City Tour em Cusco – Um passeio excepcional para conhecer a história desta cidade!

City tours costumam ser passeios chatos, não é mesmo? Isso não é verdade quando se trata de Cusco. Este passeio não te leva apenas para conhecer igrejas no centro, mas sim sítios arqueológicos afastados da cidade. Fizemos este passeio, e aqui contamos como foi nossa experiência!

Referência (maio/2016)

1 real = 0,88 centavos de soles (nas casas de câmbio de Cusco)

O passeio

Fazer um city tour em Cusco é essencial para conhecer a fundo a história deste lugar. Foi graças ao passeio guiado, por exemplo, que entendemos que Cusco (do quechua, Qosq’o) significa “umbigo”, e esta cidade foi criada pelo Império Inca para ser, de fato, o “umbigo do mundo”.

Vista panorâmica de Cusco
Bela vista da cidade de Cusco durante o city tour.

Antes da chegada dos espanhóis, Cusco foi a cidade mais importante da América; era praticamente como Roma nos tempos antigos. A cidade chegou a ter 100 mil habitantes na época pré-colombiana (hoje tem 500 mil), e é a cidade continuamente habitada mais antiga do continente.

Esta cidade marcou tanto a ascensão quanto a queda do Império Inca (a esta história dedicarei um post especial).

Tanto a cidade quanto seus arredores estão cheios de ruínas de valores inestimáveis, e neste passeio visitamos algumas delas:

  • O museu de Qoricancha
  • As ruínas de Tambomachay
  • O sítio sagrado de Qénqo
  • A fortaleza de Saqsayhuamán
  • A catedral (não visitamos este porque a igreja estava fechada por causa do Corpus Christi).
Catedral de Cusco durante o Corpus Christi
Não pudemos visitar a catedral de Cusco por conta do Corpus Christi

Apesar de ser possível visitar estes lugares por conta própria, fazer o passeio guiado é essencial para entender cada lugar (do contrário, você vai apenas ver um monte de pedras empilhadas).

Este passeio dura uma tarde, geralmente saindo por volta das 14h e voltando pouco depois das 18h.

Quem leva

Praticamente todas as agências em Cusco vendem este passeio (não confundir o City Tour com o ônibus turístico!).

Nós fomos com a Guty  Turism Travel (www.cuscogutyturismtravel.com), e recomendamos a todos. Além do guia ter bastante conhecimento, ainda coordenou bem para que chegássemos aos lugares antes de estarem lotados.

O fato de saírem mais cedo (13h30min, em vez da maioria que sai depois das 14h) também foi fundamental para que pudéssemos apreciar os lugares enquanto ainda era dia.

Porta do Sol em Saqsawamán
Porta do Sol em Saqsawamán

O preço

O passeio pode custar entre 30 e 40 soles, dependendo da agência e da negociação.

Além do passeio, você vai precisar pagar:

  • 15 soles de entrada no Museu de Qoricancha
  • 130 soles de Boleto Turístico (ou 70 soles, caso queira o boleto somente para 1 dia)
  • 25 soles de entrada na igreja (te dá direito a mais duas; ou você pode pagar 30 soles e ter direito a 6).

Os lugares que visitamos:

  • Museu de Qoricancha

Este imponente palácio impressiona tanto por dentro quanto por fora.

Fachada do Qoricancha
Fachada do Qoricancha

Qoricancha, na língua quechua, significa “Pátio Dourado”; e este lugar era, literalmente, coberto de ouro. Tanto suas paredes quanto seus jardins estavam repletos deste metal precisoso. Infelizmente, este ouro todo foi roubado pelos espanhóis, e hoje as poucas peças que restaram estão exibidas em um museu que existe sob o jardim.

Réplica de um painel de ouro que deveria cobrir todo o Qoricancha
Réplica de um painel de ouro que deveria cobrir todo o Qoricancha

Este lugar abrigava vários templos incas, cada um a um deus específico. Era usado tanto para rituais religiosos e sacrifícios quanto para observações astronômicas. Sua importância era tamanha para o Império Inca que aqui era considerado o centro do mundo (poderia ser comparado como o Vaticano para os católicos ou Meca para os muçulmanos). Os templos menores, em toda a região dominada pelos incas, eram construídas viradas para Qoricancha.

Mucuvinha em Qoricancha, Cusco
O conhecimento em astronomia dos Incas era impressionante. Esta porta foi alinhada de tal forma que a sombra das paredes se projeta perfeitamente no dia do solstício (21 de junho)

Nas paredes deste museu se pode observar como era complexa e eficiente a arquitetura inca. Grandes blocos de pedras eram encaixados como quebra-cabeças em uma harmonia perfeita. De fato, a construção era tão bem-feita que os espanhóis não foram capazes de destruí-la. Como não queriam templos a outros deuses, transformaram o lugar na Igreja de Santo Domingo e em um convento.

Mesa de sacrifícios em Qoricancha
Mesa para sacrifícios humanos e animais em Qoricancha
Mucuvinha em Qoricancha
Os grandes blocos encaixados perfeitamente e as formas de trapézio tornavam as construções incas muito resistentes.

Um forte terremoto, porém, derrubou as paredes da construção moderna, e revelou a base dos templos incas. Hoje, todo o complexo foi convertido em um museu, e no local se pode ver a mescla da arquitetura Inca e espanhola.

Interior do Qoricancha
A arquitetura colonial se mescla com as construções incas em Qoricancha
  • Tambomachay

    Ruínas de Tambomachay, Cusco
    Ruínas de Tambomachay

     São as ruínas de um belo banho cerimonial, onde ainda corre água. Neste lugar, supostamente, sempre há água corrente (perto do local há um rio que pode secar com a chuva, mas a água canalizada sempre corre), e servia como um importante ponto de parada para viajantes poderem descansar. De fato, o sistema de saneamento Inca era tão eficiente que suas estradas eram consideradas as melhores da América (com fontes de água a cada 10km no máximo).

Fonte de água do Baño del Inca, Tambomachay.
Fonte de água do Baño del Inca, Tambomachay.

Este lugar fica a poucos quilômetros de Cusco.

  • Qenqo

Este era um importante lugar para rituais religiosos utilizado pelos incas. Quenqo significa zigue-zague, e é justamente esta a forma que seus caminhos têm. A ideia, segundo nosso guia, era imitar uma cobra, e a intenção era realmente exautar a habilidade deste animal de se enfiar na terra. Como os incas tinham uma grande veneração pela Pachamama (mãe terra), acreditavam que, se seguissem caminho por dentro do solo, estariam mais conectados a ela.

Mucuvinha em Qenqo
Mucuvinha por dentro dos caminhos de Qenqo

A igreja, porém, não via desta forma, e consideravam aquilo um culto ao diabo. Uma grande pedra na entrada deste lugar era venerada pelos incas. Acredita-se que fosse talhada com o rosto de um de seus deuses, mas acabou sendo destruída pelos colonizadores.

Pedra adorada pelos Incas em Qenqo
Pedra adorada pelos incas, onde antes havia o rosto de um de seus deuses.
  • Saqsawamán

    Ruínas do forte de Saqsayhuamán
    Fachada de Saqsayhuamán

Esta é, provavelmente, a construção mais impressionante da região, e talvez uma das mais impressionantes de todo o continente.

Saqsayhuamán, importante sítio arqueológico próximo a Cusco
Saqsayhuamán, importante sítio arqueológico próximo a Cusco

Sempre tivemos grande fascínio pela capacidade dos egípcios de construírem monumentos grandiosos e de como moviam pedras gigantes com pouca tecnologia. Bom, os Incas não ficam atrás: as muralhas deste lugar, que possivelmente foi o palácio dos imperadores, possuem pedras de mais de 100 toneladas alinhadas perfeitamente. Ainda hoje, com toda a tecnologia que temos, seria difícil reproduzir uma obra de tamanha grandeza. Os próprios espanhóis exclamaram, ao ver Saqsawamán: “Este lugar não foi construído por homens, mas sim por demônios”.

Pedras gigantes de Saqsayhuamán
Como conseguiram empilhar as enormes pedras de centenas de toneladas são um enigma até hoje

Hoje, ainda imponente, somente 20% de Saqsawamán encontra-se de pé. O restante foi destruído pelos espanhóis, que utilizaram suas pedras para a construção de suas casas e das igrejas de Cusco.

Saqsayhuamán
Parte do muro foi restaurada. Infelizmente, não tivemos a capacidade de empilhar pedras gigantes como os incas fizeram, e a restauração foi feita com pedras pequenas.

Depois do passeio, visitamos um lugar que vendia roupas feitas com lã de alpaca e lhama, com garantia. Ali, nos deram uma pequena aula de como diferenciar a lã de alpaca das sintéticas.

Se quiser fazer compras por aqui, prepare o bolso.

Dicas

  • Leve bastante água. Apesar de não precisar fazer caminhadas longas, é bom estar sempre se refrescando para evitar os males da altitude.
  • Se quiser comprar artesanatos ou tirar fotos com as cholas ou as lhamas, leve dinheiro trocado. Para tirar uma foto com alguém, você terá que fazer uma doação – 1 ou 2 soles já é suficiente. Se só tiver notas de 10, porém, não espere receber troco.
  • Algumas agências de dão a opção de te buscar no hotel. Ainda que possa parecer cômodo, se estiver perto da praça, prefira encontrá-los lá. Cusco tem um trânsito caótico, e pode ser que você acabe passando 1h dentro da van até buscarem todo mundo.

É isso pessoal! Gostaram do passeio?
Confiram também:
Valle Sagrado
Salineras de Mara
Morays
Cerro Colorado
Tipón e Pikillacta

E aqui Tudo o que você precisa saber sobre Cusco

Para mais dicas de viagens e acompanhar nossa viagem de volta ao mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

5 comentários sobre “City Tour em Cusco – Um passeio excepcional para conhecer a história desta cidade!

  1. Valeu as dicas! Uma pergunta: vocês realmente indicam esta agência Cusco Guty Turism? Mandei email para eles, me responderam super rápido e o valor é absurdamente mais baixo que outras agências que cotei. Achei ótimo!!! Só fiquei meio em dúvida, pois não encontrei esta agência no Trip Advisor e nem no maps. É confiável? Abraço

    1. Olá Débora! Pode ir tranquila que fazem tudo certinho sim! 🙂
      Não fizemos nenhum tour para Machu Picchu com eles, mas os outros na região de Cusco foram muito bons. Na verdade em Cusco tem umas 500 agências com preços parecidos com a desta. Aí tem umas 10 que estão no TripAdvidor, google maps e tudo mais, e estas cobram umas 5 vezes mais caro pelo mesmo serviço!
      Pode ir tranquila que vai dar tudo certo 🙂
      Abraços!!

      1. Valeu Renan!!! Muito obrigada. Pois é, fiquei sabendo que no Peru qualquer um pode abrir agência de turismo, porém algumas não tem o registro oficial do turismo e não pagam as taxas devidas. Então quer dizer que tem as agências formais (que são as mais caras, porém credenciadas) e tem as informais, que são estas mais baratinhas hehehe….Bom, agora que já tenho as ideias de valores, vou deixar para combinar os passeios lá mesmo no primeiro dia :). Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *