Canal do Panamá – como chegar sem gastar quase nada!

Considerada uma das maiores obras da engenharia moderna, o Canal do Panamá é visita obrigatória para quem vem conhecer o país. Aqui contamos um pouco da sua história e ensinamos como visitá-lo por conta própria.

Câmbio oficial (março/2017)
1 dólar = 3,10 reais

O canal

O Canal do Panamá é uma das maiores (se não a maior) obra da engenharia moderna, e veio a tornar realidade aquilo que Cristóvão Colombo buscava desde 1492: um caminho novo que ligasse a Europa à Índia. Apesar de toda a riqueza que vários países exploraram nas terras americanas, muitos líderes chegaram a afirmar que seria melhor para a economia europeia se a América simplesmente não existisse. Hernán Cortés, explorador do atual México, chegou a declarar que “a descoberta de um canal que cruzasse a América seria mais importante que todas as suas descobertas”.

Em 1520, uma expedição, liderada pelo português Fernão de Magalhães, descobriria um pequeno estreito ao sul da Argentina e do Chile, posteriormente batizado de Estreito de Magalhães. Este estreito permitiria a viagem até as Índias, e seria de suma importância pelos séculos seguintes para a rota que ligaria a Europa à Ásia.

Viagem de Fernão de Magalhães
A viagem de Magalhães – a primeira volta ao mundo da história!

Porém, ainda havia dois problemas: o primeiro estava com a distância a ser percorrida e as condições bastante instáveis de navegação no sul da Patagônia. O segundo: as grandes potências mundiais não gostavam da ideia de que países de terceiro mundo controlassem esta rota tão importante.

Em 1878, o francês Ferdinand de Lesseps, construtor do Canal de Suez, foi para a região (que até então pertencia à Colômbia) empenhar o ousado desafio de fazer um canal que ligasse o Caribe ao Oceano Pacífico. Em 1880 as obras começaram, mas os desafios iam muito além do imaginado. 9 anos depois, após gastar muito dinheiro e perder muitos trabalhadores para doenças como a malária e a febre amarela, a companhia veio a falir.

Mucuvinha no Canal do Panamá
Mucuvinha no Canal do Panamá

O então presidente dos EUA, Theodore Roosevelt, estava convencido de que seu país poderia terminar estas obras. Mas enfrentou um problema: a Colômbia não estava de acordo com a construção do canal. Em uma manobra polêmica, os EUA apoiaram o movimento separatista da região, consagrando assim a independência do Panamá. Com o apoio do novo governo, os caminhos para a construção do canal estavam abertos.

Após 10 anos de duro trabalho, o canal foi finalmente inaugurado em 1913, e começou suas atividades em 1914.

Em 31 de dezembro de 1999, o Panamá finalmente teria controle absoluto sobre o canal.

Michele no Canal do Panamá
Michele no Canal do Panamá

Curiosidade

Durante a construção do canal, o Equador exportou para o Panamá milhares de sombreros paja de toquilla, uma espécie de chapéu leve e de excelente qualidade para ser usado pelos trabalhadores. Durante uma de suas visitas, o presidente estadunidense Roosevelt teria ganhado um destes chapéus e levado para os EUA. Quando questionado, ele simplesmente teria dito que ganhou o chapéu no Panamá, fazendo com que o chapéu equatoriano erroneamente levasse o título de Chapéu do Panamá.

Até hoje turistas desavisados vão ao Panamá e compram os ditos chapéus, pensando que são autênticos da região.

Chapéu do Panamá, fabricado no EquadorChapéu do Panamá, sendo fabricado no Equador

Como chegar ao Canal do Panamá

Há três formas de chegar ao Canal do Panamá a partir da Cidade do Panamá: com transporte público, em tour ou contratando um táxi particular.

Se quiser ir em tour, praticamente todos os hotéis e hostels vendem o passeio, que geralmente é combinado com um city tour pelo centro. O preço fica na faixa de 8 a 10 dólares.

Ainda que muitos digam o contrário, ir por conta própria é possível, mais barato e melhor, pois você ficará quanto tempo quiser e com mais chances de estar livre de um monte de outros turistas. Você vai gastar menos de 2 dólares para fazer o trajeto de ida e volta.

Indo por conta própria

Para ir ao canal por conta própria, você precisa chegar ao terminal de ônibus AlBrook. Para isso, pegue o metrô (35 centavos) que te deixa dentro do terminal. Caso não tenha, é necessário fazer um cartão integrado (serve para ônibus, metrô e terminal). Custa 2 dólares, e é feito no metrô mesmo. É necessário apresentar o passaporte ou a cópia.

Chegando ao terminal, siga até a praça de alimentação. Lá, há uma saída ao lado do Burger King. Esta saída parece não levar a lugar nenhum, mas à direita há uma pequena catraca. Ali se pode pegar os ônibus que levam diretamente ao Canal do Panamá. Peça ao motorista ou a alguém para te avisar onde descer. Este ônibus custa 35 centavos. Além disso, vai precisar pagar pelo uso do terminal (10 centavos).

Mucuvinha no ônibus que leva ao Canal do Panamá
Mucuvinha no ônibus que leva ao Canal do Panamá

Para voltar, basta acenar para os ônibus que passam. Caso esteja demorando muito, é possível caminhar cerca de 1km pela estrada (sentido à Cidade do Panamá) até um terminal. De lá há saídas frequentes para a capital.

Quanto custa

A entrada ao Canal do Panamá custa 15 dólares, e dá direito às reclusas, a um pequeno museu e a um filme contando a história do lugar. Também há um restaurante (caro) no local.

É possível ficar lá dentro pelo tempo que quiser, inclusive esperar até que algum barco passe (nós não demos sorte, porque não passariam mais barcos no dia em que visitamos).

Mucuvinha no museu do Canal do Panamá
Mucuvinha no museu do Canal do Panamá

É isso pessoal! Esperamos que tenham curtido a dica.

Para acompanhar nossa viagem de volta ao mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

5 comentários sobre “Canal do Panamá – como chegar sem gastar quase nada!

  1. Uma boa maneira é ir de uber. Por 5 dólares desde o casco viejo, chegando rápido e com conforto. É ir cedo é melhor, pois os barcos estão a todo vapor nas primeiras horas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *