16 destinos espetaculares e pouco conhecidos na América do Sul

Já que vamos deixando nosso continente para trás, compartilhamos aqui alguns lugares que nem imaginávamos que existiam, e que nos deixaram de queixo caído. Nas suas próximas férias, não deixe de incluí-los em seu roteiro!

1. Fitz Roy (Argentina)

Ok, o cerro Fitz Roy, perto da cidade de El Chaltén (Argentina) não é exatamente um destino inusitado. Milhares de turistas de diversas partes do mundo visitam este lugar encantador o ano todo.

O que nos fez colocá-lo na lista foi o fato de este lugar espetacular não ser tão divulgado quanto seus vizinhos Torres del Paine e Perito Moreno. Nós mesmos não tínhamos planos de ir até lá. Na época, ainda seguíamos fielmente o Lonely Planet. E, se o Lonely Planet não recomenda, por quê perder tempo?

Apreciando a beleza do Fitz Roy
Apreciando a beleza do Fitz Roy

Por sorte, pegamos carona com uns canadenses que nos convenceram a ir até El Chaltén. E que sorte a nossa! Até hoje, este lugar tem as paisagens de montanhas mais espetaculares que já vimos. As belas vistas e a paz que sentimos nessas trilhas fez a experiência ser ainda melhor que a do famoso parque Torres del Paine. E o melhor: é tudo grátis! Tanto a entrada para o parque quanto os campings lá dentro são gratuitos.

Se curte trilhas, é um destino imperdível.

Leia tudo sobre nossa experiência por lá aqui.

2. Iquitos (Peru)

Por que visitar a selva amazônica peruana, se já temos Amazônia no Brasil?

Essa era a pergunta que nos fazíamos, e que quase nos fez desistir de ir para Iquitos. Por sorte, só voltaremos para o Brasil daqui a alguns anos, e estávamos ansiosos para conhecer esta selva exuberante.

A emoção da viagem já começa no caminho: Iquitos é completamente inacessível por estradas. Chegar até lá, só por barco ou avião. Obviamente escolhemos o barco, e vivenciamos a experiência inesquecível de navegar pelo imenso rio Amazonas.

Viajando pelo rio Amazonas, rumo a Iquitos

Em Iquitos, as opções são várias. A cultura amazônica por lá é bem parecida com a brasileira, mas os preços são bem mais baixos. Foi lá também que tive minha primeira experiência com a ayahuasca, ou Santo Daime. Que tal pensar nesta opção quando estiver pelo Peru?

Leia tudo sobre Iquitos aqui.

3. Parque Nacional Morrocoy (Venezuela)

Quem poderia imaginar que é possível curtir as praias azuis e as areias brancas do Caribe de forma econômica?

Com cerveja a 1 real, lagostas a partir de 15 e hospedagens por menos de 10 reais para um casal, o Parque Nacional Morrocoy nos deixou de queixo caído. E o melhor – como a Venezuela perdeu muitos turistas com a crise, várias das praias deste parque praticamente não são visitadas, permitindo que você possa desfrutar da experiência com bastante sossego.

Mucuvinha curtindo uma praia em Chichiriviche, no Parque Nacional Morrocoy

Leia tudo sobre o Morrocoy aqui.

4. Caracas (Venezuela)

Considerada a cidade mais violenta do mundo, Caracas definitivamente não estava no nosso roteiro. Por sorte acabamos mudando de ideia: apesar dos sinais visíveis da crise, a cidade natal de Simón Bolívar foi uma das nossas capitais favoritas da América do Sul.

Com um centro colonial bem cuidado, edificações imensas e araras voando livremente pelos parques, Caracas definitivamente merece uma visita.

O Capitólio, um dos belos edifícios do centro histórico de Caracas

Sobre a segurança? Tomando os cuidados básicos de qualquer cidade grande, não há o que temer.

Ficou interessada em conhecê-la? Leia todas as dicas aqui.

5. Caral (Peru)

Sem dúvidas o Peru é o país das ruínas antigas (que o diga Machu Picchu). As ruínas da antiga civilização de Caral poderiam ser encaradas simplesmente como apenas mais uma cidade perdida – não fosse a história incrível deste lugar.

Caral é a civilização conhecida mais antiga da América, e a segunda mais antiga do mundo. Graças a eles, o solo peruano conheceu pirâmides muito antes do solo egípcio.

Algumas pirâmides de Caral

As escavações na região ainda são recentes, e com isso você poderá conhecer, ao vivo, o trabalho dos arqueólogos.

Quer visitar Caral? Leia os detalhes aqui.

6. Tinku (Bolívia)

Tinku – violência descontrolada, bebedeira e rios de sangue correndo pelas ruas da pacata cidade de Macha. Pelo menos, é assim que a mídia gosta de descrever este belíssimo festival.

Com origens pré-colombianas, o Tinku é celebrado uma vez por ano no mês de maio em inúmeros povoados bolivianos, sendo o maior deles na cidade de Macha. Neste festival, além de sacrifícios animais, ocorrem lutas entre aldeias rivais – muitas vezes até a morte. A polícia só interfere se a situação sair completamente do controle.

Homem carrega uma cruz durante o Tinku em Macha, Bolívia
Homem carregando a cruz durante o Tinku.

Apesar de parecer violento, a essência do Tinku não é a morte, mas a vida: todo o sangue derramado serve tanto como uma oferenda para a Pachamama quanto como uma forma de criar pessoas mais fortes.

Esqueça os ideais da cultura europeia que aprendemos na escola e venha vivenciar o melhor que a América tem para nos oferecer. Sem dúvidas, será uma das experiências mais impressionantes da sua vida.

Leia tudo sobre este festival aqui.

7. Baños (Equador)

Esta pequena cidade, no interior do Equador, possui tantas cachoeiras que suas paisagens nos lembram muito o interior de Minas. O diferencial é que aqui abundam os esportes radicais: tirolesas de tudo que é tamanho, saltos de ponte, rafting, balanços gigantes e tudo mais que um aventureiro possa querer. Visita obrigatória para quem vai ao Equador.

Michele se balançando no “balanço do fim do mundo”, em Baños

Leia tudo sobre Baños aqui.

8. Carretera Austral (Chile)

Possivelmente a estrada mais remota da América do Sul, percorrer a Carretera Austral é uma experiência inesquecível. Localizada em uma parte isolada no sul do Chile, esta carretera está livre dos problemas urbanos das grandes metrópoles – por aqui, o que reina é a tranquilidade e as belas paisagens. A única preocupação que o viajante precisa ter é de não ficar preso em alguma forte nevasca no inverno.

Capillas de Mármol, uma das atrações da Carretera Austral

Bicicleta? Ônibus? Van? Carona? Carro próprio? Não importa o meio de transporte, a experiência será inesquecível.

9. Chiloé (Chile)

Uma das portas de entrada da Carretera Austral, este pequeno arquipélago no sul do Chile respira a paz durante todo o ano: aqui, as famílias ainda criam suas ovelhas livremente, vão às missas em igrejas de madeira e comem os ovos das suas próprias granjas.

Missa natalina em Dalcahue, Chiloé, no Chile
Missa natalina em Chiloé, no Chile

Viajar por Chiloé é como voltar no tempo. Venha e aproveite, antes que o futuro a destrua também!

Leia tudo sobre Chiloé aqui.

10. Medellín (Colômbia)

Uma das cidades modernas mais bonitas da Colômbia, e premiada com o título de “Cidade Mais Inovadora do Mundo”, é difícil acreditar que ela já foi proibida para turistas devido aos altos índices de violência.

 

Centro de Medellín

Ainda ligados ao triste passado pelo nome de Pablo Escobar, seus simpáticos cidadãos provaram que é possível, sim, dar a volta por cima. Hoje Medellín apresenta uma das melhores qualidades de vida da Colômbia, e sem dúvidas sua transformação impressiona a todos.

Leia sobre nossa passagem por Medellín aqui.

11. Huacachina (Peru)

Não é preciso ir até o Saara para ver um oásis: Huacachina, a poucas horas ao sul de Lima, é um pequeno lago em meio às dunas do deserto. Antigo resort de milionários, hoje esta pequena vila é o paraíso dos mochileiros que percorrem o Peru.

Oásis de Huacachina

Leia tudo sobre Huacachina aqui.

12. Kuélap (Peru)

Muitos dizem que este lugar só não recebe a mesma importância que Machu Picchu pelo fato de o acesso até lá ser bem complicado.

De fato, é difícil comparar as duas cidades perdidas, mas Kuélap sem dúvidas nos impressionou muito. Muitas de suas ruínas estão impecáveis, e as muralhas que a protegem são um marco da engenharia pré-colombiana.

Devido a sua distância de Lima, chegar até lá realmente não é tão simples, mas tampouco é algo de outro mundo. Se tiver tempo, vale a pena!

Edificações redondas em Kuelap

Leia mais da história e dos meios de acesso a Kuélap aqui.

13. Carnaval de Barranquilla (Colômbia)

Quando começamos nossa viagem, pensamos: “só voltaremos a celebrar um carnaval de verdade daqui a alguns anos, quando retornarmos ao Brasil”.

E não é que estávamos enganados? Considerado o segundo maior carnaval do mundo, a festa de Barranquilla nos surpreendeu positivamente em todos os sentidos. Ainda que as diferenças culturais sejam evidentes, nos sentimos em casa enquanto curtíamos os desfiles de abertura deste carnaval.

Carnaval em Barranquilla
Passista fazendo pose para a foto em Barranquilla

Quer saber mais? Leia aqui como foi nossa experiência.

14. Igreja de Las Lajas (Colômbia)

Igreja? Mas tem tanta igreja colonial bonita por aí!

Realmente tem, mas nenhuma como esta, em Ipiales. Construída em um vale, esta igreja com arquitetura neo-gótica parece saída de um conto de fadas.

Santuário de Las Lajas

Se estiver fazendo a rota entre Equador e Colômbia, dar uma parada aqui é obrigatório!

Leia mais sobre Las Lajas aqui.

15. Deserto de Tatacoa (Colômbia)

Lugar ainda pouco visitado na Colômbia, o Deserto de Tatacoa é uma versão menor e muito mais barata do Atacama.

Além das paisagens impressionantes, visitar o Tatacoa é vivenciar um pouco mais da cultura colombiana, onde as crianças crescem tomando leite de cabra e correndo descalças pelas ruas de terra.

No Labirinto del Desierto de Tatacoa

Quer mais? Pois então passe uma noite no observatório e conheça um pouco sobre as constelações e entenda melhor como é o céu no hemisfério norte.

Leia todas as informações sobre o Tatacoa aqui.

16. Cabo de la Vela (Colômbia)

Localizada no caribe colombiano, próximo à fronteira com a Venezuela, a província de La Guajira – uma das mais pobres do país – guarda uma riqueza cultural impressionante. Aqui, os índios das tribos Wayúu, apesar de já terem motos, ainda vivem um estilo de vida muito parecido com o que viviam antes de Colombo aparecer por estes lados.

Além da riqueza cultural, as belas paisagens também são de tirar o fôlego.

Casas humildes de uma família Wayúu

Ficou interessado? Leia mais sobre este lugar aqui.

 

É isso pessoal! Curtiram as dicas? Algum outro paraíso desconhecido que esquecemos de mencionar? Comentem aí! 🙂

E, para mais dicas de viagem e acompanhar a nossa volta ao mundo, curtam nossa página no face:
www.facebook.com/mundosemfimoficial

6 comentários sobre “16 destinos espetaculares e pouco conhecidos na América do Sul

  1. Maravilhoso! O foco é a Colômbia e a Venezuela agora, mas tenho a intenção de relatar lugares não muito conhecidos também. Espero que seja possível o desafio

    1. Pode ter certeza que vai encontrar muitos lugares surpreendentes que acabamos passando batido. Estes países tem muitas surpresas para se descobrir! 🙂

  2. Deserto na Colômbia? Dessa eu não sabia!
    Valeu a dica, vou dar uma olhada no que vcs postaram de lá pra ver se dá pra encaixar na minha trip 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *