Popayán – conheça esta bela cidade colonial na Colômbia

Com um centro histórico muito bonito, praticamente todo pintado de branco, Popayán é uma bela cidade colonial que dá boas-vindas aos viajantes que chegam ao país desde o Equador. Não deixe de conhecê-la!

Câmbio oficial (out/2016)
1 real = 910 pesos colombianos
1 dólar = 2930 pesos colombianos

Catedral Nuestra Señora de la Asunción, em Popayán.
Catedral Nuestra Señora de la Asunción, em Popayán.

A beleza de Popayán impressiona. Segundo nosso guia de viagens Lonely Planet, esta é a segunda cidade colonial mais bonita da Colômbia, depois de Cartagena das Índias. Para nós, ainda é muito cedo para concordar ou discordar deles, mas sim podemos afirmar que a cidade de fato é muito bonita!

Fundada em 1537 por Belalcázar durante sua busca pelo El Dorado, Popayán é uma das cidades mais antigas, e também mais bem conservadas da América. Isso se vê claramente no seu centro histórico, com igrejas e prédios desenhados ao estilo colonial. O fato de todos estarem pintados de branco deram a ela o título de “Cidade Branca da Colômbia”. Hoje a cidade conta com pouco mais de 250 mil habitantes.

Em 2005 a UNESCO deu a Popayán o título de Cidade Unesco da Gastronomia, devido a grande variedade de comidas únicas do local. Em 2009, a UNESCO ainda declarou suas procissões da Semana Santa como Obra Mestre do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade.

Edificações brancas em Popayán
Edificações brancas em Popayán

Como chegar?

Popayán é a capital do departamento de Cauca, e está a cerca de 150km ao sul de Cali, a capital mundial da salsa. Há ônibus o tempo todo entre estas duas cidades.

O terminal está a 2km do centro histórico, e o trajeto pode ser feito facilmente caminhando.

Popayán pela noite
Popayán pela noite

O que fazer em Popayán?

Popayán é uma cidade bem fácil de ser percorrida a pé em 1 dia, pois todos os seus atrativos estão concentrados no centro. Em frente à praça central, na Carrera #7, há um escritório de informações turísticas, onde você pode obter gratuitamente um mapa da cidade com as principais atrações, incluindo igrejas e museus.

Não deixe de caminhar até a Puente del Humilladero, uma antiga ponte onde hoje rolam feiras de artesanato e várias apresentações culturais. Conta a história que, antigamente, o acesso a ela se dava através de um morro de difícil acesso, onde as pessoas precisavam subir de joelhos e engatinhando, e por isso ela leva este nome.

Puente del Humilladero vista de baixo
Puente del Humilladero vista de baixo
Sobre a Puente del Humilladero, onde costumam ocorrer eventos culturais na cidade
Sobre a Puente del Humilladero, onde costumam ocorrer eventos culturais na cidade

Hospedagem

Para se hospedar em Popayán, procure hotéis próximos à praça central. Salvo se estiver viajando em épocas festivas, como a Semana Santa, não terá dificuldades em encontrar um hotel ao chegar por lá.

Se estiver procurando opções econômicas, os hotéis mais baratos estão na Carrera #5, entre a Calle #5 e a Calle #8. Por aí conseguimos um hotel por 22 mil pesos para nós dois (com TV a cabo e banheiro compartilhado, sem água quente).

Entre a praça e o terminal há outras opções mais chiques, que em geral custam acima de 40 mil pesos por pessoa.

Templo de El Carmen
Templo de El Carmen

Onde comer?

A comida na Colômbia costuma ser barata, e Popayán não é exceção. Se estiver buscando lugares econômicos, na Carrera #5, entre a Calle #6 e a Calle #9 há menus completos por apenas 3 mil pesos (isso mesmo, menos de 4 reais!).

Restaurantes mais turísticos podem ser encontrados nos arredores da praça central. Com 15 mil por pessoa já é possível comer um prato mais sofisticado em um belo casarão colonial.

Mucuvinha caminhando por Popayán
Mucuvinha caminhando por Popayán
Popayán
Popayán

É isso pessoal! Gostaram da dica desta cidade?

Para acompanhar nossa viagem de volta ao mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

Um comentário sobre “Popayán – conheça esta bela cidade colonial na Colômbia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *