venezuela tranquilamente

A Venezuela é um país espetacular – e sua beleza se vê tanto em suas paisagens naturais quanto em seu povo simpático e acolhedor. Viajar para lá, porém, requer alguns cuidados, e aqui damos todas as dicas para que sua viagem seja excelente!

De cada 10 pessoas com quem conversamos, 9 nos disseram para não visitar a Venezuela. Felizmente escutamos apenas aquele 10% otimista, e estamos adorando conhecer a situação real do país.

Não há dúvidas de que o país está vivendo uma forte crise, mas a realidade é bem diferente do caos generalizado que se mostra na televisão. No entanto, o país exige, sim, alguns cuidados, e aqui compartilhamos um pouco da nossa experiência com vocês!

Geralmente fazemos este resumo depois que terminamos de recorrer um lugar, mas como muita gente tinha curiosidade sobre a Venezuela, resolvemos adiantar nosso relato. Quando nos despedirmos do país, escreveremos outro mais atualizado 🙂

Segurança

Esta era a nossa principal preocupação antes de entrar no país: segundo alguns relatos, a onda de violência estava generalizada, e era impossível sair às ruas.

Algumas cidades realmente estão bem complicadas. Caracas, mesmo, recebeu o triste título de “cidade mais perigosa do mundo”. Outras cidades que nos disseram para evitar são Valencia e Marracay.

Fora esta região, chamada “zona central”, a segurança nos pareceu como a de qualquer outro país latino-americano, e os cuidados são os mesmos que você deve ter no Brasil.

Rua de Coro, Venezuela
Rua de Coro, Venezuela

O maior problema na Venezuela é que os comércios costumam fechar às 18h, e depois das 20h já não há praticamente ninguém nas ruas. Restaurantes, bares e baladas seguem abertos até tarde, mas formam pequenos pontos luminosos pelas largas ruas escuras.

Procure evitar sair à noite a pé. Se quiser ir jantar fora ou curtir uma balada, pegue um táxi – são extremamente baratos (raramente uma corrida custa mais que o equivalente a 3 reais, mesmo de madrugada).

Durante o dia as ruas são bem movimentadas, e nos sentimos seguros inclusive para tirar fotos ou fazer pequenos vídeos. Tome os cuidados básicos e não terá problemas.

Polícia corrupta

Outro tema que nos assustava era em relação à polícia corrupta. Lemos muitos depoimentos de pessoas que falaram que foram roubados por policiais com desculpas como “é ilegal andar com dólares no país”, “seus dólares são falsos”, “você está carregando muito dinheiro”, “não é permitido andar com duas câmeras”, “preciso ver o comprovante do câmbio” e por aí vai. Outra abordagem é te levarem para uma sala e pedirem un regalito de Brasil ou falarem que “meu sobrinho sempre quis ter um celular destes”.

Nós não presenciamos este comportamento em nenhum lugar até agora, mas os inúmeros depoimentos não podem ser ignorados. Infelizmente, parte da culpa é nossa: muitos turistas dão uma grana para os guardas para entrar sem a vacina da febre amarela, para se livrar de uma multa por não usar cinto de segurança ou simplesmente para que não encham o saco. Isso acabou deixando estes policiais mal acostumados, principalmente na clássica rota entre a fronteira com o Brasil e a Isla Margarita.

Para não cair em um golpe, vamos esclarecer alguns detalhes:

  • Você pode andar com até 10 mil dólares (ou o equivalente em qualquer outra moeda) sem precisar declarar ou apresentar comprovante. Em bolívares (moeda venezuelana) isso equivale a 6 milhões pelo câmbio oficial. Confirmamos estas informações tanto com a embaixada do Brasil em Caracas quanto com a embaixada da Venezuela em São Paulo.
  • Não há qualquer tipo de restrição quanto à entrada de eletrônicos, câmeras ou celulares na Venezuela. A polícia só poderá confiscá-los em caso de ficar evidente a prática de contrabando.
  • Não é preciso pagar nenhuma taxa de entrada nem de saída do país.

Na Venezuela, há postos da polícia nas estradas entre cada cidade, e eles costumam parar praticamente todos os carros. Parar ônibus é menos frequente, mas acontece. Nestas paradas, às vezes só pedem os documentos, às vezes só dão uma olhada e às vezes revistam as pessoas e as bagagens. No nosso caso, fomos parados 3 vezes de ônibus, e em todas as vezes apenas entrou um policial e deu uma olhada.

Conhecemos uns colombianos que viajaram de táxi, e foram parados 4 vezes em um trajeto de 100 quilômetros. Em todas as vezes revistaram todas as suas bagagens (mas nunca pediram dinheiro). Ainda que pareça tentador viajar de táxi (os preços são incrivelmente baratos), tenha isso em mente.

Se algum policial tentar te roubar, bata o pé. Peça para falar com um superior. Ligue para a embaixada brasileira se for preciso. A Venezuela não é uma ditadura militar (pelo menos, não oficialmente, ainda que tenham ocorridos casos de prisões políticas), e policiais podem ser punidos por corrupção.

Se estiver levando dólares, convém escondê-los na meia enquanto estiver viajando. Ainda que você não seja obrigado a dar satisfação do seu dinheiro, é melhor evitar dor de cabeça.

O telefone da Embaixada do Brasil em Caracas é:

(58212) 956-7800

Para emergências:

(58424) 228-7250

Em caso de dúvidas, pode entrar em contato por e-mail:

cg.caracas@itamaraty.gov.br

Dinheiro

Dinheiro é um problema na Venezuela: a maior nota no país é de 100 bolívares, e equivale a cerca de 10 centavos de real. Isso quer dizer que você sempre andará com grandes volumes de dinheiro, mesmo que seja só para comprar pão.

O governo venezuelano está programando lançar notas, de até 20 mil, no dia 15 de dezembro de 2016, o que deve diminuir um pouco este problema.

Também é importante mencionar que o país tem uma das inflações mais altas do mundo, e os preços sobem quase que diariamente. Não estranhe se for em um mesmo restaurante no dia seguinte e o preço estiver um pouco mais caro.

Mucuvinha ostentando com tanto dinheiro!
Mucuvinha com o equivalente a 50 dólares em bolívares

Dinheiro e o câmbio negro

No país há um câmbio oficial do dólar (1 dólar = 670 bolívares no momento em que escrevemos este post), e um câmbio negro (1 dólar = 3100 bolívares). O câmbio negro é ilegal, e a pena para quem o pratica é 5 anos de cadeia. Apesar disso, todo mundo troca dinheiro pelo câmbio negro descaradamente. O problema é que, se usar o câmbio oficial (isto é, fazendo saques em caixas eletrônicos ou pagando no cartão) o país ficará extremamente caro.

Para trocar dinheiro, procure as agências de turismo, os hotéis ou as lojas que compram ouro. Lojas de sapatos e roupas também costumam comprar dólares. Nas fronteira com o Brasil é possível trocar facilmente reais, e em Cúcuta (Colômbia) há casas de câmbio que vendem bolívares pelo câmbio negro – e são legais.

Um dos problemas mais comuns dos turistas por aqui é conseguir trocar dinheiro: 100 dólares são equivalentes a 400 mil bolívares. Como a maior nota de dinheiro no país é de 100 bolívares, essa quantia equivale a, pelo menos, 4 mil notas de dinheiro. Além do volume e do peso exagerado para carregar, a pessoa que for comprar pode ter dificuldades para consegui-lo (os caixas eletrônicos entregam somente 10 mil bolívares por dia). Por isso, se for para a Venezuela, procure levar notas de denominações pequenas, de 20 dólares no máximo.

Também cuide para não ficar sem dinheiro, e sempre que chegar a um lugar novo já procure fazer contatos com possíveis compradores de dólares.

E jamais troque dinheiro com cambistas pelo câmbio negro no aeroporto: o risco de ser preso é grande.

Para saber a quanto está o câmbio negro, dê uma olhada neste site:

www.dolartoday.com

(provavelmente a melhor cotação que você vai conseguir é uns 25% a menos do que o valor indicado ali).

Para encontrar cambistas, procure em grupos do facebook. O grupo “Brasileiros Na Venezuela – Grupo de Apoio” é uma boa fonte. Alguns inclusive aceitam transferências para contas no Brasil.

Ah, outra dica: não troque dinheiro com muita antecedência, e evite trocar tudo de uma vez, pois o dólar sobre praticamente todos os dias.

O fim do câmbio negro

No começo de dezembro, o governo venezuelano aprovou uma lei que exige que hotéis e agências de turismo cobrem dos turistas somente com cartão de crédito ou débito (ou seja, no câmbio oficial). Estamos aqui e até agora não tivemos problemas em pagar com dinheiro.

Se esta lei for realmente colocada em prática, ficará inviável viajar pelo país. Verifique como está a situação antes de vir para cá!

Escassez no transporte

Uma coisa que nos disseram é que o país estava com problemas generalizados no transporte, e se quiséssemos conseguir passagens de ônibus teríamos que ir ao terminal de ônibus às 5h da manhã, já que não vendem passagens com um dia de antecedência.

Isso talvez seja verdade em algumas regiões extremamente turísticas, principalmente em feriados, mas nós ainda não pudemos dar fé deste problema. Sempre que chegamos ao terminal conseguimos ônibus para nossos destinos, geralmente em questão de minutos.

Nosso ônibus para Mérida
Nosso ônibus para Mérida

Hotéis

Se você está acostumado a viajar com Booking, HostelWorld ou AirBnb, esqueça. Poucos hotéis estão na internet, e os que estão costumam apresentar informações erradas.

Para encontrar um bom hotel, o ideal é procurar depoimentos no google e tripadvisor, ou pedir ajuda a algum taxista.

Infelizmente, o atendimento na Venezuela não é dos melhores. É muito comum te passarem um preço por whatsapp ou por e-mail e depois quererem cobrar outro. As desculpas são várias: que quem respondeu foi uma pessoa que não sabia que os preços haviam subido, que o preço era exclusivo para venezuelanos, etc. O lado bom é que, mesmo se quiserem te cobrar mais caro, ainda será econômico.

Nosso primeiro hotel na Venezuela: banheiro privado com água quente, ar condicionado e tv - apenas 12 reais.
Nosso primeiro hotel na Venezuela: banheiro privado com água quente, ar condicionado e tv – apenas 12 reais.

Falta de comida e produtos básicos

Outra história que se conta é que na Venezuela não se encontra papel higiênico, absorventes, comida, etc. De fato, o país apresenta alguma escassez, e é recomendável andar sempre com um rolo de papel higiênico, e que as mulheres tragam absorventes.

Mas a situação está muito diferente do caos que se mostra na TV, principalmente para quem visita o país como turista. Nos supermercados se encontra praticamente de tudo, porém os preços dos produtos que sofrem de escassez são caros (pelo menos para a situação econômica do país). O quilo do presunto, por exemplo, está custando apenas 4 reais, mesmo preço do quilo do açúcar (produto que está em falta).

Outra coisa que acontece é que já não se encontra muita variedade nas prateleiras. Há xampus, condicionadores e sabonetes, mas geralmente todos da mesma marca. Se você é adepto a alguma marca específica, melhor trazer do Brasil (ou de onde for).

Nos restaurantes é possível comer qualquer tipo de comida, e os preços são muito econômicos (não é difícil almoçar com menos de 4 reais no país).

Filas

Na Venezuela realmente há filas para praticamente tudo: para o banco, para a padaria, para o supermercado. Parte deste problema é pela desvalorização do dinheiro. A maioria das pessoas paga tudo com cartão para não ter que andar com grandes quantidades de notas, e isso colapsou o sistema de cartões do país.

Para quem paga em dinheiro, há que esperar um tempão até terminarem de contar os grandes volumes de dinheiro, nem que seja para comprar um pão…

Plano de Telefonia

Na Venezuela, considere fazer um plano de telefonia. Assim, poderá ligar para os hotéis ou chamar um táxi pela noite, além de ter internet e poder chamar a Embaixada em caso de emergência. A MoviStar permite fazer um plano pré-pago com o passaporte (não sabemos sobre as outras operadoras), e é muito barato. Um plano mensal com 600 minutos, 300 sms e 800mb, por exemplo, fica na faixa de 3 reais por mês.

É isso pessoal! Esperamos que este post tenha ajudado a tirar algumas dúvidas sobre a Venezuela!

**Nota (09/02/2017)** – Já terminamos nosso recorrido por este país maravilhoso. Se quiser ver nossas dicas mais atualizadas, nosso roteiro e os detalhes dos nossos gastos, leia nosso post atualizado aqui.

Para mais dicas e acompanhar nossa viagem pelo mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

41 comentários sobre “Dicas e informações para viajar à Venezuela tranquilamente

  1. Olá meus ídolos! Tudo bem?

    Estou aqui agoniada querendo correr conhecer a Venezuela rsrsr juro que se tivesse como, eu iria até aí encontrar vcs, o que seria maravilhoso! rsrsr

    Li todo o post e fiquei com duas dúvidas, q peço até desculpas se a resposta delas forem óbvias, porém eu preciso perguntar:

    1) Para chegar aí, preciso de dólares? O real não é uma moeda aceita pelas casas de câmbio aí?

    2) Pq ao trocar dinheiro no aeroporto, posso ser presa? Eu fiz exatamente isso em Buenos Aires e Santiago para ter um dinheiro para pagar o táxi até o hotel rs depois busquei uma casa de câmbio que fosse melhor o câmbio na cidade…. mas enfim: porque essa fala e quero saber se é uma particularidade da Venezuela. Fiquei preocupada!

    Agradeço desde já,

    Bjo enorme e muitas aventuras pra vcs, sempre! s2 s2

    1. Olá Vania!
      Muito obrigado, ficamos muito felizes que esteja curtindo acompanhar a nossa viagem! 🙂
      Tenho certeza que ia curtir muito a Venezuela, é um país encantador!
      Sobre o risco de ser preso no aeroporto, pedimos desculpas porque não fomos muito claros. Já até atualizamos o texto explicando 🙂
      O problema na verdade é trocar dinheiro com cambistas, que praticam o câmbio negro (que é ilegal). Casas de câmbio não existem no país, e você tem que ou trocar nos bancos ou procurar lojas que estejam interessadas em comprar dólares. A diferença do câmbio oficial para o câmbio negro é absurda: 1×670 contra 1×4000!
      Acho que essa questão do câmbio é realmente a mais complicada no país. Se não quiser ter dor de cabeça, acho que o ideal é trocar o dinheiro antes de vir para cá, ou já tentar entrar em contato com alguém de confiança que faça o câmbio!

      Beijos!!!

    1. Obrigado Juliana!! Ficamos muito felizes que nossas dicas estejam ajudando! 🙂
      Tomara que a gente se encontre sim, por onde andam agora?
      Bjoo

  2. Muito obrigado pelas importantes dicas!
    Pretendo estar por aí de mochila no dia 19, só me restou uma dúvida, o que acha vantajoso? entro no país apenas com dólares ou reais? Obrigado e boa viagem

    1. Olá Thalles! Temos certeza que vai adorar o país!
      Sobre o dinheiro, infelizmente o real só é aceito na fronteira. Na Ilha Margarita até consegue trocar, mas a uma cotação bem baixa. Euro também não é muito aceito.
      O ideal, se cruzar a fronteira por Boa Vista, é trocar uma quantidade de reais logo que entrar no país, e legar dólares para o restante dos lugares.
      Abraço e boa viagem!!

  3. Interessante! As vezes ou quase sempre a mídia exagera, mas infelizmente a desgraça aumenta a audiência e vende jornais, não importa a quem seja denegrido.

    1. É verdade, infelizmente o exagero é o que vende.
      Não há dúvidas que o país vive uma crise sem precedentes, mas a situação está bem longe do caos generalizado que mostram por aí!

  4. Irado irado mesmo, casal.
    Em março/ 2017 estarei caindo na estrada com a minha companheira…de kombi. E Venezuela ta na nossa rota! Queria saber de vocês como ta pra trafegar de carro e se vocês já esbarraram com alguém de kombi ou qualquer outro motorhome?
    Muito massa o blog e o face…comecei a seguir kkk
    Grato \o

    1. Olá Rafael!!
      Que legal sua viagem, nosso sonho é viajar de kombi por aí um dia!
      Quanto à Venezuela, prepare-se para ser parado por todos os policiais no caminho. Mas muitos brasileiros fazem essa rota (pelo menos da fronteira até a Isla Margarita). Não conhecemos ninguém de kombi ou morothome, apenas alguns poucos mochileiros europeus no estilo “Duro De Matar” mesmo.
      Possivelmente algum policial te peça dinheiro, mas o segredo é bater o pé e dizer “não”. Qualquer coisa liga pra embaixada e tudo se resolve! 🙂
      O país não é dos mais simples de se viajar, mas sem dúvidas vale cada perrengue passado!
      Abraço e boa viagem para vocês!!

  5. Olá, dicas excelentes!
    Viajaria para Colombia em fevereiro,mas não irei mais…
    Li seu texto e me animei com a venezuela, porém amo mar e gostaria de tirar uma duvida!!
    Por onde começo a trip,visto que só curto praias?
    Qual cidade?

    1. Olá Leonardo!
      Poderia começar por Caracas e ir recorrendo o litoral de ônibus. Se estiver muito caro, pode viajar para Boa Vista e cruzar a Venezuela de ônibus (é longe, mas ônibus aqui é extremamente barato).
      Algumas dicas são: Chichiriviche, Isla La Tortuga, Los Roques (essa tem que ir de avião e é um pouco caro) e Isla Margarita.
      Por enquanto só conhecemos Chichiriviche, mas à medida que formos avançando vamos colocando dicas dos outros lugares!

  6. Bom dia!

    Queremos sair de manaus no dia 25/12, mas não sabemos com está a situação depois que a fronteira foi fechada. Por favor, tem como informar a situação, principalmente de dinheiro e gasolina.

    Um abraço

    1. Olá Frank!
      Esta semana foi bastante complicada aqui. Retiraram as notas de 100 de circulação e praticamente não há dinheiro no país. A solução que muita gente está fazendo é emprestar o cartão de alguém daqui e ir depositando dinheiro e pagando as coisas no débito mesmo. Muitos cambistas oferecem este serviço.
      Dizem que semana que vem vão começar a circular as notas novas, e que a fronteira vai ser novamente aberta. Vamos acompanhando as notícias e informando o que vai acontecendo!

      Abraço!

  7. Olá, Renan!

    Estou querendo ir para Venezuela em maio, para conhecer Los Roques.

    90% das pessoas também me disseram para não ir, mas eu sou teimosa rs. Como está essa questão de dinheiro?

    E vocês acharam tranquilo fazer este câmbio negro?

    Muito obrigada!

    1. Olá Lígia!
      Pode ir sim que o país continua maravilhoso. Está em crise, mas longe de ser um caos!
      Sobre trocar dinheiro, tem ideia de quando pretende ir? Está bem complicado agora, mas em fevereiro devem entrar no mercado as notas novas, de maiores denominações, aí deve ficar mais fácil.
      Na fronteira está tranquilo de trocar (se for entrar por terra). Em Caracas pode perguntar no hotel que vão saber te indicar, ou passar nas lojas de roupas e perguntar. Os árabes (donos dessas lojas) sempre compram.
      Não chegamos a ir a Los Roques, mas dizem que por lá tudo é pago em dólares mesmo.
      Procura uma comunidade no face chamada “Brasileiros na Venezuela – Grupo de Apoio” que lá o pessoal indica cambista também. É melhor trocar dinheiro com alguém por indicação do que chegar lá procurar cambista!

      No mais, pode ir tranquilo que o pais está super econômico e tem várias praias belíssimas! 🙂

  8. Showww de bola o relato…Parabéns por tudo e principalmente por tentarem passar toda essa experiencia que estão tendo…ja fiquei ate com vontade de conhecer a venezuela apenas por estar seguindo voces…Obrigado.

    1. Valeu Breno! A Venezuela é muito legal mesmo, e como ainda não é tão explorada pelo turismo, a experiência de viajar por lá é ainda melhor! Tomara que consiga ir pra lá 🙂
      Abraço!!

  9. Vc saberia me informar quanto ficaria uma viagem do Rio de Janeiro para Venezuela de 15 com 1 pessoa? E tem passagem de ônibus DO Rio de Janeiro para Venezuela?

    1. Fala rapaz!
      Sobre os gastos por lá, ficamos numa média de pouco menos de 50 reais por dia para duas pessoas.
      Diria que com 40 reais por dia, sozinho, você consegue ter uma vida de rei por lá.
      Se quiser fazer tours para Monte Roraima ou Salto Angel, aí fica um pouco mais caro. Roraima sai na faixa de 1200 reais (5 dias) e Salto Angel em 200 dólares (3 dias).
      Sobre ir do Rio, acho que o ideal é você procurar uma passagem de avião para Boa Vista, e de Boa Vista subir de ônibus até a Venezuela. Não saberia te dizer quanto ficaria e nem quantos dias demoraria para subir do RJ até lá!
      Abs,

  10. Ola Renan, tudo bem?
    Vocês já voltaram ao Brasil?
    Sabe dizer se é permitido entrar no país com alimentos como por ex arroz, feijão, carne, queijo? ou produtos de higiene pessoal, papel higiênico, etc?
    Estou indo essa semana, e não gostaria de ter problemas logo na entrada do país, vou de avião.
    Que bacana as informações que vocês escreveram, e a disponibilidade e generosidade em responder os colegas! Gratidão!!!

    1. Olá Francyene!
      Ainda não voltamos para o Brasil, estamos na Colômbia e daqui subimos para a América Central 🙂
      Pode entrar com produtos de higiene sem problemas. Com comida não pode: carne e queijo com certeza serão confiscados (não permitem levar essas coisas em viagens internacionais). Arroz e feijão (em pacotes fechados) eu não saberia dizer. Acho que esses depende da interpretação do fiscal.
      Mas você não terá problemas em conseguir esses itens por lá, e os preços são parecidos com os do Brasil. Acho que não vale a pena arriscar.
      Alimentos industrializados, como chocolate, barras de cereal, etc são permitidos.
      Qualquer coisa pode mandar um e-mail para a embaixada da Venezuela em São Paulo e tirar as dúvias. Eles são super atenciosos e costumam responder rápido:

      conve.brspa@mppre.gob.ve

      No mais, faça uma boa viagem e curta muito este país incrível! 🙂

      1. Obrigada 🙂

        Será que nem se for embalado a vácuo? Ou enlatados?

        Eu voltei a pouco da Colômbia, amooooo esse país, vou sempre que posso, divirtam-se por aí!!! E México, vale muito visitar também!!!

        Obrigada pelo contato da embaixada, vou ver isso amanhã, abraço, boa viagem pra vcs!!!

        1. Acho que enlatados não teria problema!
          Embalado a vácuo não adianta, eles confiscam assim mesmo.
          Nós estamos adorando a Colômbia também! Agora estamos em Cartagena!
          Pelo México estamos ansiosos. Queremos ver se conseguimos enrolar para chegar lá na festa dos mortos, em outubro! 🙂
          Abraço e boa viagem pra você também!!

  11. Só pra contar pra vcs que confiscaram o embalado a vácuo, mas deixaram entrar arroz, feijão, lentilha e enlatados… parece que isso depende um pouco de quem está ali na vistoria no momento.

    1. Olá Francyene! Obrigado pela informação!
      Assim já sabemos como orientar se mais pessoas tiverem essa dúvida.
      Tomara que disfrute bastante da Venezuela! 🙂

  12. Olá Renan muito obrigado pelo artigo!! gostamos demais, so queria perguntar como fiz pra chegar na Venezuela por Boa Vista? tem algum dado de preco??

    1. Olá Miguel!
      Sei que tem táxis coletivos de Boa Vista até a fronteira (acho que custam uns 40 ou 50 reais por pessoa), e de lá pode pegar um outro táxi até Santa Elena (aí já é barato, pois são táxis venezuelanos).
      Não sei de dizer os preços com certeza porque entramos pela Colômbia, mas é por aí!
      Abraço!

  13. Renan! Parabéns pelo trabalho. Minha pergunta é: Vou sair de Manaus dia 22/12/17 rumo a Porto Ordaz e de lá vou ver se tem passagens para Mérida ou Porlamar. Queria saber se consigo comprar as passagens assim , logo que chegar na cidade. Outra, como vou por terra, qual lugar que posso trocar o dinheiro, em Paracaima ou em Sta Elena? Qual mais seguro. Eu vi que as passagens de avião dentro da Venezuela em alguns casos custam menos que 15 reais o trecho. Isso é verdade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *