Conchinchina – Can Tho e seus mercados flutuantes

Passear pelos mercados flutuantes de Can Tho é uma das experiências culturais mais interessantes do sul do Vietnã e do delta do Mekong. Se for visitar Ho Chi Minh, não deixe de dar um pulo por aqui!

Câmbio oficial (jan/2019)
1 real = 6.150 dongs
1 dólar = 23.200 dongs
1 euro = 26.350 dongs

Feira de Can Tho
Feira flutuante no delta do Mekong

O Mekong é o rio mais importante para muitos países do sudeste asiático. Em termos de importância, seria o equivalente deles ao nosso Amazonas. E todo este rio, que nasce lá no Himalaia, vem desaguar no mar do sul do Vietnã, nesta região que antigamente era chamada de “Conchinchina”. E navegar pelo delta deste rio tão importante, onde navios imensos disputam as águas com pequenas canoas, é um dos passeios culturais mais importantes para se fazer no país.

Aqui mostramos como é visitar a cidade de Can Tho, uma das inúmeras cidades banhadas pelo delta do Mekong.

Como chegar?

Can Tho está a cerca de 3 horas de Ho Chi Minh. Há tours para cá, embora você possa vir por conta própria em ônibus (saem de hora em hora). A passagem custa 90 mil dongs e a viagem dura umas 3 horas.

Se viajar pela Futa Bus, pergunte se eles não incluem de graça o translado de/para o hotel. Nós fomos de Can Tho para Chao Doc (passagem: 100 mil dongs) e a empresa nos buscou e nos levou para o hotel sem cobrar nada.

Onde se hospedar?

O melhor lugar para se hospedar em Can Tho é no centro, perto do parque Ninh Kieu. É deste parque que saem as excursões de barco pelo rio.

Os hotéis privados na região são um pouco caros (pelo menos se comparados a outras cidades do Vietnã), mas você consegue encontrar camas em hostel por algo entre 4 e 5 dólares.

A única hospedagem econômica que encontramos nesta região foi o Bang Bang Motel. Apesar do nome soar estranho, é um hotel bem familiar. Pagamos 170 mil dongs em um quarto privado de casal, com ar condicionado, tv e banheiro compartilhado.

Ninh Kieu, Can Tho
Parque Ninh Kieu, de onde saem os tours pelo Mekong

O tour

Os tours pelo rio saem bem cedo – geralmente antes das 6h da manhã. Isso porque os mercados flutuantes fecham antes das 10h.

Para organizar um tour, passe no parque Ninh Kieu um dia antes, de preferência no fim da tarde. Ali poderá organizar a excursão diretamente com os barqueiros. Para nós, pediram 500 mil dongs em um tour privado de 6h, que visita dois mercados (o de Cai Rang e o de Phong Dien), os canais, um jardim e uma fábrica de noodles. Recusamos e na hora o valor caiu para 400 mil. Este é um valor justo, mas dissemos que iríamos procurar mais gente para dividir o barco. Acabaram baixando para 350 mil. Aceitamos por este valor. Pagamos metade no dia (eles emitem um comprovante) e a outra metade no dia seguinte. Combinamos de sair às 5h da manhã.

Há também tours em grupo que custam 100 mil dongs por pessoa, mas estes são tours de 3h e visitam apenas o Cai Rang e a fábrica de noodles.

Can Tho, Vietnã
Navegando pelo delta do Mekong

Nosso passeio

Chegamos no dia seguinte ao parque por volta das 4h50min e saímos pontualmente. Quem nos levou foi a mãe da mulher que nos vendeu o passeio. Ela não falava absolutamente nada de inglês, mas veio conversando conosco o passeio todo em vietnamita mesmo.

Navegamos quase 1h rio acima até chegarmos ao mercado de Cai Rang. O sol nem havia nascido, e acho que chegamos cedo demais. Havia vários barcos carregados de mercadorias (em geral frutas e verduras), mas uns poucos estavam começando a abrir. Na maioria deles os tripulantes ainda dormiam. O único movimento era de alguns barcos pequenos que vendiam café e refrigerantes para os turistas.

Mercado Flutuante de Can Tho
O primeiro mercado flutuante, ainda de madrugada

Avançamos mais de 1 hora e chegamos ao segundo mercado. Este era bem menor, composto por algumas canoas que vendiam frutas, carnes, cocos e bebidas. Eles basicamente negociavam as mercadorias entre si. Às vezes chegavam alguns locais para comprar, mas a clientela maior era dos turistas mesmo. Aparentemente estas canoas se reuniam ali para vender aos turistas e depois saíam pelos inúmeros canais para vender diretamente nas vilas.

Compramos umas bananas e seguimos o caminho de volta. Porém, em vez de voltar pelo rio principal, entramos em alguns canais bastante estreitos, que passavam em meio à selva e a pequenos vilarejos. Se não fosse a quantidade de lixo que era despejado nestes rios, seria um cenário fantástico.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aqui paramos em um dos destinos turísticos: os jardins. Estes “jardins” nada mais eram do que um restaurante que tinha algumas plantações ao fundo. Aqui tomamos um suco e comemos batatas fritas (curiosamente as batatas fritas eram doces!). Os preços não eram exorbitantes, mas eram mais caros do que no centro. Pagamos 20 mil no copo de suco e 35 mil nas batatas. Além disso, a dona do restaurante pergunta se você não quer convidar o seu barqueiro para comer. E, de praxe, você deve aceitar. Mas os barqueiros não abusam e pedem os pratos mais baratos. A nossa barqueira pediu um suco e uma sopa, que totalizaram 55 mil dongs.

Aqui você pode fazer o “tour” pelo quintal do restaurante. Lá verá algumas plantações, como limões, laranjas e bananeiras. Nada impressionante para quem vive em um país tropical como o Brasil, mas percebemos que alguns estrangeiros achavam bem interessante ver os pés destas frutas.

De lá seguimos mais um tempo pelos canais, até que chegamos à fábrica de noodles. Este também é um restaurante que vende artesanatos. Não se paga nada e você nem é pressionado a consumir. Nos fundos do restaurante pode ver como os noodles são feitos. A fábrica é minúscula: basicamente um pátio onde umas massas em formato de pizza descansam ao sol. Essas massas então são enfiadas em uma máquina que as fatia, transformando-as no macarrão tão típico da Ásia.

Fábrica de noodles em Can Tho
A fábrica de noodles

Daqui voltamos para o rio principal, onde passamos outra vez pela primeira feira. Agora ela já estava mais movimentada e pudemos ter uma ideia melhor de como ela funcionava: aparentemente os barcos descem o rio carregados de mercadorias para vender aqui no atacado. Os comerciantes locais alugam canoas e vão de barco em barco comprando sacos grandes de frutas e verduras. Não é uma feira interessante para turistas fazerem compras, mas foi bem legal ver como ela funciona.

E então, pouco depois das 11h, estávamos de volta a Can Tho.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aqui está um vídeo mostrando com mais detalhes como é o passeio:

 

É isso, pessoal!

Não deixem de nos seguir em nossas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *