Linhas de Nazca – como conhecer sem pegar avião!

Quer ver as famosas Linhas de Nazca, mas não tem dinheiro para pagar o tour de avião? Não tem problema, é possível ver alguns desenhos gastando menos de 10 reais! Veja como foi nossa experiência.

Referência (junho/2016)

1 real = 0,88 soles
1 dólar = 3,30 soles

Consideradas como um dos maiores mistérios da arqueologia americana, as Linhas de Nazca, no Peru, se estendem pelo deserto de Nazca e foram tombadas como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1994.

As histórias sobre estas linhas são várias, incluindo até mesmo teorias envolvendo extra-terrestres. Alguns ufólogos acreditam que esta zona era um grande posto de aterrissagem para naves espaciais, e outros defendem que as linhas foram feitas do espaço, por civilizações de outras galáxias.

Mucuvinha nas Linhas de Nazca
Mucuvinha em frente ao desenho da árvore nas Linhas de Nasca

Os pesquisadores das linhas atribuem a criação dos desenhos à antiga civilização de Nasca, em um período entre 400 e 600 anos d.C. O motivo da criação destas figuras é incerto, podendo representar um grande calendário solar, mas o mais provável é que as figuras tivessem caráter religioso. Possivelmente as imagens foram criadas para serem vistas pelos deuses no céu, e poderiam fazer parte de algum ritual para pedir chuvas, proteção ou fertilidade.

Desenho das mãos, nas linhas de Nasca
Desenho das mãos, nas linhas de Nasca

Há mais de 70 destes desenhos espalhados pelo deserto, sendo alguns simples rabiscos e outros complexas representações de animais, pessoas ou plantas. Se for somar o desenho de figuras geométricas, a contagem chega a algumas centenas.

As maiores figuras têm mais de 200 metros de diâmetro.

Desenho de uma das mãos da lagartixa no Deserto de Nasca
Desenho de uma das mãos da lagartixa no Deserto de Nasca

Como observá-las

Para conseguir ver estes desenhos, é preciso olhá-los de cima. A forma mais tradicional (e cara) é sobrevoar as figuras: um voo pelas linhas dura 30 minutos e custa 80 dólares (na baixa temporada, é possível chorar por uns 60). Além disso, é preciso pagar uma taxa de 25 soles no aeroporto.

Acidentes aéreos eram mais que comuns. Por isso, o governo peruano começou a impor duras restrições, o que fez o preço das passagens subirem absurdamente. Se encontrar uma opção de voo muito econômica, é melhor ter cuidado.

Detalhe das linhas de Nasca vistas de perto
Detalhe das linhas de Nasca vistas de perto

Agora, vamos às opções mais econômicas. Há 15km da cidade de Nasca, ao lado da estrada que segue para Ica, há um pequeno mirador metálico, de onde é possível ver três destas imagens. Uma excursão para lá custa em torno de 50 soles por pessoa.

Se não quiser ir de excursão, um táxi vai cobrar cerca de 60 soles – o que é uma opção bem econômica para quem está em um grupo grande.

Mirador das linhas de Nasca, ao lado da estrada para Ica
Mirador das linhas de Nasca, ao lado da estrada para Ica

Agora, se quiser economizar mesmo, esqueça as opções acima: desde o terminal de Nasca partem, a cada meia-hora, ônibus a Ica. Basta pegar um destes e pedir para descer no mirador: vai gastar apenas 3 soles no trecho.

Para voltar, basta acenar para qualquer ônibus que passar no sentido a Nasca, ou simplesmente tentar uma carona: o terceiro caminhão que passou já parou para nós.

 

Abaixo, duas das três formas que podem ser vistas do mirados

Forma das mãos
Forma das mãos
Forma da Lagartixa
Forma da Lagartixa

Quanto custa

Além do preço para chegar ao mirador, a entrada para lá custa 3 soles.

Se for e voltar de ônibus, vai gastar um total de 9 soles.

Conseguir carona para voltar foi extremamente fácil.

As imagens

As imagens que podem ser vistas do mirador são:

  • As mãos
  • A árvore
  • A lagartixa (esta foi cortada ao meio pela estrada).
Desenho da árvore nas Linhas de Nasca
Desenho da árvore nas Linhas de Nasca

O legal é que, da beira da estrada, é possível ver as linhas bem de perto, e entender como elas são formadas.

A partir do mirador, é possível caminhar, sentido Nasca, até um outro mirador, gratuito e natural. As agências de turismo vão dizer que é impossível chegar até este sem guia, mas é mentira: este pequeno cerro pode ser visto de longe, e para chegar lá basta caminhar uns 20 minutos a partir do mirador metálico.

A partir do mirador natural não se vê nenhum desenho, apenas algumas linhas retas traçadas na areia.

Mirador natural das Linhas de Nazca
O mirador natural pode ser facilmente visto ao lado da estrada
Vista de cima do mirador natural
Vista de cima do mirador natural

 

É isso pessoal! Gostaram da dica?

Quer saber o que mais tem para fazer em Nazca? Leia nosso post completo aqui.

Para mais fotos e acompanhar nossa viagem de volta ao mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficiall

8 comentários sobre “Linhas de Nazca – como conhecer sem pegar avião!

  1. Boa tarde! Meu nome é “Rodrigo Gonçalves de Oliveira” gostaria de relatar uma teoria de meu pai “Ildack Rodrigues de Oliveira” sobre as linhas de Nazca: “infelizmente” tais linhas não teriam ligação com extraterrestre (que seria muito mais interessante), mas sim essas linhas serviriam como uma forma de “espantalho” para ataques da ave Condor (muito ativa no Peru)…com desenhos gigantes de animais típicos de criação na época ou de humanos sendo feitos no solo e vistos de cima, o pássaro Condor se sentiria inibido em atacar, visto que o mesmo pegava por exemplo pequenos filhotes de criações de cabras e os soltavam de uma altura considerável para abatê-los, fato que poderia não ocorrer se o pássaro visse imagens dos mesmo animais de tamanho considerável, espantando esses condor de atacar naquela região… pensemos: se na época tivéssemos ataques de condor desse tipo em nossas criações ou até mesmo em crianças, criar algo dessa magnitude seria inovador para inibir, não é mesmo !

    1. Olá Rodrigo!
      Obrigado por compartilhar a teoria de vocês conosco. Realmente é uma teoria bastante interessante e plausível!
      Abraço!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *