Conhecendo o Parque Nacional Bako, no Bornéu da Malásia

De fácil acesso, o Parque Nacional Bako é barato e oferece a oportunidade única de ver os macacos narigudos, uma espécie endêmica da ilha de Bornéu. Se quer estar em contato com a natureza, não deixe de incluí-lo em seu roteiro!

Câmbio oficial (março/2018)
1 real = 1,21 myr
1 dólar = 3,90 myr
1 euro = 4,85 myr

Macaco proboscis, no Parque Nacional Bako
Macaco narigudo – símbolo do Parque Nacional Bako

Cercado por uma densa selva e com inúmeras opções de trilhas, o Parque Nacional Bako é lar de várias espécies de animais, como esquilos, macacos, porcos selvagens, etc. Dentre estes animais, os mais impressionantes são os macacos proboscis, que chamam a atenção por seu enorme nariz que é, digamos, engraçado. Estes animais são endêmicos da ilha do Bornéu, e o Parque Nacional Bako é um dos poucos lugares onde você pode vê-los em seu habitat.

Este parque também oferece alojamentos bastante econômicos, e vale a pena passar pelo menos 1 ou 2 noites por lá. Como as trilhas principais são fáceis e os animais ficam perto dos alojamentos, este também é um ótimo destino para aqueles que estão com crianças.

Portanto, se estiver viajando por Kuching, não deixe de visitá-lo!

Parque Nacional Bako
Entrada do parque

Como chegar

A base para visitar o parque é a cidade de Kuching. Praticamente todos os hotéis e agências vendem tours para lá, mas é bem fácil (e bem mais barato) ir por conta própria. Os ônibus que fazem o trajeto custam apenas 3,50 MYR, e a viagem até o porto dura pouco menos de 1 hora. Os ônibus saem de hora em hora a partir das 7h.

No porto é preciso pagar a entrada do parque (20 MYR) e pegar um barco até a reserva (20 minutos, 20 MYR o trecho).

Se você for fazer o tour de 1 dia, recomendamos sair bem cedo (pegar o ônibus das 7h). Os barcos começam a sair às 8h e teoricamente saem de hora em hora, mas nós chegamos lá às 9h30min e tivemos que esperar até às 14h porque o nível da água estava baixo.

O ônibus que vai para o porto é o número 1, e você pode pegá-lo bem no centro, perto da praça Padang Merdeka (marcamos no mapa abaixo o local exato).

Este slideshow necessita de JavaScript.

No parque há dois lugares onde os barcos podem parar: se a maré estiver alta, vão parar em um pequeno cais. Se estiver baixa, vão parar na praia (e, neste caso, você vai molhar os pés para descer). Fique atento a este detalhe quando for embora, pois o cais e a praia estão a cerca de 10 minutos de distância caminhando.

Os custos

Além do dinheiro que você vai gastar para chegar lá (3,50 MYR de ônibus e 20 MYR de barco), é preciso pagar 20 MYR de entrada. Se quiser dormir no parque, há quartos privados a partir de 40 MYR, ou camas em quartos compartilhados a partir de 15 MYR.

Não é necessário contratar guia para fazer nenhuma das trilhas, mas você pode fazer um tour guiado noturno por 10 MYR.

Parque Nacional Bako
Macaco comendo uma banana que roubou de algum turista

Comida e bebida

Encontramos gente dizendo na internet que havia cozinhas públicas por lá, mas quando fomos já não havia mais. Mas há um restaurante no parque que vende comida barata, desde às 7h30min até às 21h. A comida é servida ao estilo buffet (você paga por cada colherada ou pedaço de carne que pegar), e nossos pratos ficavam entre 6 e 10 myrs.

Eles vendem água e bebidas no restaurante, com preços altos. Uma garrafa de água de 1,5 litros, por exemplo, custa 4 myr. Mas, se você tiver a sua garrafa, é possível pedir para encher com água purificada (1 myr por uma garrada de 1,5 litros).

Hospedagem

As hospedagens ficam perto do local onde o barco te deixa, ao redor da recepção e do restaurante. Nós ficamos no Forest Hostel, o mais barato. Os quartos lá têm 4 camas e cada cama custa 15 myr, mas você também pode optar por alugar o quarto inteiro por 40 myr (foi o que fizemos). Como estávamos em 2, gastamos 10 myrs a mais, mas ficamos com o quarto só para nós. Se você tiver condições, recomendamos ficar com um quarto privado também. Além da privacidade, você pode apontar os ventiladores para a sua cama (tem dois no quarto). Outro motivo é que as pessoas suam muito nas trilhas, e nem todos os turistas são adeptos a tomar banho. Nossos vizinhos tinham uma sovaqueira horrível. Não quero nem imaginar como seria dormir no mesmo quarto que eles…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Há outras opções mais cômodas, incluindo chalés que possuem até ar condicionado (a partir de 100 myr). Mas nós, com nossos ventiladores, conseguimos dormir bem.

Para se hospedar no parque é preciso fazer uma reserva pelo site: https://ebooking.sarawak.gov.my. Recomendamos reservar com pelo menos uns 3 dias de antecedência, pois as opções econômicas se acabam rápido.

Depois da reserva você é redirecionado para o pagamento. Nosso cartão não funcionou e mandamos um e-mail para eles perguntando se poderíamos pagar na hora, em dinheiro. Eles responderam prontamente dizendo que não haveria problemas.

O parque

Há uma série de trilhas para se fazer dentro do parque. Ao chegar lá, você receberá um mapa indicando as principais e quanto tempo leva para cada uma.

Trilhas do Parque Nacional Bako
Mapa das trilhas do parque

As trilhas são razoavelmente fáceis e bem indicadas, embora bastante cansativas (principalmente por conta do calor). Encontramos muitos casais com filhos pequenos caminhando por lá. Mas, se você não é de trilhas, tudo bem: dá para ver os animais perto das cabanas ou da recepção do parque mesmo.

Nós visitamos três destinos:

  • Paku

É uma das trilhas mais curtas e mais fáceis do parque. Leva até uma pequena praia e oferece a possibilidade de ver macacos narigudos pelo caminho.

A trilha é agradável, mas sinceramente não vale tanto a pena. Provavelmente você conseguirá ver os macacos mais de perto nos arredores do Centro de Visitantes do que aqui, e a praia, além de ter muito lixo (muito mesmo), ainda é imprópria para banho por conta de crocodilos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Levamos cerca de 1h40min para fazer toda esta trilha (ida e volta).

  • Padan Kecil e Padan Besar

Estes são os principais destinos do parque e estão a uma pequena distância um do outro. Por isso, vale a pena incluir os dois no mesmo passeio.

No caminho da trilha para Padan Kecil você encontrará um desvio para ir até Besar. A distância do desvio até Besar é de cerca de 10 minutos. No caminho, fique atento às plantas, pois vimos algumas carnívoras bem interessantes.

Padan Besar é uma grande pedra com vista para a praia. Não é possível descer até o mar, mas a vista vale a pena. Depois disso, é só voltar para o caminho principal e seguir para Kecil.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em Kecil, você também chegará a uma pedra alta com vista para o mar. A diferença aqui é que você pode descer até a praia (embora esta também não seja recomendada para banho, por conta dos crocodilos). Nós não chegamos a descer, mas dizem que, se quiser subir de volta, é bem exaustivo. Na praia há barcos que levam os turistas de volta para o Centro de Visitantes, caso você não queira caminhar todo o caminho de volta.

Nós levamos cerca de 4 horas neste passeio (voltamos caminhando).

Parque Nacional Bako
Padan Kecil

Os animais

Os animais que nós vimos foram: o macaco-narigudo (proboscis), alguns outros macacos que não sabemos a espécie, porcos barbudos do Bornéu e esquilos. No tour noturno (que não fizemos) é comum ver cobras e escorpiões.

Por incrível que pareça, vimos mais animais nos arredores do Centro de Visitantes e dos chalés do que nas trilhas. O melhor horário para vê-los é bem cedo ou no fim da tarde, quando o sol está mais leve. A vez que vimos o macaco-narigudo mais de perto foi quando saímos cedo (7h da manhã) para tomar café.

Os porcos estão andando para lá e para cá durante todo o dia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fique atento com os outros macacos (os que não são narigudos). Eles costumam andar em bando e têm fama de delinquentes, roubando a comida de turistas descuidados. Se você sair e esquecer a porta do quarto aberta, é bem possível que encontre uma bagunça quando voltar.

Alguns turistas se assustam com estes macacos e saem correndo, largando a mochila ou a bolsa para eles fazerem a festa. Mas não tenha medo: se algum tentar te roubar, é só bater as palmas bem forte ou os pés no chão que eles saem assustados.

Parque Nacional Bako
Os macacos “delinquentes”

Mosquitos

Apesar de ser uma selva, não achamos os mosquitos assim tão chatos (acho que sofremos mais nas praias do Brasil do que por aqui). Mesmo assim, recomendamos que você leve repelente, principalmente para o fim da tarde e o começo da noite.

É isso, pessoal! Curtiram a dica do parque?

Para mais dicas bacanas, acompanhem nossa viagem pelo face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *