Dragões de Komodo – como visitar sem gastar muito

Quer ver os famosos dragões de Komodo, mas quase infartou quando viu os preços dos tours em Bali? Aqui ensinamos a chegar lá de um modo mais barato!

Câmbio oficial (maio/2018)
1 real = 3800 rúpias
1 dólar = 14000 rúpias
1 euro = 16.300 rúpias

Conhecer os temíveis dragões de Komodo era um sonho antigo, e uma das metas da nossa viagem. Porém, o preço dos tours que vimos (na faixa dos 250 dólares, fora as entradas) nos deixaram bem desanimados. Felizmente, pesquisando um pouco e conversando com a população local, encontramos meios alternativos para chegar lá gastando muito menos. Desta forma, conseguimos tornar nosso sonho realidade!

Dragão de Komodo
Dragão de Komodo

Os dragões de Komodo

Também chamados de “crocodilo-da-terra” e “demônio da Indonésia”, estes enormes lagartos habitam a ilha de Komodo e algumas ilhas vizinhas. Este é o único lugar do mundo onde você pode vê-los em seu habitat natural.

O motivo de serem chamados de “dragões” é porque suas bocas têm tantas bactérias que, se você for mordido, o local da mordida ficará preto, como se fosse uma queimadura. Estas bactérias lhes proporcionam um importante mecanismo de ataque: eles mordem a perna da vítima e esperam que o ferimento infeccione e apodreça. Impossibilitada de andar, a vítima acabará morrendo, deixando um banquete pronto para estes animais, que são carnívoros e carniceiros. Desta forma, sem grande esforço eles conseguem derrubar animais muito maiores que eles.

Dragões de Komodo
A foto clássica

Os dragões, obviamente, são imunes a estas bactérias, e por isso seu estudo é de grande interesse da indústria farmacêutica. Se os pesquisadores conseguirem descobrir qual é a molécula antibacteriana que os protege, isso trará um enorme avanço na medicina atual.

São raros os casos de acidentes com humanos, mas já aconteceram. Todo o passeio deve ser feito com guia, e você deve seguir todas as recomendações e não se aproximar demais dos animais. Fazendo tudo certinho, não há perigo algum.

Recomendações

  • Procure usar calçado fechado para fazer a trilha na ilha de Komodo;

  • Mulheres devem evitar fazer o passeio durante a menstruação, pois o cheiro do sangue atrai os dragões;

  • Sempre dê uma chorada no preço dos tours para ganhar um desconto;

  • Apesar das refeições estarem incluídas, leve umas bolachas, pães ou salgadinhos para reforçar.

Trilha na ilha de Komodo
Trilha na ilha de Komodo

Os tours

Desde Bali saem tours de 4 ou 5 dias para as ilhas de Komodo. Estes tours custam na faixa de 3.500.000 rúpias (250 dólares) sem incluir as entradas no parque (250 mil rúpias, ou 18 dólares).

Se você contratar o tour em Labuan Bajo (ilha de Flores), vai pagar em torno de 400 mil rúpias (28 dólares) pelo tour de 1 dia ou 700 mil rúpias (50 dólares) pelo tour de 2 dias.

Todos os tours incluem as refeições, água, máscara, snorkel, pés de pato e coletes salva-vidas (embora valha a pena confirmar antes de fechar negócio).

Os preços acima para os tours de mais de um dia são para dormir no deck do barco. Se quiser um camarote privado, espere pagar uns 20 a 30% mais caro. Pela nossa experiência, pagar o camarote não vale a pena, pois eles são muito quentes. No nosso tour, todos os que pegaram camarote acabaram levando o colchão para fora e dormindo no deck mesmo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os tours funcionam da seguinte forma:

  • Tour de 1 dia

Saem às 5h30min da manhã de Labuan Bajo e retornam por volta das 17h. Visitam os seguintes lugares:

-Ilha de Rinca

-Praia rosa

-Ilha de Komodo

-Ilha de Pulau Padar

  • Tour de 2 dias

Saem às 8h e retornam por volta das 17h do dia seguinte. Além dos lugares visitados no tour de 1 dia, visitam também:

-Manta point (lugar para nadar com arraias);

-Ilha de Kanawa (a ilha pode variar conforme a agência).

Se você tiver tempo, recomendamos fazer o de dois dias. Além de conhecer os lugares com menos correria, o snorkel em Kanawa é sensacional, cheio de vida marinha (Manta point não curtimos muito). A experiência de dormir no barco no meio do nada também é muito boa.

  • Tour de vários dias (vendido em Bali)

Basicamente visita os mesmos lugares do tour de 2 dias. Os dias adicionais são para fazer o translado desde Lombok (sim, eles saem da ilha de Lombok, vizinha de Bali; você tem que chegar lá por conta própria), e você não deve ver muita coisa interessante pelo caminho.

Como chegar a Flores

É possível ir até Flores de barco, avião ou usando uma combinação de barco e ônibus. Neste post descrevemos como fizemos este translado gastando o mínimo possível.

O ferry de Bali para Flores
Viajando para Flores em ferry

As agências de Labuan Bajo

Labuan Bajo é uma cidade composta basicamente por uma rua principal e bastante turística. É nesta rua que estão quase todas as agências e hotéis.

O passeio oferecido por todas é basicamente o mesmo (inclusive juntam várias agências diferentes no mesmo barco). O preço pedido pela maioria é de 500 mil para o tour de 1 dia e 800 mil para o de dois dias, mas em ambos os casos dá para baixar 100 mil negociando. Nós acabamos fechando com a agência FCK, pois tinham o preço correto (700 mil para o de dois dias) anunciado num quadro. Também mostraram as fotos do barco (e, de fato, o barco era bom).

Não sabemos como é na alta temporada, mas quando fomos era fácil chegar lá e organizar o tour para o dia seguinte (mesmo se você chegar no fim da tarde).

Este slideshow necessita de JavaScript.

A cidade de Labuan Bajo

Labuan Bajo não é uma cidade interessante, e nem vale a pena tirar uns dias para conhecê-la. As hospedagens são mais caras que a média da Indonésia (70 mil por noite no hostel mais barato, e 150 mil por um quarto de casal) e não há nada para ver.

Há outros tours disponíveis, principalmente de mergulho. Custam na faixa de 20 a 30 dólares por imersão. Também oferecem tours pelo interior da ilha de Flores. Nos pareceram bem interessantes, mas infelizmente são pouco procurados, e por isso acabam saindo bem caros.

O preço do passeio

Além do preço do tour, é preciso pagar:

  • até 250 mil rúpias de entrada em Komodo (se o grupo for grande, o valor pode baixar um pouco);

  • de 20 a 80 mil rúpias pelo guia em Komodo (o guia custa 80 mil e leva até 4 pessoas);

  • 10 mil rúpias de entrada na ilha de Kanawa;

  • Se quiser comprar cerveja no barco, uma garrafa grande custa 60 mil rúpias.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nosso tour

Nós fizemos o tour de 2 dias. Nos encontramos na agência com o pessoal às 7h30min e fomos para o porto pegar o barco, que deveria sair às 8h. Acabou se atrasando um pouco, mas isso não atrapalhou o passeio.

Viajamos cerca de 1 hora até a ilha de Rinca, nossa primeira parada (o primeiro café-da-manhã não está incluído, portanto certifique-se de comer antes ou levar algo).

  • Rinca

Em Rinca você verá os primeiros dragões de Komodo. Aqui deverá pagar em torno de 250 mil rúpias de entrada (nós estávamos em um grupo de 16 pessoas e pagamos 235 mil cada um). O guia desta ilha já está incluído no preço.

A ilha de Rinca é meio desértica, e ali vimos os primeiros dragões descansando ao lado das casas da recepção. Também vimos outros animais da região, como veados, macacos e búfalos.

Nosso guia nos contou um pouco sobre os dragões e nos levou em uma trilha de pouco mais de 1 hora pela ilha. Nesta trilha não vimos dragão nenhum, mas o visual compensou.

Terminado o passeio, voltamos para o barco, almoçamos e seguimos por mais 2 horas até a ilha de Komodo. Fizemos uma pequena parada da Praia Rosa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Praia rosa

A praia rosa fica na ilha de Komodo, mas afastada dos dragões. Como o nome sugere, a areia tem uma coloração levemente rosada. Aqui você pode tomar sol, fazer uma pequena trilha até um mirante ou curtir um snorkel. Nós optamos pelo snorkel, e aproveitamos bastante. Tem alguns corais e você pode ver vários peixes (inclusive o Nemo) e, se der sorte, arraias, enguias e até tartarugas.

Ficamos 1 hora curtindo esta praia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Komodo

A próxima parada foi para fazermos a trilha na ilha de Komodo. A vegetação aqui é mais alta, por isso é recomendável ir com calçado fechado (mas nós fomos de chinelo mesmo).

Nós pagamos 20 mil cada um pelos guias, e fomos acompanhados por quatro guias. No caminho vimos um pessoal de outro grupo saindo do meio do mato encantados porque viram uns dragões comendo uma carcaça. Nosso guia disse que, para irmos até lá, teríamos que pagar um extra de mil rúpias cada um. Dissemos que iríamos até lá e que não iríamos pagar mais nada, e ele acabou cedendo. O fato é que não precisamos caminhar nem 5 metros para ver estes dragões, e não fazia o menor sentido pagar extra por isso.

Dragão de Komodo
Um dos maiores dragões do parque

A cena foi interessante, mas não deu para ver bem. Nem conseguimos tirar foto.

Então seguimos um pouco mais pela trilha, e logo fomos interrompidos por um dragão que corria em nossa direção. Os guias rapidamente o afastaram e perguntaram se alguma mulher estava menstruada. De fato, uma estava, e provavelmente foi isso atiçou o dragão.

Caminhamos um pouco mais e encontramos um dragão enorme descansando. Segundo o guia, aquele era um dos maiores do parque. Ali começamos a tirar fotos, mas logo o dragão que havia corrido atrás de nós apareceu novamente. Os guardas o afastaram outra vez, mas isso atiçou o dragão grande e as fotos foram interrompidas. O passeio acabou sendo encerrado desta forma.

Mas tudo bem, valeu à pena um pouco de emoção.

Voltamos para o barco, jantamos e dormimos ancorados próximos a uma pequena ilha.

  • Ilha de Pulau Padar

Acordamos com a visão do sol nascendo no horizonte e logo nos serviram o café da manhã, enquanto nos dirigíamos a Padar, nosso primeiro destino do segundo dia.

Padar é uma ilha com um formato bastante interessante, bem estreita no meio e coberta por pequenas montanhas. Ali fizemos uma trilha de cerca de 1 hora até um mirante. O guia não vai junto, portanto você é livre para caminhar no seu ritmo e tirar as fotos que quiser. A trilha seguia adiante do ponto onde paramos, mas ficamos com preguiça de continuar. As outras pessoas do nosso grupo continuaram, mas no fim disseram que não perdemos muito, já que a beleza estava no mirante mesmo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Padar tem uma praia bonita. Vá com roupa de banho para curti-la um pouco enquanto espera o barco voltar.

  • Manta point

Esta é uma parada em alto mar, onde é possível ver arraias. Não é raro que a visita a este lugar seja cancelada pelas condições climáticas, mas nós demos sorte e conseguimos nadar lá.

Aqui é bem fundo, portanto desça com colete salva-vidas caso não saiba nadar. A corrente também é forte. Nós basicamente fomos flutuando com a corrente, tentando ver arraias. O barco foi nos buscar.

Vimos apenas uma arraia, e de longe. Não havia peixes e nem corais. Foi um passeio interessante, mas dispensável. Se você não puder visitar por conta do clima, não fique chateado. Se pudéssemos trocar a hora que ficamos aqui por uma hora a mais em Kanawa, trocaríamos sem pensar duas vezes.

  • Ilha Kanawa

Esta foi a nossa última parada, e sem dúvidas a melhor para fazer snorkel. A ilha é particular e é preciso pagar 10 mil rúpias de entrada (isso dá menos de 1 dólar).

Foi só colocar a cabeça dento d’água que já nos deparamos com muitas estrelas-do-mar. Avançando fomos vendo inúmeros corais, peixes coloridos, esponjas, vários Nemos e muito mais. Se der sorte, pode ver alguns pequenos tubarões também (nós não demos). A água também é bem transparente. De todos os snorkels que já fizemos na vida, este foi um dos melhores.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ficamos 1 hora nesta ilha. E então, para nossa tristeza, chegou a hora de voltar a Labuan Bajo, encerrando assim este passeio inesquecível.

Aqui está um vídeo resumindo como foi nosso passeio:

É isso, pessoal! Vejam também nossas dicas sobre Bali:

Não deixem de nos acompanhar nas redes sociais:

Um comentário sobre “Dragões de Komodo – como visitar sem gastar muito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *