Chichén Itzá – visitando uma das 7 maravilhas do mundo gastando pouco

Provavelmente a mais famosa das ruínas maias, Chichen Itzá impressiona com sua imponência e com a perfeição de seus detalhes.

Viajando pelo México? Dar um pulo aqui é obrigatório!

Câmbio oficial (agosto/2017)
1 real = 5,60 pesos mexicanos
1 dólar = 17,80 pesos mexicanos

Pirâmide principal de Chichén Itzá
Pirâmide principal de Chichén Itzá

No idioma maia, Chichén Itzá significa “Boca do Poço dos Itzales”, uma referência ao cenote (uma espécie de piscina natual) sagrado existente na região, considerado uma das principais entradas para o infra-mundo, onde residiam vários deuses. Este cenote era um dos mais importantes destinos de peregrinação maia, e várias oferendas, como peças de ouro e até ossadas humanas, foram encontradas em seu interior.

“Itzá” significa algo como “bruxos da água”, e é também o nome do povo que imigrou para a região e fundou Chichén Itzá.

Chichén Itzá
Os detalhes de alguns edifícios são impressionantes

História

Os itzás começaram a imigrar para a região da península de Yucatán nos fins do século V, e, em 525 d.C, fundaram Chichén Itzá como sua capital. A partir dali criaram várias outras cidades maias importantes.

Chichén Itzá permaneceu em paz durante muitos anos seguintes, e no século IX já havia se convertido em um dos mais importantes centros políticos da região. E, com a glória, vieram as turbulências. Guerra após guerra, vários edifícios foram destruídos e reconstruídos. Os itzás acabaram perdendo suas terras e fugiram para a região de Petén, de onde haviam vindo séculos antes.

Durante a época da colonização espanhola, após o declínio da civilização maia, Chichén Itzá ainda conservava sua fama de lugar sagrado, e alguns indígenas ainda realizavam sua peregrinação para lá. Os espanhóis até pensaram em fundar ali a capital colonial da região, mas a ideia não vingou.

Chichén Itzá
Chichén Itzá também é um bom lugar para comprar artesanatos e lembranças do México

Como chegar?

Praticamente todas as agências de Cancún e Playa del Carmen vendem tours para Chichén Itzá, por valores que rondam os 50 dólares (sem incluir a entrada). Pode ser uma opção cômoda se você tiver pouco tempo, mas recomendamos ir por conta própria caso queira economizar e percorrer as ruínas com calma.

Para chegar por conta própria, o ideal é partir da cidade de Valladolid. Do terminal central saem a cada hora ônibus da empresa Oriente para as ruínas por 31 pesos (algo como 6 reais). Outra opção é pegar uma van (saem de uma garagem quase ao lado do terminal) – 35 pesos, e sai quando enche (e enche rápido). A viagem dura 45 minutos.

Para voltar, basta pegar qualquer ônibus ou van no mesmo lugar que te deixaram.

Os ônibus da Oriente entre Cancún e Valladolid custam 117 pesos, e a viagem dura umas 3 horas. Existe também a opção do ADO – mais confortável e custa o dobro.

Valores

O valor da entrada para as ruínas é de 242 pesos (pouco menos de 50 reais). É opcional contratar um guia para fazer o recorrido. Um guia particular custa 600 pesos, mas é possível pagar 100 se quiser seguir com um grupo.

Há restaurantes e lanchonetes caras na região. Se quiser economizar, o ideal é levar comida e água.

Quando visitar?

Se não quiser ver Chichén Itzá lotada, o melhor é chegar cedo. A zona arqueológica abre às 8h, e a partir das 10h começam a chegar as excursões. A partir das 11h o lugar já está lotado.

Também é bom evitar ir domingo, pois neste dia mexicanos entram grátis.

  • Dica: se tiver a oportunidade, visite durante os equinócios (ocorrem por volta de 21 de março e 21 de setembro). Nesta época, o movimento do sol faz com que seja projetada na pirâmide principal a sombra de uma serpente descendo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Conhecendo Chichén Itzá

Chichén Itzá é um sítio arqueológico bem fácil de ser visitado. Por ser relativamente pequeno, também não exige tanto tempo: em menos de 2 horas dá pra ver tudo. Com 3 horas, poderá tirar todas as fotos que quiser.

O caminho é bem fácil e plano, portanto pode ir de sandálias ou chinelos sem problemas. Recomendam levar repelente, embora não vimos um mosquito sequer. Protetor solar sim é indispensável.

Não é permitido subir a nenhuma das ruínas.

De HJPD – Trabalho Próprio, CC BY 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=12674506

Os principais lugares de interesse em Chichén Itzá são:

  • Pirâmide de Kukulcán

Com 24m de altura e 55,5m de largura, esta pirâmide é a edificação mais imponente de Chichén Itzá. Possui 4 escadas de 91 degraus, e um degrau superior para o altar, somando-se assim 365 degraus – um para cada dia do ano.

O mais impressionante desta pirâmide é que, durante os equinócios, a sombra das plataformas se projeta na escada, na forma de uma serpente. À medida que o sol avança, esta serpente parece ir descendo para a terra.

Isso representa a descida do deus Kukulcán, simbolizando os inícios das temporadas de semeadura e colheita.

Se bater palmas em frente à pirâmide escutará um eco parecido com o som de um pássaro.

Pirâmide de Kukulkán
Pirâmide de Kukulcán
  • Quadra do Jogo de Bola

O jogo de bola era o esporte mais importante dos maias, e essa quadra era o Maracanã de todo o império. Seu tamanho é impressionante – o maior de todas as ruínas que já vimos – e os detalhes estão incrivelmente bem preservados.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Cenote Sagrado

Este cenote sagrado era talvez o mais importante do mundo maia. Pessoas de diversas cidades vinham até aqui oferecer oferendas e sacrifícios aos deuses.

Dentre os objetos encontrados em suas águas verdes, estão peças de ouro, de prata e ossadas, principalmente de crianças. Dentre as várias teorias está a de que os pais davam seus filhos em sacrifício aos deuses.

Cenote sagrado de Chichén Itzá
Cenote sagrado de Chichén Itzá
  • Edifício El Caracol

Denominado desta forma por conta da escadaria em forma de caracol de seu interior (infelizmente não se pode mais vê-la), este era, segundo creem os pesquisadores, o local usado pelos maias para observar o céu.

Este edifício data do ano de 906, fim do período clássico.

Edifício Caracol, Chichén Itzá
Edifício Caracol, o observatório maia
  • Templo dos Guerreiros

Construído por volta do ano de 1200, é um edifício cercado por uma infinidade de colunas, supostamente em homenagens aos guerreiros de Chichén Itzá.

Os trabalhos de restauração deste complexo começaram em 1925, e ainda seguem em andamento.

Mucuvinha em meio aos guerreiros
Mucuvinha em meio aos guerreiros

Além destas, há diversas outras edificações de menor importância, cada uma com suas devidas explicações expostas em letreiros informativos.

É isso aí pessoal! Não deixem de visitar este lugar espetacular!

E, para acompanhar nossa viagem pelo mundo, curta nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

7 comentários sobre “Chichén Itzá – visitando uma das 7 maravilhas do mundo gastando pouco

    1. Esta ainda é nossa segunda. Nem o Cristo podemos dizer que conhecemos!! 🙁
      Mas tudo bem, se tudo der certo voltaremos para casa com as 7 visitadas!! 😀

  1. Renam, e sobre o show de luzes noturna? tem alguma informação? Eu tinha lido em alguns cantos que se conseguia as entradas gratis em alguns locais, porém eu vi no site https://nochesdekukulkan.com/ vendendo as entradas para o show. Ai tô na dúvida se ainda dão cortesias e tal ou se agora é só comprando mesmo.

    1. Fala rapaz,
      Cara, não ouvimos falar de entrada grátis pra isso não. Talveze seja coisa antiga. Agora os caras estão cobrando de todo mundo mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *