Conhecendo Santiago, Chile – roteiros e dicas para todos os bolsos!

Acabamos de passar pela maravilhosa capital chilena Santiago, e deixamos aqui neste relato tudo o que você precisa saber antes de vir para cá! 😀

Referência para março/2016
1 real = 185 pesos chilenos


 

A cidade

Prédios antigos, largas avenidas, edifícios modernos, comida de rua, feiras lotadas, grandes parques e baladas de luxo: assim é Santiago, uma mescla do moderno e do antigo, onde o progresso e as raízes latinas convivem de mãos dadas.

Centro de Santiago, Chile
Movimentado centro de Santiago, Chile

Com mais de 5 milhões de habitantes (ou mais de 6, se contar a região metropolitana), Santiago é a capital e a maior cidade do Chile. Está localizada em um vale, chamado “valle central”, está a pouco mais de 100km do litoral e possui uma bela vista das cordilheiras.

É perigosa?

Enquanto viajávamos pelo sul do Chile, todos nos falavam para tomar cuidado em Santiago (alguns até nos recomendaram a não passar por aqui) por ser uma cidade extremamente perigosa.

Bom, para os padrões do sul ela pode até ser perigosa, mas nós não vimos nada disso. Pelo contrário: como brasileiros, consideramos Santiago bem segura, inclusive à noite.

Transporte público

Santiago conta com uma excelente rede de metrôs, com trens modernos e confortáveis (embora lotados nos horários de pico). A entrada ao metrô pode ser paga com dinheiro ou usando o cartão de transporte. Os preços variam com o horário do dia, em uma faixa entre R$3,50 e R$4,50 (pode consultar os preços oficiais em: http://www.metrosantiago.cl/guia-viajero/tarifas ).

Mucuvinha no metrô de Santiago
Excelente metrô de Santiago

Pegar ônibus já é um pouco mais complicado: não aceitam dinheiro, somente o cartão de transporte. Se for ficar alguns dias na cidade, convém fazer o cartão de transporte (caro, custa 1500 pesos, e pode ser comprado e carregado em qualquer quiosque).

Se não tiver o cartão e precisar pegar o ônibus, pode subir e pedir para alguém pagar para você (embora isso não seja muito comum por aqui: em geral o pessoal entra e simplesmente não paga). Se não conseguir que alguém te pague, converse com o motorista e explique a situação. Ele vai entender (só não fique fazendo isso toda hora!).

Onde se hospedar

Santiago tem hospedagem para todos os gostos e bolsos. Procure ficar em algum lugar próximo a alguma estação de metrô.

Os melhores lugares para ficar perto de tudo é próximo ao centro, na região entre o Palácio La Moneda e a Iglesia San Francisco.

Se quiser ficar mais perto do agito e das baladas, procure algo no bairro Bellavista, onde o pessoal costuma se reunir para beber no fim da tarde ou até tarde da noite.

Poluição

Alguns podem sofrer um pouco por aqui por conta da poluição, principalmente aqueles que vêm de cidades pequenas. No verão praticamente não chove por aqui, e, por estar localizada em um vale, a fumaça fica presa e o céu se vê cinza em algumas horas do dia. Mas não é nada de outro mundo para quem já está acostumado a viver em cidades grandes.

Mucuvinha no Cerro San Cristóbal, em Santiago
Santiago vista do Cerro San Cristóbal. Ao fundo, pode-se ver a nuvem de poluição formada.

Água

Como em quase todo o Chile, a água da torneira de Santiago é própria para beber, embora o sabor não seja dos melhores. Se não estiver em economia de guerra, recomendamos comprar água mineral para tomar.

Dinheiro

Há várias casas de câmbio no centro de Santiago. As melhores cotações que encontramos foram no centro, próximo ao Palácio La Moneda. É possível trocar dólares, reais, euros ou pesos argentinos a preços justos. Outras moedas não compensam.

Agências de turismo

Nós fizemos parceria com a agência de turismo Viaja Brasil Tours, uma agência brasileira especializada na maioria dos passeios por Santiago. Recomendamos a todos, principalmente para aqueles que não falam bem espanhol, pois todo o suporte e passeios são em português.

O que fazer?

Aqui vão alguns lugares que visitamos e recomendamos!

Valparaíso fica a pouco mais de 1h de Santiago, no litoral, e seu centro é tombado como Patrimônio Cultural pela UNESCO.

Cerro Santo Domingo, em Valparaíso, Chile
Bela vista do Cerro Santo Domingo, Valparaíso

Não importa se for fazer um tour só de um dia ou se for passar alguns dias lá: você precisa visitar esta cidade!

Fizemos um post especial deste lugar AQUI.

  • Palácio de la Moneda

Localizado em pleno centro, este palácio é sede da Presidência da República no Chile. A cada dois dias, às 10h da manhã, ocorre a troca de guardas, um evento que dura cerca de 40 minutos e vale a pena assistir. Tente chegar ao local com uns 20 minutos de antecedência para pegar um bom lugar (vários turistas vão lá assistir).

Mucuvinha no Palácio de la Moneda, em Santiago
Mucuvinha em frente ao Palácio de la Moneda

Quando chegar em Santiago, pergunte se está acontecendo nos dias pares ou ímpares (varia com o mês).

O Palácio de la Moneda foi palco de um dos maiores Golpes de Estado da América Latina, que culminou na ditadura de Pinochet. Escrevemos um pouco dessa história AQUI.

  • Cerro Santa Lucía

Localizado na zona central de Santiago, a entrada neste pequeno cerro é gratuita, e de lá você pode ter belas vistas da cidade. Em cima do cerro estão as ruínas de um antigo forte, várias praças e alguns canhões antigos.

Cerro Santa Lucía, Santiago
Vista de cima do Cerro Santa Lucía

Visita obrigatória a todos os que passarem pela capital chilena!

  • Cerro San Cristóbal

Localizado próximo ao bairro de Bellavista, este enorme cerro oferece uma vista espetacular para toda a cidade.

O passeio mais tradicional é subir e descer pelo funicular (uma espécie de elevador) até perto de onde está a estátua da Nossa Senhora Imaculada da Conceição, e lá subir uma pequena escadaria até a estátua. O preço do funicular durante a semana é 1500 pesos o trecho, ou 2000 pesos para subir e descer. Nos fins de semana é um pouco mais caro.

Funicular do Cerro San Cristóbal
Funicular que leva e trás do topo do Cerro San Cristóbal, para quem estiver com preguiça de caminhar

Para quem está em economia extrema (como nós), é possível subir e descer caminhando por um caminho de mais ou menos 1,5km. Apesar de cansativa, a subida não é difícil.

Uma dica é ver o pôr-do-sol lá de cima, que é muito bonito.

Quem quiser explorar mais o cerro, há várias outras trilhas para fazer, com extensões de até 5km. Pode ser um passeio de um dia inteiro para quem quiser caminhar.

Estátua de Nossa Senhora Imaculada da Conceição, no topo do Cerro San Cristóbal
Estátua de Nossa Senhora Imaculada da Conceição, no topo do Cerro San Cristóbal

No cerro também está o zoológico de Santiago, considerado um dos mais completos da América do Sul. Não chegamos a visitá-lo, mas quem foi diz que vale a pena.

  • Catedral Metropolitana de Santiago

Localizada ao lado da Plaza de Armas, em pleno centro, esta enorme igreja pode não impressionar muito por fora, mas por dentro é incrível. Sua construção foi concluída em 1800, e ela é um dos Monumentos Nacionais do Chile.

Interior da Catedral Metropolitana de Santiago
Interior da Catedral Metropolitana de Santiago, a igreja mais bonita da cidade na nossa opinião.

A visita é gratuita.

  • Mercado Central

Pequeno e caótico, o Mercado Central de Santiago é um ótimo lugar para encontrar frutos-do-mar exóticos e para almoçar alguma comida típica.

Mercado Central de Santiago
Interior do Mercado Central de Santiago

Apesar de ser turístico, os preços aqui não são exorbitantes.

  • Bairro Bellavista

Bairro chique de Santiago, é onde estão os principais restaurantes, bares e baladas. Apesar de chique, não precisa se preocupar com os preços aqui: tem para todos os gostos.

Ali está o Pátio Bellavista, um mini shopping caríssimo, com bares e restaurantes frequentados por cuicos (é assim que os chilenos chamam os ricos) e marcado por alguns paradoxos, como a venda de bonecos do Che Guevara por preços superiores a 130 reais.

Quem quiser gastar pouco, pode andar pelas ruas mesmo e procurar os bares frequentados pelos estudantes da faculdade. Aí tem para todos os bolsos: é possível tomar uma cerveja pagando algo em torno de 7 reais no litrão.

Mucuvinha no bairro de Bellavista, Santiago
Os bares e restaurantes de Bellavista costumam lotar de estudantes no fim das aulas.

Se quiser um pouco de agito, vá no fim da tarde, quando o pessoal sai das aulas, ou pela noite, quando as baladas começam a funcionar.

  • Costanera Center

Com 300m de altura, este é o edifício mais alto da América Latina. É possível subir ao mirador, de onde (dizem) se tem uma bela vista da cidade. Nós não chegamos a subir porque o valor é caríssimo (5 mil pesos durante a semana e 8 mil durante os fins de semana). Nos contentamos com a vista gratuita do San Cristóbal mesmo. Mas, se tiver uma graninha sobrando…

Costanera Center, Santiago
O Costanera Center, edifício mais alto da América Latina, se destaca no meio de Santiago.

O Costanera Center fica longe do centro para ir caminhando, mas é facilmente acessível de metrô.

Localizado a pouco quilômetros do centro de Santiago, próximo a comuna de Maipú, este lugar é um paraíso para quem quer fugir um pouco da cidade grande e aproveitar um pouco a natureza. Lá se tem belas vistas de lagoas, montanhas, vales e vulcões, além de ser possível tomar um relaxante banho de águas termais.

Embalse el Yeso
Embalse el Yeso, bela represa no Cajón de Maipo

Fizemos o passeio com a Viaja Brasil Tours, e escrevemos um post exclusivo sobre este lugar AQUI.

  • Mercado de Frutas Tirso de Molina

Localizado próximo ao Mercado Municipal, do outro lado do rio, está este caótico mercado, ótimo para comprar todo tipo de frutas e verduras a preços muito baixos. Ótimo para comer aquelas frutas que são caras no Brasil, como uva, cereja e morango.

Mercado de frutas de Santiago
Tirso de Molina, ótimo lugar para comprar frutas e verduras a preços baratos

Localizada a uns 100km da capital, dentro de uma mina de cobre ativa, está uma antiga cidade que chegou a atingir 16 mil habitantes, e hoje encontra-se desabitada. Por sua importância, este lugar foi tombado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Mucuvinha na cidade fantasma de Sewell
Mucuvinha em Sewell

Para chegar lá, somente com excursões. Quem leva é a agência www.vts.cl, e pode ser contratado tudo pela internet). Leia nosso post exclusivo sobre este lugar AQUI.

Visita recomendadíssima!

  • Museu dos Direitos Humanos

Localizado a poucas quadras da Estação Central de Ônibus, este lugar pode ser acessado de metrô ou a pé, para quem tiver disposição de caminhar uns 3 ou 4 quilômetros a partir do centro.

Museu dos Direitos Humanos em Santiago
Museu dos Direitos Humanos – ótima visita para entender melhor a ditadura chilena.

O acesso ao museu é gratuito e é ótimo para entender melhor a horrível história da ditadura chilena e o Golpe de Estado apoiado pelos Estados Unidos para derrubar o presidente socialista Salvador Allende.

Visita obrigatória, principalmente para aqueles que pensam que a volta da ditadura no Brasil seria uma boa ideia. Não permitem tirar fotos lá dentro.

  • Visita às vinícolas

Não fizemos esta visita porque já havíamos visitado vinícolas na Argentina, mas se você é um apreciador de vinhos e ainda não teve oportunidade de ver seu processo de fabricação, essa pode ser uma boa pedida.

A vinícola mais famosa da região é a Concha y Toro, e pode ser visitada com excursão ou por conta própria (vai precisar pegar um táxi para chegar até lá).

Dicas

  • Em Santiago (como em todo o Chile) é proibido consumir bebidas alcoólicas na rua. Dificilmente a polícia vai implicar com um turista, mas não convém arriscar: as multas são altíssimas para esta infração.
  • Para quem está em economia extrema, procure os mercados da rede Ekono, são os mais baratos!
  • Procure se hospedar perto de alguma estação de metrô – isso vai te ajudar muito!
  • Se quiser comprar roupas de frio ou materiais de camping, aqui é bem mais barato que no Brasil.
  • Não deixe de provar Mote com Huesillos (bebida sem álcool) e Terremoto (bebida alcoólica), bebidas típicas do Chile.
  • Pode trazer reais para trocar aqui: nossa moeda é bem valorizada nas casas de câmbio de Santiago, e vale mais a pena trocar reais diretamente do que comprar dólares no Brasil e depois trocar dólares por pesos chilenos. Se for viajar para outros lugares do Chile, porém, as cotações não vão ser boas. Neste caso, vale a pena trocar todo o dinheiro em Santiago ou viajar com dólares.

 

Confira todas as dicas do Chile aqui!

Espero que nossas dicas tenham sido úteis para vocês! 😀

Acompanhem nosso mochilão de volta ao mundo curtindo nossa página no face!
www.facebook.com/mundosemfimoficial

12 comentários sobre “Conhecendo Santiago, Chile – roteiros e dicas para todos os bolsos!

  1. Não gostei de Valparaíso, achei que perdi o dia. Concha y Toro interessante. Cuidado com ladrões que cortam bolsas, especialmente nos mercados, não tive problemas mas conheço pessoas que foram roubadas. Região próxima mercado e Bella Vista, tem que usar a rota dos turista porque se cortar caminho tem muitos moradores de rua e drogados. Alguns museus que pretendia conhecer fechados desde grande terremoto. Se tiver sem tempo troque Valparaíso pelo Vale nevado. Fique próximo centro e da para fazer muita coisa a pé. Usei metrô, nem tentei ônibus.

    1. Valparaíso realmente é complicado: para nós, foi o melhor da região, mas escutamos muita gente dizer que não curtiu. Gostamos porque parece muito bom o Brasil, e já faziam 6 meses que estávamos longe de casa 🙂
      Quanto a Santiago, realmente há bastante morador de rua, mas entramos em tudo que é viela e não nos sentimos em perigo durante o dia. Tem que tomar os cuidados básicos que já estamos acostumados no Brasil.
      Valle Nevado não visitamos porque falaram que no verão não é muito interessante, mas no inverno é sensacional.

  2. Santiago é uma cidade bastante segura, morei dois anos lá e nunca tive problemas. Como qualquer outra cidade grande tem gente querendo passar a perna em locais turísticos, pessoas tentando furtar, mas nada comparado com a violência urbana como em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *