Conhecendo a Basílica de Nossa Senhora da Guadalupe, no México

Esta é, provavelmente, a basílica mais importante de toda a América. Se você estiver na Cidade do México, não deixe de conhecê-la. Mesmo que você não seja católico, a visita vale a pena!

A nova Basílica de Guadalupe, na Cidade do México
A nova Basílica de Guadalupe, na Cidade do México

Segundo a Wikipedia, a Basílica de Guadalupe recebe uma média de 20 milhões de peregrinos todos os anos, tornando-se assim a segunda basílica mais visitada do mundo (ficando atrás somente da Basílica de São Pedro, no Vaticano). E não é para menos: como se não bastasse a grande devoção que os mexicanos têm por Guadalupe, ela ainda foi declarada a Padroeira da América Latina, o que acabou atraindo muita gente dos outros países do continente.

A basílica original foi construída entre os anos de 1682 e 1708, mas esta acabou sofrendo grandes danos estruturais por conta do terreno pantanoso da região. Ainda é possível visitá-la, e é fácil notar como seu piso e suas paredes estão tortas.

Uma nova basílica foi construída ao lado da original, entre os anos de 1974 e 1976. Esta nova é muito mais moderna e capaz de acomodar um número muito maior de fiéis. O manto sagrado onde a imagem de Guadalupe foi gravada (explicamos a história a seguir) se encontra no interior desta nova basílica, e é possível chegar bem perto para admirá-lo e tirar fotos.

Basílicas de Guadalupe
A basílica antiga ao lado da nova. Consegue notar suas paredes tortas?

A história da Virgem de Guadalupe

A primeira aparição de Santa Maria de Guadalupe aconteceu ainda no século XVI, durante os tempos coloniais.

Um dia, não se sabe exatamente quando, o índio Juan Diego caminhava por alguns bosques de uma região da atual Cidade do México. Seguia angustiado, por conta de uma grave doença contraída por um tio muito querido. De repente, sem mais nem menos, escuta uma mulher o chamar em idioma azteca. Ela se identificou como a mãe de Jesus e disse que o protegeria de qualquer angústia ou enfermidade. Também pediu que ele contasse sobra sua aparição ao bispo local, rogando-lhe que fosse construída uma igreja ali mesmo.

Juan Diego comunicou tudo ao bispo, mas este não acreditou e pediu uma prova. O indígena, sem saber o que fazer, voltou ao local da aparição, e lá estava novamente a Virgem Maria. Ela lhe disse para que subisse a um cerro desértico e colhesse algumas flores. A aparição destas flores, fora de estação, deveria servir como prova.

O índio obedeceu e colheu tais flores, as quais enrolou em seu manto. Depois, levou-as ao bispo.

O bispo, ainda que impressionado com a aparição daquelas flores, continuou sem acreditar na história. Porém, quando as flores foram retiradas, a imagem da Virgem de Guadalupe estava estampada no manto. Diante deste milagre, o bispo não pôde mais negar a história contada por Juan.

O manto indígena original, estampado com a imagem da Virgem de Guadalupe.
O manto indígena original, estampado com a imagem da Virgem de Guadalupe.

Atualmente, nesta região, está a Basílica de Nossa Senhora da Guadalupe, a atual padroeira do México e da América Latina. Dentro da basílica é possível chegar bem perto do manto sagrado.

Uma curiosidade sobre este manto é que ele é feito com fibras de agave, um material que normalmente se deteriora dentro de 20 anos. Este, porém, já sobreviveu a quase 500 anos e ainda permanece intacto.

Por que o nome “Guadalupe”?

O motivo de esta virgem ter se intitulado “Guadalupe” é motivo de controvérsias. Por que uma santa, com traços mestiços e que fala o idioma azteca, iria querer receber o mesmo nome de uma virgem venerada em Estremadura, na Espanha?

A explicação mais provável é que ela tenha usado o termo “quatlasupe” que, em azteca, significa “aquela que amassa a serpente”. Ao escutar a história contada pelo índio, o bispo teria (por engano ou não), adaptado o nome para “Guadalupe”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como chegar?

Chegar à Basílica de Guadalupe é bem fácil. Basta pegar o metrô até a estação Deportivos 18 de Marzo. De lá, é só caminhar uns 15 minutos até a Basílica. Há placas indicativas pelo caminho.

Conhecendo o complexo da Basílica de Guadalupe

Além da basílica antiga e nova, a região possui outras capelas e lugares de interesse, além de um pátio enorme e um mercado. Não se paga nada para entrar.

Aqui contamos um pouco dos principais locais:

  • Antiga Basílica de Guadalupe

Esta imponente construção, ao estilo colonial, foi a basílica original. O que mais chama a atenção são suas paredes e pisos tortos (ao entrar nela, é preciso tomar certo cuidado para não se desequilibrar), consequência do solo pantanoso e dos constantes terremotos que ocorrem na região.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apesar disso, o prédio não se encontra em risco de desabamento, e obras de restauração e reestruturação estão sendo feitas.

  • Nova Basílica de Guadalupe

Esta nova basílica foi construída por conta dos problemas estruturais da antiga. O prédio chama a atenção por sua arquitetura moderna e seu altar arredondado, permitindo que mais fiéis possam assistir às missas.

Atrás do altar está o manto sagrado onde a imagem da Virgem de Guadalupe apareceu. Se você der a volta no altar, encontrará umas esteiras rolantes que te levam até pertinho do manto. Há uma espécie de bilheteria por ali, mas não se preocupe: não é preciso pagar nada para acessar as esteiras.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Capilla del Cerrito

É uma capela construída sobre o cerro onde Juan Diego colheu as flores que serviriam como prova da aparição da Virgem de Guadalupe. Lá de cima é possível ter uma bonita vista de todo o complexo.

Capela do "Cerrito"
Capela do “Cerrito”
  • Capilla del Pocito

Ao lado do cerro havia um poço, cujas águas eram consideradas milagrosas. Muitos peregrinos iam para lá se lavar ou beber dessas águas, o que acabou por transformá-lo em um grande foco de infecções.

Para impedir o acesso e controlar as epidemias, acabou-se por construir uma capela sobre o poço.

Quando visitamos, o acesso a esta capela estava fechado, possivelmente por problemas estruturais resultantes do último terremoto.

Capela do "pocito"
Capela do “pocito”
  • Mercado

Quase ao lado da Capilla del Pocito há um mercado econômico, mais voltado a fiéis do que a turistas. Se quiser levar uma imagem da Virgem de Guadalupe, este é o lugar. Também é possível almoçar, comprar frutas e alguns doces caseiros.

Mercado próximo à Basílica de Guadalupe
Mercado próximo à Basílica de Guadalupe

É isso pessoal! Curtiram a dica? Quando vierem ao México, não deixem de dar um pulo por aqui!

Para mais dicas bacanas e acompanhar nossa viagem pelo mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *